sábado, novembro 01, 2008

OTIS - O NINFOMANÍACO (Otis, 2008)

Dando um pouco o tempo nas boas velharias, eis uma pequena surpresa deste ano de 2008. OTIS vem da Raw Feed, o mesmo selo da Warner Brothers responsável por ROTA MORTAL (Rest Stop, 06), SUBLIME (idem, 07) e FÓRMULA MORTAL (Believers, 07). Dos três apenas não vi SUBLIME, mas os outros dois são filmes de um potencial que os seus realizadores não souberam aproveitar. Como simples entretenimento caseiro, eles funcionam ainda que deixem um gostinho de "podia ser muito mais" no final. OTIS tem quase as mesmas falhas, sendo que desta vez elas são muito compensadas pela ótima idéia de tirar um senhor sarro dos atuais exemplares do "terror moderno", sem cair no nível de um TODO MUNDO EM PÂNICO e derivados. A direção é de Tony Krantz, produtor que tem a série 24 HORAS e MULHOLLAND DRIVE no currículo.

Estamos falando de uma comédia sobre Otis (Bostin Christopher, no seu primeiro papel principal) que é um pedófilo de 40 anos e tem como "hobby" sequestrar moçinhas adolescentes para submetê-las a um pesado jogo psicológico, as que não entram no jogo, acabam morrendo. Nada muito leve, com certeza. Mas confesso que me peguei rindo de coisas realmente nada agradáveis de se ver, pois o filme pode ser visto como uma sitcom de humor negríssimo.

Riley Lawson (a gatinha Ashley Johnson) acaba sendo raptada pelo sujeito e ela faz parte de uma família composta por Daniel Stern (pense numa saudade que eu estava de ver esse cara!), Illeana Douglas, Ashley Johnson e Jared Kusnitz que é apresentada ao espectador como se fosse uma de sitcom e o mesmo pode ser dito do estúpido, ridículo e pé-no-saco agente do FBI vivido por um hilário Jere Burns, que consegue roubar cena até de Stern e Douglas quando contracena com eles. Completando o grande elenco, Kevin Pollak, no pequeno, mas ótimo papel do irmão de Otis. E ainda digo que metade do orçamento da produção deve ter ido para adquirir os direitos dos hits oitentistas que fazem parte da trilha sonora, coisa fina como B-52's, BLUE OYSTER CULT, DEVO, TALKING HEADS e outros mais. Nada mal, não?

OTIS se beneficia de um diretor que sabe o que faz (bom, na maioria das vezes hehe), atores perfeitamente escalados em seus papéis, a econômica fotografia em HD e um roteiro cheio de ótimas falas e um bizarro senso de humor que o faz diferente dos outros diretos em dvd que estão sendo lançados nas locadoras. Vale o aluguel.

Nenhum comentário: