quarta-feira, agosto 31, 2016

DVD: "Profissão, Ladrão" (Thief, 1981)


A Obras-Primas do Cinema entrega uma Edição Especial de Colecionador aos antigos e futuros admiradores desta obra-prima do cinema policial norte-americano. Boa parte da força do primeiro longa para cinema de Michael Mann (“O Último dos Moicanos”, “Fogo Contra Fogo”, “Miami Vice”, “Inimigos Públicos”) reside em um excelente James Caan como Frank, um ladrão de extremo profissionalismo e seguidor de um rígido código de honra, um sujeito de poucos amigos que não tem o que perder na vida.

Mann também não perde tempo ao introduzir a rotina deste personagem ao espectador com muita eficiência logo nos créditos iniciais, apresentados durante uma cena de roubo onde os diálogos são quase inexistentes. Essa abertura joga o espectador no mundo em que essa personagem vive, um mundo em que pessoas reagem de maneiras difíceis de serem compreendidas por pessoas “comuns”, que tiveram boa criação e tem a sorte de contar com o apoio de uma família. Não é o caso de Frank que viveu a maior parte de sua vida atrás das grades, assim como Okla (Willie Nelson), o seu mentor. 


Em uma bela cena, Frank vai à cadeia visitar esse homem que é o mais próximo que o personagem teve de um pai e diz a ele que conheceu uma garota. “Você se casará com ela?”, é a primeira pergunta que Okla o faz. Ele não perguntou se Frank a achou bonita, aonde a moça trabalhava, se ela era boa de cama, ele perguntou se o sujeito se casaria com ela. Porque a única maneira para homens como eles se encaixarem de alguma forma na sociedade é se casando e tendo filhos. Frank guarda na carteira uma colagem de fotos de revista que expressa o seu ideal de felicidade, a procura por uma vida melhor, pacífica e com uma família depois de realizar um último golpe que o fará ter tudo isso.


Não é para menos que ele se envolve em um roubo organizado por Leo (Robert Prosky, em sua estréia no cinema aos 51 anos de idade) e, ao mesmo tempo, se dedica a conquistar o coração da garçonete Jessie (Tuesday Weld). Em outro momento marcante do filme, vemos Frank se abrir por completo para essa mulher. É uma cena incrível. O famoso intérprete de Sonny Corleone inclusive declara o quanto tem orgulho dela na recente entrevista que se encontra nos extras deste DVD.

Além de Prosky, Dennis Farina, John Santucci, John Kapelos e William Petersen (o astro de "Dragão Vermelho" e “Viver e Morrer em Los Angeles") também estreiaram no cinema em “Profissão, Ladrão”. Mann se utilizou da ajuda de ladrões da vida real para dar mais autenticidade às cenas de roubo e alguns deles interpretaram policiais, enquanto ex-policiais interpretaram bandidos. John Santucci interpreta Urizzi, um policial corrupto, mas ele também trabalhou como consultor técnico no filme por ter sido ladrão de jóias no passado. Dennis Farina foi ex-policial e participa como um dos capangas de Leo.


“Profissão, Ladrão” é uma obra que já aponta diversas características e temas que seriam revisitados nos próximos filmes de Michael Mann (sua obsessão com a autenticidade; a linha tênue entre policiais e criminosos; personagens que buscam redenção por seus pecados), assim como o rico cuidado visual e sonoro que também se tornaria uma assinatura do trabalho do diretor.


O DVD da Obras-Primas do Cinema apresenta o filme em versão restaurada e integral com som e imagem de qualidade superiores ao que se tinha até hoje na casa de alguns colecionadores, o DVD americano da MGM lançado há uma década atrás. As imagens utilizadas para ilustrar essa resenha foram tiradas do próprio disco.

Extras: trailer original de cinema, uma entrevista do ex-crítico chefe da Variety Scott Foundas com Michael Mann (25 minutos) e entrevistas com James Caan (10 minutos) e Johannes Schmoelling (15 minutos), ex-integrante do Tangerine Dream, grupo responsável pela excelente trilha sonora do longa e que viria a trabalhar novamente com Mann em “A Fortaleza Infernal”. Sem falar, claro, do tradicional card com uma cena do filme ou foto de publicidade que sempre acompanha os DVDs da distribuidora.

Tenho apenas 2 críticas em relação a esse DVD:

1 - A legendagem poderia ter sido melhor revisada. Existem momentos onde algumas frases podem até estar com uma tradução ok mas não fazem muito sentido naquela cena em particular. Esse também é o caso nos extras onde as falhas estão mais evidentes nas entrevistas com Mann e Caan. Creio que os tradutores fizeram essas duas legendas a partir do áudio. Mas trata-se de um problema observado não apenas em lançamentos de distribuidoras independentes como em ‘majors’ também. Pelo menos, não é o caso de reconhecer os mesmos erros de português, digitação e tradução de uma legenda disponibilizada na Internet. Pode acreditar que isso já aconteceu comigo mais de uma vez. 

 2 – O vídeo da entrevista com James Caan é um 4:3 (fullscreen) ‘esticado’ para ser 16:9 (wide). Não sei dizer se foi uma falha na autoração ou foi proposital. De qualquer jeito, enviei essa observação para o pessoal da distribuidora. Vejam o comparativo abaixo.  

Entrevista no DVD da Obras-Primas
Entrevista com o A/R modificado para ser assistida em 4:3

Apesar dessas duas ressalvas, o DVD da Obras-Primas do Cinema continua recomendável a todos que desejam ter o filme em sua coleção. A qualidade de som e imagem está bem satisfatória e superior ao disco americano da MGM e as entrevistas de Mann, Caan e Schmoelling são excelentes, apresentam um total de quase uma hora de duração e certamente agradarão a quem adquirir o disco.  

Screenshots:

 
 
 
 
Filme: *****
Extras: ****
DVD: ****

Profissão, Ladrão - Edição Especial de Colecionador na loja Colecione Clássicos

Profissão, Ladrão - Edição Especial de Colecionador na Livraria Cultura

Nenhum comentário: