segunda-feira, dezembro 07, 2009

TRASHIX

Matheus Mota está subindo todo final de semana no YouTube
10 minutos da insanidade que é TRASHIX, o tão falado e esperado longa 'ultra zero budget' da produtora Bafo Movies. O filme foi rodado entre 2003 e 2005 com cenas adicionais em 2006!! Essa ainda não é a versão final, mas até que enfim isso está saindo, hein? Aleluia!

Abaixo dos vídeos, pré-release de Rodrigo Brandão (Era dos Mortos).





Paloma Buracão:
Um pré-release de Rodrigo Brandão para o filme trash mais esperado que existe

Eis que começam a aparecer os pedaços da lenda mais antiga do mundo trash que conheço.

Não vou aqui ficar balangando o quanto vi esse filme sendo feito, cenas de teste, história de galera brigando e estressando com a produção, as milhões de re-capturas, de re-edições e por aí vai. Vou comentar do que vi nos capítulos prontos que Matheus Mota começa a liberar on-line.

Assistir as primeiras cenas de Trashix foi como ter uma filmadora S-VHS de novo e lembrar de como era simples a vida antes do estudo de cenografia, do balanço de branco, da tipografia, do corte fade-out e etc. Naquela época, sim, fazíamos filmes que saíam completamente de nossos “dotes”, não tínhamos acesso nem ao conhecimento técnico nem ao equipamento verdadeiro.

Trashix deverá ser o último filme trash ‘old school’. Viverá como aquele filho caçula que nasce de um casal velho, onde seus outros irmãos já tem até filhos e cresce ao lado dos sobrinhos que tem a sua mesma idade. Mas mesmo assim recebe respeito por ser o tio.

Não há como negar o saudosismo de ver a imagem granunalada, meio embaçada, no estilo que só uma captura analógica para digital consegue fazer. Porque isso, hoje em dia, é até efeito cool. E nada mais certo do que dosar esse saudosismo todo em capítulos homeopáticos semanais, deixando essa sensação mais do que ótima por mais tempo.

Sobre a hístória, nos pouquíssimos minutos ainda liberados, já da pra ver do que Trashix é capaz. O humor trash de bom gosto da Bafo Movies é o que mais se destaca nessa bangunça toda. A dica que dou é que sempre que os personagens começarem a dialogar, o espectador deve respirar fundo e se preparar para sacadas monumentais e atuações dignas de aplausos espontâneos (mesmo que sozinho diante da tela do computador).

Ainda não dá pra dar o sinceros e completos parabéns para Matheus Mota, antes do filme todo ser exibido. Mas o que já dá pra falar é que Trashix, agora que começou, inicia uma mudança drástica e irremediável em tudo aquilo que você imaginava saber de cinema amador levado a sério.

Rodrigo Brandão
04/12/2009

Nenhum comentário: