domingo, outubro 10, 2010

TITANIC II (2010, EUA)

Certamente um dos títulos mais engraçados já criados na história do cinema picareta, TITANIC II é mais outro clássico da The Asylum. Uma dessas crias absurdas do cinema que me fazem olhar para dentro de meu ser, construir profundas reflexões psicológicas na tentativa de achar o motivo pelo qual continuo assistindo a esses filmes. Atuações? Furos de roteiro? (D)Efeitos especiais? Pós-produção apressada? Tudo isso e mais, claro, embora não me refira apenas aos filmes da notória produtora. Mas o que me deve fascinar nos 'mockbusters' da The Asylum é que eles são, em sua essência, blockbusters feitos com o orçamento do lanche nas produções dos grandes estúdios. Some-se a isso a curiosidade em ver como a turma se vira a cada filme, por mais que a maioria seja uma enorme perda de tempo para muita gente... menos para mim e outros cinéfilos que se amarram em cinema de baixo orçamento.

TITANIC II não é uma continuação direta do mega sucesso dirigido por James Cameron. O número 'dois' no título refere-se ao transatlântico que serve de cenário principal deste filme. Eu que não pagaria uma nota preta para ser tripulante de qualquer navio feito nos moldes do protagonista de um dos mais famosos incidentes na história da Marinha mundial. E pior ainda, adentrar com ele ao mar no centésimo aniversário do ocorrido! Não, muito obrigado, nem de graça. Mas lógica e bom senso são coisas que não devem ser procuradas quando se assiste a um filme B, quanto mais algo produzido pela The Asylum.

Bruce Davison - em seu 2º filme para a produtora, o 1º foi MEGAFAULT - empresta credibilidade como James Maine, oficial veterano da Guarda Costeira cuja filha Amy (Marie Westbrook) está trabalhando como enfermeira no Titanic II. Se pouca coincidência fosse bobagem, o navio foi um empreendimento de Hayden Walsh (o diretor/roteirista Shane Van Dyke, do superior 6 GUNS) riquinho mimado e ex-namorado da moça. James também recebe um aviso de alerta e se encontra com uma cientista interpretada por Brooke Burns (de SOS MALIBU, ainda dando um caldo) que o informa do quebra-quebra de enormes icebergs capazes de gerar tsunamis. Sentiu o drama? Daí tivemos quase 35 minutos de construção de trama e personagens aliados a uma hilária cena de abertura da qual não revelarei detalhes, até chegarmos no que importa: a fúria da natureza vs. Titanic II com o ataque de um tsunami acompanhado de icebergs. Isso mesmo, nem o Poseidon se ferrou tanto.


Para a surpresa deste elemento de gosto duvidoso que vos escreve, TITANIC II não é ruim. Shane Van Dyke mantém o filme em bom ritmo, injeta alguma tensão no meio de toda a previsibilidade do roteiro e tira o melhor possível do elenco, até mesmo dos coadjuvantes menores. Por exemplo, o engenheiro chefe do navio é interpretado por Mike Gaglio, presença em filmes de Fred Olen Ray, que consegue se sair muito bem na sua pequena participação.

O maior problema da produção é se levar a sério demais para o próprio bem. Trata-se de um dilema: geralmente, os filmes da The Asylum já possuem distribuidores e emissoras de TV interessados antes mesmo da pré-produção. E pelo visto, os compradores não queriam uma sátira dos filmes de desastre (o que seria sensacional...), então TITANIC II acabou sendo um filme padrão do gênero, sem qualquer novidade. Por mim, não faria nenhum mal se o roteiro incluísse uma sociedade secreta de Ninjas encarando Vikings sanguinários com o navio afundando. Detalhe: os Vikings teriam atravessado um portal do tempo por acidente.

E claro, o espectador não precisa levar TITANIC II a sério. Não vejo como alguém pode assisti-lo de outra maneira. Só assim se aproveitará o humor decorrente das situações absurdas, dos diálogos 'científicos' que ninguém entende a não ser os personagens, de Bruce Davison passar 95% do filme dentro de um helicóptero, enfim, tudo o que faz um legítimo filme B divertir. É muito bom ver essa chama acesa em tempos que um mundo cada vez mais ranzinza e atrasado precisa de entretenimento sem noção, feito por gente que goste de chutar o balde, mesmo que ele não possa ir tão longe na maioria das vezes.

5 comentários:

Pedro Henrique disse...

Eu baixei esse, mas não vi ainda!

Osvaldo Neto disse...

Assista se tiver coragem! haha

Fillipe disse...

Eu diria para não perder seu tempo e não ocupar seu computador com isso... Haha...

Nick disse...

Chamar o que aconteceu com o titanic de "incidente" é um tanto quando equivocado. Aquilo foi um desastre. E esse filme, vamos combinar... não é bom de maneira nenhuma. Terrível atuação, trama mal feita que não prende a atenção de quem está vendo. Esse filme sim foi um incidente.

Osvaldo Neto disse...

Mas é claro que não é "bom". É um filme da The Asylum, oras. :)