terça-feira, maio 25, 2010

THE BUTCHER (2009, EUA)

Minha insistência em quebrar a cara em vários filmes B é recompensada quando assisto a uma belezura dessas.

Não é mais nenhuma novidade que considero THE BUTCHER um filmaço. O amigo e comparsa de cinefilia Ronald Perrone fez questão de revelar isso quando escreveu - muito bem - sobre ele. Então, o que falar sobre essa pérola que já não foi dito antes? Um pouco complicado, mas vamos dizer que Jesse V. Johnson tinha em mãos um orçamento apertado, de telefilme medíocre para tapar buraco na programação das TV's. O dublê cineasta tirou leite de pedra.

Eric Roberts comanda a produção com sua presença inconfundível, num dos melhores papéis de sua carreira. Roberts é Merle "O Açougueiro" Hench, um ex-boxeador agora trabalhando como capanga do chefão Murdoch (Robert Davi!), que nota o coração de seu empregado amolecer com o avanço da idade, quando deixa dois bandidinhos escaparem vivos de uma emboscada. Ele e sua turma acabam armando uma das pesadas para Merle. Só que eles acabarão descobrindo da pior maneira possível que não deveriam ter se metido com "O Açougueiro".


O elenco se completa por outros rostinhos bonitos como Keith David, Geoffrey Lewis, Michael Ironside, Jerry Trimble, Vernon Wells, Duane Whitaker e Bokeem Woodbine. Embora todos eles sejam coadjuvantes de luxo e participações especiais, Jesse tirou o melhor do limitado tempo de cena de cada um deles. Os três primeiros que foram citados interpretam os personagens com quem Merle tem algo mais próximo de uma amizade. Ironside é um assassino de aluguel e Lewis o bonachão dono de uma loja de armas. Keith David é um bookmaker para quem Merle deve muito dinheiro, mas que gosta tanto do sujeito que se sente mal quando tem de mandar dois brutamontes descerem a porrada nele para cobrar as dívidas. Um pequeno grande papel para um ator tão desperdiçado como ele atualmente. Jerry Trimble rouba os minutos que aparece, compondo um tipo pra lá de odioso. É muito bom ver esse então astro das minhas noites de terça na Bandeirantes (Sessão Kickboxer!!) tão bem e seguro em cena. A única presença feminina de destaque é a finlandesa Irina Bjorklund, como Jackie, a garconete do café que se apaixona pelo matador de coração mole. Não faz nada mal um pouco de romance em meio a tanta testosterona.

O filme se difere do habitual por ser mais próximo do cinema de crime britânico. Não estou falando de Guy Ritchie e cia, mas sim dos tempos de Mike Hodges e cia, especialmente CARTER, O VINGADOR. Jesse V. Johnson conta a sua história sem pressa, com interesse nos diálogos e interações entre os personagens, fazendo eles brotarem alguma vida. E isso faz até mesmo os estereotipados serem mais humanos. Por esse motivo, o roteiro do próprio diretor leva um certo tempo para engrenar e chegar nas reais cenas de ação. Mas quando elas chegam, o espetáculo toma conta da tela. Esqueça câmera tremilique, esqueça medinho de mostrar feridas de bala, esqueça computação gráfica, o que temos é uma sucessão de truculência capaz de deixar RAMBO IV corado de vergonha. Acho que desde FERVURA MÁXIMA não tinha visto a violência retratada desta maneira. Se vivo, Peckinpah chamaria o Jesse para virar uma garrafa de whisky.

THE BUTCHER é um filme que abraça os bons tempos do cinema físico e "old school" dos anos 70 com carinho. Sem deixar de dar o tapinha nas costas, claro, apesar das mãos sujas de sangue.

4 comentários:

Ash disse...

Bela resenha!...Fiquei babando pra ver o filme agora. Tomara que com Os Mercenários, finalmente façam justiça ao Eric Roberts.

Osvaldo Neto disse...

Valeu, Ash! Procura que vale a pena, filmes como esse precisam do bom e velho boca a boca.

Ronald Perrone disse...

E um excelente texto como este ajuda pra burro também! hehe

Osvaldo Neto disse...

Obrigado, Ronald!