segunda-feira, fevereiro 22, 2010

MEGAFAULT (2009, EUA)


Estava crente de que isso um dia iria acontecer: a The Asylum fez um filme para o SyFy. Era questão de tempo, pois as suas produções já vinham sendo adquiridas para a programação deste canal especializado em exibir filmes queijudos. E filme queijudo é com a The Asylum mesmo. Vários dos filmes recentes da produtora tinham características que agradam o canal como filmes que investem em monstros, robôs, dinossauros e ação com ficção científica, como MEGA SHARK VS. GIANT OCTOPUS, THE TERMINATORS e a última versão de A TERRA QUE O TEMPO ESQUECEU. Confesso que me diverti com todos os três, mesmo tendo em mente que eles poderiam ser melhores se os filmes tivessem mais tempo de gestação. Mas aí eles deixariam de ser a The Asylum: a única produtora do mundo que lança um filme B todo mês.

MEGAFAULT é um dos últimos filmes da atriz Brittany Murphy, aqui interpretando uma sismóloga que precisa deixar a família de lado para salvar o mundo. Bruce Davison e Eriq La Salle completam o elenco de protagonistas com atuações razoáveis. Davison consegue disfarçar um pouco que o filme é uma força no pagamento de algumas contas atrasadas, já não posso dizer o mesmo de La Salle.

A produção pega carona no retorno do cinema catástrofe nas telonas com 2012. As semelhanças param por aí, pois o filme não tem nada haver com a profecia maia, a pretensão bocó do filme de Emmerich e nem duas horas e meia de duração. O que sinto mais ausência em MEGAFAULT é a intenção de ser algo diferente, sair do feijão com arroz e previsibilidade que toma conta da maioria dos filmes catástrofe. Isso acontece tanto nos medalhões de Irwin Allen como INFERNO NA TORRE e O DESTINO DO POSEIDON (original e remake) quanto nos exemplares recentes. Mal o filme começa e sabe-se quem irá morrer e quem irá viver até o fim de imediato. As cenas de destruição e um certo humor que se oscila entre voluntário e involuntário (esse em doses maiores, claro! hehe) do roteiro de Paul Bales foram as principais razões que me fizeram apreciar mais do que o esperado essa investida da The Asylum, cuja principal referência é UMA FENDA NO MUNDO, com Dana Andrews.

Nenhum comentário: