sábado, dezembro 31, 2011

quinta-feira, dezembro 29, 2011

David e seu Valiant fazendo uma pontinha safada





Lançado em DVD no Brasil pela California Filmes

References
Duel (1971) (TV)
- The main character's name is Tom Weaver... same last name as Duel's main actor. A pickup truck in the garage has "GREBLIEPS PAINTING" written on it. Greblieps is Spielberg spelled backwards. Early in the movie we can see somebody who looks just like Dennis Weaver driving by in a red Valiant, the same car that Weaver drives in "Duel". The black car is very similar to Duel's truck (massive, black windows, you can't see the driver, etc.)

terça-feira, dezembro 27, 2011

Entrevista com Walter Ruether (SCARLET FRY'S JUNKFOOD HORRORFEST)


Voltamos das festividades natalinas dando mais espaço para cinema de gênero independente. Bati um papo com Walter Ruether, realizador de três antologias de horror de baixíssimo orçamento apresentadas pelo próprio como um demente “Horror Host” chamado Scarlet Fry. HORRORAMA saiu em 1990, JUNKFOOD HORRORFEST em 2007 e NIGHTMARE ALLEY no ano de 2010. Ruether hoje trabalha em mais uma de suas antologias, SCREAM MACHINE, que deve ser finalizada e lançada em 2012. Ele também é vice-presidente de aquisições para a nova distribuidora Chemical Burn, que tem lançado uma série de pequenos filmes de interesse aos fãs do horror e exploitation. Confiram abaixo o que Ruether tem a dizer aos leitores do blog sobre seus filmes e o cenário atual do horror independente.

VeV - Quais são as suas maiores influências no cinema de horror?

Minhas maiores influências em filmes de terror são variadas e não tenho certeza se elas são refletidas desta maneira em meus filmes. Creio que podemos notar uma enorme influência que Herschell Gordon Lewis tem em meus filmes, John Waters também. Os meus dois primeiros filmes são bem ruins, mas também são divertidos de assistir e isso é o que eu tendo a amar em relação ao gênero antes de Hollywood se aproveitar dele. Eu pessoalmente amo os filmes da Hammer, Amicus e quase tudo com o Vincent Price. Também gosto de gente como Paul Naschy, Fulci, Argento, Ted V. Mikels, Frank Hennenlotter... cara, a lista de nomes só cresce. (risos)


VeV - A primeira aparição de Scarlet Fry foi em HORRORAMA. Como o personagem do apresentador foi criado?
O engraçado é que Scarlet Fry definitivamente vem dos antigos "horror hosts" que eu tinha o costume de ver na TV durante os anos 70 como Svengoolie, Zacherly, todos esses apresentadores das antigas de "shock theater" e acredite se quiser, sempre fui um puta fã do Alice Cooper então tem muito disso aí misturado também. Talvez deve ser por isso que sou tão incompreendido? hmmmm?

VeV - Desde HORRORAMA, você fez mais duas antologias de horror (JUNKFOOD HORRORFEST, NIGHTMARE ALLEY) e agora está trabalhando em uma nova intitulada SCREAM MACHINE. Nota-se um pequeno reterno delas com os seus filmes, DEAD THINGS de DT Carney e o brasileiro NEVERMORE. O que você pensa sobre o estilo voltar a ganhar alguma atenção dos realizadores e fãs de horror?
Essa é uma questão complicada. Penso que os fãs de horror estão mais esnobes do que nos velhos tempos. A gente tinha capacidade de lucrar mais, os padrões estão muito altos agora, qualquer um pode fazer um filme hoje e o equipamento é tão avançado que você tem garotos fazendo filmes visualmente bem feitos e existem muitos deles sendo realizados. Enquanto isso, o mercado para esses filmes está secando, estamos na beira de uma enorme mudança na mídia. Creio que os dias do DVD estão contados e logo logo veremos tudo através de streaming online, eu não estou animado pela chegada deste dia. Então eu digo que mais filmes deveriam ser assistidos pelo entretenimento, não pela arte, se é que isso faz algum sentido. Todo mundo pode ser um critico. Divirtam-se, essa é a minha filosofia. O horror nada mais é que o punk rock da indústria do cinema, nós temos muitos fãs de The Smiths por aí hahahaha. Sem ofensas.

NE: Walter sabia que eu gosto de The Smiths... (risos)


(da esquerda para a direita, JUNKFOOD HORRORFEST, HORRORAMA e NIGHTMARE ALLEY)


VeV - Por quê Scarlet Fry parece ser um personagem diferente em cada uma de suas antologias?
Queria brincar com a idéia de que Scarlet Fry poderia ser qualquer um. Eu o deixo ter a sua própria personalidade, isso é o que é tão assustador a seu respeito. Não faço idéia quando Scarlet e o meu Eu real começam. Desde que criei o personagem, me vejo vestido de drag e inalando pimenta chili. O que diabos está errado comigo?

Em HORRORAMA, o apresentador era mais tradicional, com um visual como o Alice Cooper dos velhos tempos. Daí tivemos o caipira cheirador de pimenta chili (em JUNKFOOD HORRORFEST). Então voltamos ao tradicional (em NIGHTMARE ALLEY). Desta vez (em SCREAM MACHINE), Scarlet tira uma folga, estamos fazendo uma antologia mais séria que será minha homenagem a Amicus e a Hammer com muito gore e humor. Será interessante, tenho a melhor equipe que já consegui reunir e estou muito excitado!

VeV - O que você fez entre HORRORAMA e JUNKFOOD HORRORFEST?
Entre HORRORAMA e JUNKFOOD eu apareci em diversos filmes de gênero como GROSS OUT, dos produtores de JANTAR SANGRENTO, SATAN'S STORYBOOK com Ginger Lynn. Fiz um filme com Tuesday Knight de A HORA DO PESADELO IV. Também fiz muita figuração em Hollywood e alguns curtas que não foram para lugar nenhum. Mas nunca deixei a indústria, trabalhei para a Camp Video nos anos 80, posso dizer que tenho uma longa história no horror.

VeV - Tenho certeza que foi difícil encontrar um distribuidor para HORRORAMA, já que ele tinha apenas 30 minutos de duração. JUNKFOOD HORRORFEST conseguiu um bom lançamento recente através da Chemical Burn. O que você pensa da distribuição de filmes de gênero independentes hoje?

Se JUNKFOOD e NIGHTMARE ALLEY fossem realizados nos anos 80 e conseguissem distribuição em VHS, hoje eu seria um cara rico. Se você conseguir vender mil cópias nos tempos atuais, você é um cara de sorte.

JUNKFOOD foi lançado primeiramente sem extras em um pack com 50 outros filmes de terror. Desta vez, temos a versão do diretor com cenas deletadas, erros de gravação com Calico Cooper e mais dois filmes apresentados por mim, CARNIVAL OF SOULS e HORRORAMA. Uma senhora edição especial.

VeV - Como foi trabalhar com Calico Cooper (filha de Alice) em JUNKFOOD HORRORFEST?
Foi muito divertido, ela é bem profissional. Tive medo de que ela caísse no beco onde filmamos a sua participação, tinha muito vidro lá e Alice me mataria. Mas Sheryl – esposa de Alice e mãe de Calico – estava no set e ela só fazia rir, daí pensei “Nossa, esse pessoal é mais louco do que eu. Isso é demais!” Gostaria de trabalhar com Calico novamente, mas não é tão fácil hoje, eu a tive no início de sua carreira como atriz.

VeV - Já que agora você também está trabalhando para a Chemical Burn, como VP de aquisições, poderíamos saber quais são os requisitos básicos para um filme que poderia interessar à distribuidora?

Sim, nós procuramos por filmes de gênero interessantes que tragam algo de novo e óbvio, qualidade. Todo mundo pode fazer um filme hoje, não estamos procurando por filmes classe C (risos). Um filme com boa estória, bem filmado, bons atores é tudo o que você precisa. E gore, claro.

VeV - Como é o retorno do público em relação aos filmes lançados?
O público é sensacional. Somos muito gratos a todos os fãs do cinema de horror.

VeV - Walter, sinta-se à vontade e deixe um recado para os amigos brasileiros e fãs do gênero que estão lendo a entrevista.

Por favor, confira os meus filmes. Eles são divertidos, apenas querem ser grosseiros e fazer você rir. Obrigado.


Agradecemos a Walter Ruether pelo tempo concedido para a entrevista

sábado, dezembro 24, 2011

Feliz Natal!

MY NAME IS KRIS KINGLE (2011)

Primeiro teaser de THE PENNY DREADFUL PICTURE SHOW - VOL. 1



Four chilling tales of terror, hosted by the ghoulishly sassy Penny Dreadful

Slash-In-The-Box: Written and Directed by Nick Everhart
The Scout: Written and Directed by Nick Everhart
The Slaughter House: Written and Directed by Leigh Scott
The Morning After: Written and Directed by Eliza Swenson

LUA PERVERSA - WEBSÉRIE COMPLETA







http://escriturasdaluacheia.blogspot.com

quinta-feira, dezembro 08, 2011

OS VENCEDORES DO 6º CINEFANTASY


LONGAS METRAGENS

Troféu "Corpo Seco Dourado"
MELHOR LONGA POR JURI POPULAR
ALUCARDOS – RETRATO DE UM VAMPIRO (Doc, Horror, México, 2010)
Direção: Ulises Guzmán

MELHOR LONGA HORROR
MALDITOS SEAN! (Ficção, Fantasia/Horror/Ficção-Científica, Argentina, 2011)
Direção: Demian Rugna e Fabian Forte

MELHOR LONGA FICÇÃO CIENTIFICA
DIE FARBE (Ficção, Horror, Alemanha, 2010)
Direção: Huan Vu

MELHOR LONGA FANTASIA
KROKODYLE (Ficção, Fantasia, Itália, 2010)
Direção: Stefano Bessoni

MELHOR LONGA DIREÇÃO
ALUCARDOS – RETRATO DE UM VAMPIRO (Doc, Horror, México, 2010)
Direção: Ulises Guzmán

MELHOR LONGA ROTEIRO
HAROLD’S GOING STIFF (Ficção, horror, Grã-Bretanha, 2010)
Direção e Roteiro: Keith Wright

MELHOR LONGA TRILHA SONORA
O GURI (Ficção, Fantasia, Brasil, 2011)
Direção: Zeca Brito
Trilha Sonora: Luiz Felipe Damiani

MELHOR LONGA MAQUIAGEM / EFEITOS
A DAY OF VIOLENCE (Ficção, Horror, Reino Unido, 2010)
Direção: Darren Ward
Efeitos/Maquiagem: Cesar Alonso, Stuart Browne, Scott Orr, Alastair Vardy

MELHOR LONGA CRIATURA
A NOITE DO CHUPACABRAS (Ficção, Horror, Brasil, 2011)
Direção: Rodrigo Aragão
Walderrama dos Santos – Chupacabras


MELHOR LONGA VÍTIMA
MALDITOS SEAN! (Ficção, Fantasia/Horror/Ficção-Científica, Argentina, 2011)
Direção: Demian Rugna e Fabian Forte
O Delegado

MELHOR LONGA VILÃO
MALDITOS SEAN! (Ficção, Fantasia/Horror/Ficção-Científica, Argentina, 2011)
Direção: Demian Rugna e Fabian Forte
Os Anões

CURTAS METRAGENS

MELHOR CURTA POR JURI POPULAR
BUNNY THE KILLER THING (Ficção, horror, Finlândia, 2011)
Direção: Joonas Makkonen


MELHOR CURTA HORROR
WILT (Ficção, horror, Alemanha, 2011)
Direção: Daniel Vogelmann

MELHOR CURTA FICÇÃO CIENTIFICA
DECAPODA SHOCK (Ficção, ficção científica, Espanha, 2011)
Direção: Javier Chillon

MELHOR CURTA FANTASIA
EMPLOYEE OF THE MONTH ( Ficção, fantasia, Suíça, 2011)
Direção: Olivier Beguin

MELHOR CURTA ANIMAÇÃO


THE BACKWATER GOSPEL
(Animação, ficção científica, Dinamarca, 2011)
Direção: Bo Mathorne

MELHOR CURTA DIREÇÃO
WILT (Ficção, horror, Alemanha, 2011)
Direção: Daniel Vogelmann

MELHOR CURTA ROTEIRO
WILT (Ficção, horror, Alemanha, 2011)
Direção: Daniel Vogelmann
Roteiro: Lukas Becker, Mathias Brod, Daniel Vogelmann

MELHOR CURTA TRILHA SONORA
Y VOLVERÉ… (Ficção, horror, México, 2010)
Direção: Edgar Nito
Trilha Sonora: Los Bunkers, Twin Tones

MELHOR CURTA MAQUIAGEM
BRUTAL RELAX (Ficção, horror, Espanha, 2010)
Direção: Adrián Cardona, Rafa Dengrá e David Muñoz

MELHOR CURTA EFEITOS
EMPLOYEE OF THE MONTH ( Ficção, fantasia, Suíça, 2011)
Direção: Olivier Beguin

MELHOR CURTA CRIATURA
BUNNY THE KILLER THING (Ficção, horror, Finlândia, 2011)
Direção: Joonas Makkonen
Matti Kiviniemi – Bunny the Killer Thing

MELHOR CURTA VÍTIMA
AMY’S IN THE ATTIC (Ficção, horror, Canadá, 2011)
Direção: Matthew Saliba
Kayden Rose – Amy

MELHOR CURTA VILÃO
LAVAGEM(Ficção, horror, Brasil, 2010)
Direção: Shiko
O Pastor

PRÊMIO ESTÍMULO AMADOR
VELHO MUNDO (Ficção, fantasia, Brasil, 2010)
Direção: Armando Fonseca

PRÊMIO ESTÍMULO ESTUDANTE
DUAS VIDAS PARA ANTONIO ESPINOSA (Ficção, fantasia, Brasil, 2011)
Direção: Caio D’Andrea e Rodrigo Fonseca

MENÇÃO HONROSA REVELAÇÃO
EU & A LOIRA (Ficção, fantasia, Brasil, 2011)
Direção: Lucas Calmon

PRÊMIO ESPECIAL DESAFIO MESTRE DOS GRITOS

NEGATIVE IMAGE (Ficção, Horror, Reino Unido, 2011)
Direção: Karl Holt

quinta-feira, dezembro 01, 2011

Ken Russell (1927-2011)




Obrigado

Lançamento do livro "VIDA É JOGO! Ensaios de História, Cinema e Esporte"

São tantas emoções... no mês de novembro, tivemos o lançamento do livro "VIDA É JOGO! Ensaios de História, Cinema e Esporte". Nele, podem ser encontrados um artigo do amigo Cesar Almeida sobre Rollerball (1975) e outro sobre Rocky IV (1985), escrito por mim. Ele pode ser adquirido pela editora Suliani ou através do organizador Rafael Quinsani (rafarhq@yahoo.com.br). É o primeiro livro lançado com um texto de minha autoria, posso dizer que estou muito feliz por esse acontecimento. Tudo indica que ele também estará disponível para todo o Brasil na Livraria Cultura.

Espero que vocês apreciem a leitura. Muito obrigado!

VIDA É JOGO!
Ensaios de História, Cinema e Esporte.


Cesar Augusto Barcellos Guazzelli
Charles Sidarta Machado Domingos
José Orestes Beck
Rafael Hansen Quinsani
(orgs)

Abaixo os capítulos e autores:

Prefácio
Humanos e(m) seus jogos: brincando de lutar pela vida
Cesar Augusto Barcellos Guazzelli

A Barbárie anda a Cavalo: estepes, correrias e sangue!
Cesar Augusto Barcellos Guazzelli

Guerra Fria e Rocky Balboa: a ideologia e o golpe em uma era
Charles Sidarta Machado Domingos

Rocky IV, Boxe e a Guerra Fria
Fatimarlei Lunardelli

O Caminho para Berna passou por Kiev: Queda e Ascensão da Deutsch Nationalmannschaft Fussball
Gerson Wasen Fraga
Cesar Augusto Barcellos Guazzelli

A classe operária “não” vai ao paraíso: Ken Loach procurando Eric no mundo globalizado
Rafael Hansen Quinsani

El camino de San Diego: futebol, identidade e cultura popular
Álvaro Antonio Klafke

O futebol como pretexto
Arlei Sander Damo

“Quanto dinheiro há aqui?”
Nilza Silva

“Homens Brancos não Sabem Enterrar”: Raça, Classe e Esportes no Cinema Estadunidense
Walter Günther Rodrigues Lippold

Carruagens de Fogo: o nacionalismo esportivo do entre - guerras
Carla Brandalise

Paris exige cavalheirismo: contradições do esporte moderno em Carruagens de Fogo
Miguel Enrique Stédile

Decifrando os Códigos de Munique, de Steven Spielberb
Diorge Alceno Konrad

África do Sul: Racismo e Resistência
Jeferson Garcia
Luiz Dario Teixeira Ribeiro

Gladiadores do futuro ou o futuro dos gladiadores? Jogo, Espetáculo e Morte no Rollerball
José Orestes Beck e Cesar Augusto Barcellos Guazzelli

Posfácio
Cinema: representações de mulheres na modernidade
Jaqueline Alves de Moraes

Extras

Fichas Técnicas dos Filmes

John Frankenheimer: um transgressor esquecido?
Rafael Hansen Quinsani

Rocky IV (1985): Estados Unidos vs. União Soviética em um ringue de boxe
Osvaldo Neto

A família milagrosa de Berna
Fagner dos Santos

O caminho de San Diego e a Odisséia de Benítez
Gerson Wasen Fraga

Um olhar sobre o basquete
Cristiano Goulart Borges

Porto Alegre e o Esporte: Civilização e Independência nos anos da Guerra Fria
Charles Sidarta Machado Domingos

MUNIQUE
Adriana Dorfman

Contexto Sul-Africano e a Copa do Mundo de Rugby de 1995
Rafael Belló Klein

Eric Cantona: de “l’enfant terrible” a rei de Old Trafford
Rafael Belló Klein

Gladiadores de ontem, hoje e amanhã
César Almeida

sexta-feira, novembro 25, 2011

LUA PERVERSA - A SÉRIE


Posso dizer que um ótimo momento do Vá e Veja no ano passado foi a postagem da entrevista realizada com o nosso amigo André Bozzetto Jr. É sempre um prazer divulgar o seu trabalho. André tem enorme fascínio pelo mito do lobisomem, algo que tem marcado a sua carreira na literatura fantástica e cinema independente brasileiros. LUA PERVERSA - A SÉRIE é a mais nova empreitada do autor no universo de seu monstro mais querido, uma websérie de três episódios estrelada por Petter Baiestorf, Coffin Souza e Alan Cassol, que também participaram de LUA PERVERSA, curta realizado por André em 2009 que como o próprio título já informa, foi a origem do projeto. Elio Copini - presença nos filmes de Petter e Coffin - junta-se ao trio de protagonistas da série. Jonas, o personagem interpretado por Petter é, desde já, uma figuraça que merece fazer parte de futuras produções.

Confira o episódio piloto que já se encontra disponível logo abaixo e fique atento aos blogs Escrituras da Lua Cheia, Canibuk e claro, aqui no Vá e Veja para a divulgação dos próximos episódios da websérie.

Entrevista com André Bozzetto Jr.

quarta-feira, novembro 16, 2011

Curta - SLASH-IN-THE-BOX (2011, EUA)



SLASH-IN-THE-BOX lida com um tema que costuma render bons filmes de horror: brinquedos sinistros. O diretor/roteirista Nick Everhart contou com a preciosa ajuda dos amigos Leigh Scott e Eliza Swenson, todos ex-alunos da The Asylum, para rodar o curta em uma noite e finalizá-lo em uma semana. O resultado final são 5 simpáticos minutos que provavelmente deixarão um sorriso no rosto dos fãs do gênero.

Site oficial: http://www.popgoestheevil.com/

Leia a entrevista do Vá e Veja com o realizador Leigh Scott

RUGGERO DEODATO É O PRINCIPAL CONVIDADO E HOMENAGEADO DO 6°. CINEFANTASY



** programação especial no dia 22/11, na Cinemateca Brasileira
** Bate Papo com o diretor após a sessão de “Holocausto Canibal”, às 20h

O diretor italiano Ruggero Deodato, responsável pelo aclamado “Holocausto Canibal” (Cannibal Holocaust - 1980), clássico que é referência para todos os diretores do gênero mais violento do horror, é o principal convidado da 6° edição do Cinefantasy – Festival Internacional de Cinema Fantástico e ganha programação especial no dia 22/11, na Cinemateca Brasileira.

O diretor de 72 anos, que vem ao Brasil para apresentar o filme “Holocausto Canibal” e participar de um bate papo após a sessão, é conhecido por ser um dos cineastas mais polêmicos da história do cinema. Deodato começou sua carreira como assistente de direção de Roberto Rosselini e Sergio Corbucci, em filmes como “Django”.

Em 1977 dirigiu "O Último Mundo dos Canibais" (The Last Cannibal World), onde um homem tenta escapar de uma floresta em uma ilha dominada por uma tribo de canibais. Foi o filme que trouxe a tona o gênero de filmes sobre canibais e que o impulsionou a dirigir em 79 o filme " Holocausto Canibal” (Cannibal Holocaust), que causou grande controversa na Itália e Reino Unido, devido à violência extrema e ultra-realista, obrigando Deodato a revelar os segredos por trás dos efeitos especiais e levar os atores principais frente à corte Italiana, para provar que eles estavam vivos de fato.

“Holocausto Canibal” segue a linha de "falso-documentário", formato copiado inúmeras vezes como os filmes "A Bruxa de Blair” (The Blair Witch Project) e o mais recente "REC".

Já o filme “House On The Edge Of The Park”, que também está na programação especial do Dia D, conta a história de dois vagabundos arruaceiros que entram sem ser convidados em uma festa chique. Após serem expulsos por seus anfitriões esnobes, os fazem de refém e os submetem a diversos tipos de tortura e sofrimento.

Sobre o Cinefantasy:
A 6ª edição do CineFantasy, acontece de 22/11 a 04/12 em São Paulo, nas salas do Centro Cultural São Paulo, CineSesc, e sala Luiz Sérgio Person (Biblioteca Viriato Correa). Patrocinado pelo ProAC da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, a edição deste ano do CineFantasy conta com os apoios da Prefeitura da cidade de São Paulo, Secretaria Municipal de Cultura e Governo do Estado de São Paulo.

PROGRAMAÇÃO - RUGGERO DEODATO - DIA D

22/11 – TERÇA-FEIRA
CINEMATECA BRASILEIRA
LARGO SEN. RAUL CARDOSO, 207

16h30
O ULTIMO MUNDO DOS CANIBAIS (Ultimo Mondo Canibale)
(Ficção, Horror, Itália, 1977, 95’, 35mm)

Direção: Ruggero Deodato
Elenco: Massimo Foschi, Ivan Rassimov, Me Me Lai, Sheik Razak Shikur, Judy Rosly

Alegadamente baseado numa história real (o que não é verdade), o filme mostra o drama de Robert Harper, um magnata do ramo do petróleo, que, perdido nas selvas da Nova Guiné, é aprisionado por uma tribo de primitivos que vivem nos tempos das cavernas e praticam o canibalismo.

18h30

HOUSE ON THE EDGE OF THE PARK (La Casa Sperduta Nel Parco)
(Ficção, Horror, Itália, 1980, 91’, 35mm)
Direção: Ruggero Deodato.
Elenco: David Hess, Annie Belle, Christian Borromeo, Giovanni Lombardo Radice, Marie Claude Joseph, Gabriele Di Giulio

Dois vagabundos arruaceiros entram sem ser convidados em uma festa chique. Após serem expulsos por seus anfitriões esnobes, os fazem de refém e os submetem a diversos tipos de tortura e sofrimento.

20h

HOLOCAUSTO CANIBAL (Cannibal Holocaust)
(Ficção, Horror, Itália, 1980, 95’, 35mm)

Direção: Ruggero Deodato.
Elenco: Robert Kerman, Francesca Ciardi, Faye Daniels, Perry Pirkanen, Luca Barbareschi, Salvatore Basile

Professor da Universidade de Nova York vai atrás de uns documentaristas perdidos, quando esses saíram para filmar na Amazônia. Lá chegando, ele descobre os horrores que eles passaram nas mãos de canibais.
** Bate Papo com o diretor Ruggero Deodoto após a sessão do filme “Cannibal Holocaust” - com a participação do crítico de cinema Luiz Carlos Merten e do jornalista especialista em horror italiano Paolo Zelati.

Serviço:
6o CineFantasy – Festival Internacional de Cinema Fantástico

Programação especial – RUGGERO DEODATO - Dia D
22/11 – TERÇA-FEIRA
ONDE: CINEMATECA BRASILEIRA
ENDEREÇO: LARGO SEN. RAUL CARDOSO, 207 - VILA MARIANA

16h30 - O ULTIMO MUNDO DOS CANIBAIS (Ultimo Mondo Canibale)
18h30 - HOUSE ON THE EDGE OF THE PARK (La Casa Sperduta Nel Parco)
20h- HOLOCAUSTO CANIBAL (Cannibal Holocaust)
** Bate papo com o diretor após a sessão

6o Cinefantasy
Quando: 22/11 a 04/12
Salas de Exibição:Centro Cultural São Paulo - Rua Vergueiro, 1000
Quanto: R$ 1

Biblioteca Viriato Correia -R. Sena Madureira, 298, V. Mariana
Entrada Gratuita

CineSesc - R. Augusta, 2075
Quanto: R$2,00 a R$8,00 (inteira)

Cinemateca Brasileira - Largo Senador Raul Cardoso, 207 - Vila Clementino
Quanto: R$ 8,00 (inteira) / R$ 4,00 (meia-entrada). Estudantes de escola pública tem direito à entrada gratuita mediante apresentação de carteirinha.

Site oficial: http://www.cinefantasy.com.br/

Fonte: ATTI Comunicação e Idéias (valeria@atticomunicacao.com.br)

quarta-feira, outubro 26, 2011

A METADE NEGRA (The Dark Half, 1993, EUA)


A METADE NEGRA é um filme obrigatório aos interessados pela filmografia de George A. Romero, que não se resume a um punhado de excelentes filmes de zumbis. Trata-se de um mergulho na mente de um dos únicos autores que continuam imprimindo a sua marca dentro do cinema de terror.

O longa é conduzido com habilidade por Romero e tem apoio no excelente desempenho do subestimado Timothy Hutton em desafiador papel duplo. Hutton interpreta Thad Beaumont, um escritor com problemas de alcoolismo no passado, mas que hoje só tem olhos para a esposa (Amy Madigan) e seus dois filhos gêmeos, ainda bebês. Thad leva uma vida dupla como autor: ele assina suas novelas mais "sérias" usando o próprio nome, que são reconhecidos apenas pela crítica e intelectuais, mas os livros que garantem um melhor padrão de vida para a sua família são as violentas histórias sobre um assassino chamado Alexis Machine, assinadas com o pseudônimo George Stark. Tudo está tranquilo até o dia em que um verme chamado Fred Clawson (Robert Joy, que trabalharia com Romero em TERRA DOS MORTOS) aparece na universidade onde Beaumont ensina para chantageá-lo, pois ele teve acesso à informação de que o então autor intelectual também é responsável pela literatura popularesca assinada por Stark. Para não ceder às pressões do chantagista, o escritor decide "enterrar" Stark, revelando ao público que também é o autor dos livros de Alexis Machine. A partir deste momento, pessoas relacionadas com a carreira de Beaumont começam a ser assassinadas e para o desespero dele e de sua família, ele é o principal suspeito dos crimes pelo xerife Alan Pangborn (Michael Rooker), pois as suas digitais sempre são encontradas nas cenas dos crimes. Tudo passa a indicar que George Stark, a Metade Negra de Beaumont, ganhou vida. Uma adorável Julie Harris e Royal Dano em seu último filme completam o elenco em pequenos papéis.


Embora baseado no livro de Stephen King, A METADE NEGRA não deixa de ser um dos trabalhos mais pessoais de Romero. É fácil perceber o quanto Romero se identificou com o material, onde King faz referências ao período em que assinou seus romances como Richard Bachman, entre eles A MALDIÇÃO DO CIGANO. Basta notarmos as semelhanças entre o cineasta e Thad Beaumont, que seria o Romero de MARTIN, O EXÉRCITO DO EXTERMÍNIO e CAVALEIROS DE AÇO, mais apreciado pela crítica e seus fãs, enquanto que Stark é o Romero favorito do público e fãs de horror em geral, o dos zumbis com a Trilogia dos Mortos, TERRA, DIÁRIO e ILHA DOS MORTOS. Pena que A METADE NEGRA perca boa parte de seu fôlego rumo ao final, inclusive tomando rumos previsíveis, o que não o impede de continuar sendo mais que um simples filme do gênero.

Entre A METADE NEGRA e BRUISER, tivemos um hiato de sete anos sem filmes de Romero. Foi necessário que ele fizesse outro (grande!) filme de zumbi cinco anos depois para voltar a ser mais ativo, mesmo que isso signifique ele se repetir e não fazer algo realmente diferente nos últimos anos. O seu próximo trabalho inclusive é outro longa com zumbis anunciado recentemente, além de uma refilmagem de PRELÚDIO PARA MATAR, clássico de Dario Argento, com quem foi parceiro em DESPERTAR DOS MORTOS e DOIS OLHOS SATÂNICOS. Ao que tudo indica, a "Metade Negra" de Romero está tomando conta de sua cabeça.

quinta-feira, outubro 20, 2011

The Asylum, sempre cheia de novidades


Imagens dos bastidores de GRIMM'S SNOW WHITE também foram divulgadas no site da produtora. Enquanto alguns leitores sentiram calafrios na espinha só por imaginar como seria uma versão The Asylum para a clássica estória dos Irmãos Grimm, eu confesso que estou bem curioso para ver o resultado final. A direção é de Rachel Goldenberg, de SHERLOCK HOLMES, um dos melhores 'mockbusters' da produtora e o script vem da roteirista Naomi Selfman, de várias produções da casa, como MEGA SHARK VS. CROCOSAURUS e EVIL EYES, com Adam Baldwin e Udo Kier. Por conta dessas boas colaborações anteriores, fico mais animado pela reunião das duas num mesmo projeto, que já teve as suas filmagens encerradas em Vienna. Lançamento em DVD e VOD marcado para 13/03/12.

Bastidores de GRIMM'S SNOW WHITE

Foi lançado o trailer de 11/11/11 na última segunda-feira. Dirigido por Keith Allan e estrelado por Jon Briddell e Hayden Byerly, o filme lida com uma família que descobre que o seu filho é a porta de entrada para o Apocalipse. O caos tomará conta do mundo no dia de seu aniversário, 11/11/11. Pelo trailer, o processo de criação do roteiro foi jogar A PROFECIA e O EXORCISTA no liquidificador. Lançamento em DVD e Blu-Ray marcado para o dia 01/11, data propícia para pegar os desavisados que irão confundir com um outro filminho aí do diretor de uns JOGOS MORTAIS que entrará em cartaz nos cinemas.



A The Asylum quer saber de sua opinião. Você se interessaria em fazer parte de uma comunidade com conteúdo exclusivo? Participe da enquete e também corra o sério risco de faturar 1 DVD de A HAUNTING IN SALEM ou 3 MUSKETEERS como agradecimento.

The Asylum's Inmates-Only Area





Tive o prazer de "vazar" um teste de efeitos para 2-HEADED SHARK ATTACK na Internet, que consegui de uma fonte de uma fonte do alto escalão da produtora. Trata-se do novo filme de Christopher Douglas-Olen Ray (ALMIGHTY THOR, MEGA SHARK VS CROCOSAURUS) com roteiro de H. Perry Horton (A HAUNTING IN SALEM) e estrelado por Carmen Electra. Trata-se de um teste, não são efeitos finais, mas é algo que já nos dá uma idéia da insanidade que pode ser esse filme.



Stay tuned for more! ;)

segunda-feira, setembro 26, 2011

Trailer de JOHN DIES AT THE END, novo filme de Don Coscarelli

Adaptação do livro homônimo de David Wong



Bônus: Livro completo em PDF

MISSÃO LASER (Laser Mission, 1990, EUA)


Quem espera grande coisa de uma produção cujo título sequer chama a atenção mesmo tendo relação direta com a história? Some isso ao fato de termos Brandon Lee em sua estréia no cinema americano e Ernest Borgnine juntos numa mistureba ingênua de ação e ficção científica. E ainda temos a música-tema sendo executada mais de 5 vezes em todo o filme, levando o espectador a crer que David Knopfler (irmão de Mark Knopfler e ex-Dire Straits) não recebeu o suficiente para elaborar uma trilha sonora completa.


Brandon Lee (que teria uma provável bela carreira interrompida devido ao seu brutal falecimento durante as filmagens de “O Corvo”) é Michael Gold, um mercenário norte-americano enviado a um país ditatorial fictício com o propósito de contatar o professor Braun (Ernest Borgnine, mandando ver no falso sotaque alemão) e lhe propor asilo nos Estados Unidos. Braun possui o projeto de uma arma à laser guardada na memória, que só pode ser elaborada com a inclusão de um famoso e caro diamante roubado no início do filme. Gold promete liberdade total e segurança no seu novo lar, pois a criação não pode cair em mãos erradas. Durante a conversa, ambos acabam atingidos por dados tranquilizantes no pescoço. Aprisionado pelo horrendo (no mal sentido…) Coronel Kalishnakov (Graham Clarke) e sem idéia do paradeiro do simpático senhor, resta ao mercenário aturar um guarda tosco dizendo “We cut off your head mañana!!”, escapar da cela, falar com seus contratantes e iniciar uma missão de resgate.

Requisitos como os descritos acima fazem qualquer produçãozinha ser diversão garantida para os apreciadores de um bom filme ruim. “Missão Laser” pode ser visto como um belo cartão de visitas para as filmecos fuleiros do gênero que infestaram os cinemas e as prateleiras das locadoras nos anos 80. O leitor deve estar se perguntando: – Peraí, mas ele não foi feito em 1990? Exatamente, o roteiro é uma tremenda colcha de retalhos de todos os clichês e besteiras destas saudosas produções. O básico do básico está presente: o moçinho fodão que pouco está ligando para as situações perigosas, a gatinha ajudante (aqui, Debi Monahan), o vilão imbecil, os personagens cômicos sem a menor graça e um veterano decadente fazendo participação especial.


E tome queijo. Numa fuga em cima dos telhados de uma residência, Michael Gold cai na sala de jantar desta, quebrando tudo. Depois de se levantar sem sofrer um mísero arranhão, ele segue rumo a concluir seu objetivo, quando olha o casal assustado e diz: – Só vim aqui para dizer… bom apetite!! Com tamanha esculhambação, fica impossível não sentir pena ao ver Ernest Borgnine, astro de obras do porte de “Os Doze Condenados”, “Meu Ódio Será Sua Herança” e “O Imperador do Norte” (só para citar três…) encarando furadas deste nível para faturar uns trocados. Já os vilões Graham Clarke e Werner Pochath (falecido em 1993, vítima da AIDS) mostraram que são bons profissionais. Deveriam ter observações assim no roteiro: para quem for Kalishnakov, seja bem ridículo; para quem for Eckhardt, seja mais ridículo ainda e tente fazer umas expressões faciais toscas para mostrar a insanidade do personagem. Eles conseguiram.


Algo que não deve ser cobrado em “Missão Laser” é lógica. Acreditem, depois de um cena de tiroteio no meio urbano, os protagonistas seguem rumo a estrada e vão parar num deserto!! Também não dá para decifrar onde diabos se passa a história. O país tem a aparência de ser localizado na África, com o idioma falado sem definição entre inglês e espanhol (alguns falam só o idioma britânico ou latino e outros, como o guarda tosco, misturam os dois) e escritos em português. Falando nisso, todos os sotaques dos atores americanos interpretando estrangeiros são um ponto a mais para o fator trash da produção.

Enfim, apesar da ruindade geral, o filme tem um bom visual graças aos cenários escolhidos pelos produtores. Mas isso pouco importa. O importante mesmo é que “Missão Laser” diverte quem curte ficar tirando sarro das babaquices enquanto confere alguma bobagem inofensiva de vez em quando (senão o cérebro atrofia hehehe).

NA: 01 – Infelizmente, dá para notar que alguns momentos foram editados pela censura como uma decapitação, uma cena de sexo e a morte de um dos principais vilões. Segundo um usuário no IMDb, a versão sem cortes é a intitulada “Soldier of Fortune”.

02 – Os direitos de copyright do longa caíram em domínio público. Então, qualquer um que adquira uma cópia do filme pode distribuí-lo a vontade que não tem bronca com a lei. Segue um link para download desta pérola via este excelente site especializado em torrents de filmes em domínio público: http://www.publicdomaintorrents.com/

Texto escrito originalmente para o hoje extinto site Erotikill. Dedico a postagem ao amigo Leopoldo Tauffenbach, a quem tive o prazer de conhecer 'in persona' na passagem por São Paulo e que teve a "sorte" de assistir a essa pérola do cinema nos últimos dias. :)

...is back!

quarta-feira, setembro 21, 2011

quarta-feira, setembro 14, 2011

Um tributo a Cliff Robertson, por Steve Latshaw

O roteirista de MACH 2 escreve sobre como foi conhecer e trabalhar com o lendário ator durante as filmagens deste pequeno filme de ação dirigido por Fred Olen Ray.

Dick Cavett tenta entrevistar John Cassavetes, Peter Falk e Ben Gazzara (1970)





segunda-feira, setembro 12, 2011

Trailer e poster de CHILLERAMA


PACIFIC, disponível para download gratuito

Não é bem a praia do blog, mas essa notícia eu faço questão de compartilhar. A partir de hoje, PACIFIC pode ser baixado gratuitamente em seu site oficial. O filme de Marcelo Pedroso é um dos melhores e mais curiosos documentários que assisti em anos. A produção também abriu portas para uma calorosa e válida discussão sobre as fronteiras desse cinema. PACIFIC merece demais ser visto.

Boa sessão.



domingo, setembro 11, 2011

quinta-feira, setembro 08, 2011

Recordar é viver: PM Entertainment e DUPLA EXPLOSIVA (1996-1998)


A PM Entertainment foi uma bem sucedida produtora e distribuidora de filmes de ação para o mercado doméstico nos anos 90. Estamos lidando com o lado B do cinema, mas ainda assim, os títulos da PM sempre rivalizavam com as produções dos grandes estúdios para os cinemas em termos de sequências de ação. Claro que os orçamentos não eram os mesmos, diferenças e limitações poderiam ser notadas pelos espectadores, mas isso nunca importou muito. Podemos dizer o mesmo de alguns roteiros filmados por ela (risos).

Foram esses filmes que me fizeram prestar atenção nos créditos finais para dublês e seus coordenadores pela primeira vez como cinéfilo. Seriam muitas as vezes que veria o nome de artistas do ofício como Art Camacho, Cole McKay e Patrick Statham depois. Não se deve comparar o sofrimento dos dublês que já trabalham para John Woo, mas aqueles que trabalharam na PM também não ficam muito atrás. Sangue, suor e lágrimas certamente foram derramados nos sets de filmagens da PM, o esforço e talento por trás das sequências de ação continuam inegáveis com seus tiroteios, lutas, explosões e alguns dos 'stunts' mais ousados de seu período.

Assim como a própria PM, uma divertida série televisiva chamada DUPLA EXPLOSIVA (LA Heat) hoje se encontra vítima do esquecimento. Ela foi desenvolvida no auge da produtora sem o apoio de uma grande rede de emissoras, fazendo mais sucesso no mercado estrangeiro do que nos Estados Unidos. O seriado durou duas temporadas totalizando 48 episódios repletos de cenas de ação, as mais caras sempre recicladas de filmes da PM. Estrelado por Wolf Larson, Steven Williams, Renée Tenison e Kenneth Tigar, o programa seguia a linha de MÁQUINA MORTÍFERA e MIAMI VICE com os protagonistas caçando praticamente todo tipo de criminosos. Aqui no Brasil, ela fez a alegria de muitas manhãs de sábado na Rede Globo durante o final dos anos 90 e contou com as participações do boxeador Sugar Ray Leonard (que também distribuiu sopapos ao lado de Gary Daniels em RUAS VIOLENTAS, um dos melhores filmes da PM), Sam J. Jones, Robert Miano e Gary Hudson como o principal vilão da segunda e última temporada, aparecendo em 5 episódios. Rever a abertura no YouTube me deu aquela saudade:



Qualquer fã de cinema de ação deveria conhecer um pouco desses filmes produzidos por Richard Pepin e Joseph Merhi, pena que os DVD's lançados aqui no Brasil sejam difíceis de encontrar. Mas com certeza, essa não será a última vez que falo da PM Entertainment aqui no Vá e Veja. Stay tuned!

PS: Sim, eu sou um nostálgico incurável. Não tem jeito. ;-)

domingo, setembro 04, 2011

Resenhas de VHS, revista PsicoVideo (1995)

Fuçando o "The Osvaldo Files" para mais uma pesquisa, me deparei com a PsicoVideo nº. 2, dei uma escaneada na seção VHS da revista e resolvi compartilhar suas páginas com todos vocês.

Não é de hoje que a curta duração passou a ser um mal que assola as publicações do gênero no país: a PsicoVideo durou apenas dois números.