quinta-feira, dezembro 25, 2008

Desejo um Feliz Natal a todos os amigos e leitores do VÁ E VEJA.

Elvis veio me dar uma forçinha...



E de quebra, 8 indicações para esse e os próximos dias:



CONTOS DO ALÉM (Tales from the Crypt)
DURO DE MATAR (Die Hard)
GREMLINS (Idem)
NATAL SANGRENTO (Silent Night Deadly Night)
NOITE DO TERROR (Black Christmas)
OS FANTASMAS CONTRA-ATACAM (Scrooged)
PAPAI NOEL ÀS AVESSAS (Bad Santa)
UMA NOITE DE FÚRIA (Santa's Slay)

Have fun!

segunda-feira, dezembro 15, 2008

TRASHIX, 4º Teaser

Para quem ainda não viu...



Um dia, o filme sai. :)

sexta-feira, dezembro 12, 2008


É, o "Tempo de Massacre" que tenho vivido não tá mesmo pra brincadeira. Além de tudo, também estou sem acesso decente a um computador, daí o sumiço não só das atualizações, trocas de idéias por comentários nos blogs amigos e aqui mas em todas as atividades que tenho na internet. O meu PC parece ter piorado de vez, tenho um backup dos meus principais documentos e trabalhos... só que feito a cerca de 15 dias antes do início do problema. Fiz muito nesses 15 dias e tentar recuperar esse tempo perdido sem usar o que eu tinha pronto é dureza.

Já repararam que isso só acontece quando a gente mais precisa de computador? Logo agora que estou na fase final do meu projeto de graduação. Recife teve um feriadão daqueles recentemente, podia ter adiantado muitas coisas, acabei de mãos atadas.

Tentarei falar um pouco melhor com vocês ainda neste final de semana... sobre cinema e não com mais desabafo hehehe. Espero que todos estejam se sentindo bem, senão ótimos. Abraços e até logo.

quinta-feira, novembro 27, 2008

Trailer: THE DAY THE EARTH STOPPED

Mais uma da The Asylum que eu não posso perder. :)

sexta-feira, novembro 21, 2008

Janela Internacional de Cinema anuncia premiados

JÚRI OFICIAL

COMPETIÇÃO BRASILEIRA
Melhor Filme: "OS SAPATOS DE ARISTEU", de Luiz René Guerra
Melhor Imagem foi dividido entre "FRACASSO" de Alberto Labuto e "ISMAR" de Gustavo Beck
Melhor Som: "AREIA", de Caetano Gotardo
Melhor montagem: A PSICOSE DE VALTER, de Eduardo Kishimoto
Menção Honrosa Filme de afeto: CANOSA ONE, de Fellipe Gamarano Barbosa
Menção Honrosa Filme Manifesto: Longa Vida Ao Cinema Cearense, dos Irmãos Pretti
Menção Honrosa Filme Presença: Convite para Jantar com o Camarada Stalin, de Ricardo Alves Júnior

COMPETIÇÃO INTERNACIONAL
Melhor filme: “AHENDU NDE SAPUKAI – OUÇO SEU GRITO”, de Pablo Lamar
Melhor imagem: “TWIST”, de Alexia Walther
Melhor som: “AHENDU NDE SAPUKAI – OUçO SEU GRITO”, de Pablo Lamar
Melhor montagem: “VIVA”, de Louise Botkay Courcier

JÚRI DO JANELA CRÍTICA

COMPETITIVA BRASILEIRA
JARRO DE PEIXES, de Salomão Santana

"Premiamos Jarro de Peixes em um gesto político, reconhecendo sua capacidade propositiva, que estimula um outro tipo de experiência com a imagem, com a memória e com a realização de cinema".

COMPETITIVA INTERNACIONAL
prêmio conjunto para dois filmes:
PUPPETBOY e A HISTÓRIA DO PEQUENO PUPPETBOY, de Johannes Nyholm

"A curadoria do Janela não conseguiu se decidir entre os dois filmes de Johannes Nyholm e selecionou ambos. Aconteceu o mesmo com o júri do Janela Crítica, por isso decidimos premiar o conjunto da obra sobre o personagem Puppetboy. Uma das propostas do festival era discutir a imagem. Puppetboy faz exatamente isso, com peculiar senso de humor".

JÚRI FEPEC
Competição Brasileira: Menino Aranha, de Mariana Lacerda
Competição Internacional: Procrastination, de Johnny Kelly

JÚRI ABD
Competição Brasileira: ISMAR, de Gustavo Beck
Competição Internacional: THREE OF US, de Umesh Kulkarni

PRÊMIO PORTA CURTAS
PRIARA JO, DO OVO A GUERRA, de Komoi Panará

PRÊMIO AGORA CURTA
Menino Aranha, de Mariana Lacerda

Jânio Nazareth entrevista Samuel L. Jackson: O VIZINHO



O VIZINHO (Lakeview Terrace, 2008) é o novo filme de Neil LaBute, vindo de filmes como NA COMPANHIA DOS HOMENS e ARTE, AMOR E ILUSÃO para se afundar a partir de ENFERMEIRA BETTY e a horrível, nojenta refilmagem de O HOMEM DE PALHA. Não pensei nunca que iriam dar uma outra chance a esse cara em tão pouco tempo. Mas foi o que aconteceu.

O VIZINHO deve divertir pela atuação de Samuel Jackson, que a julgar pelo trailer está na pele de um personagem muito semelhante ao de Ray Liotta em OBSESSÃO FATAL. Pena o filme ser PG-13, ou seja, Samuca não dirá um simples "fuck".

Agradecimentos a Jânio Nazareth e seu Repórter Hollywood por mais essa colaboração. Ele também conversou com Joan Allen, Jason Statham, Olga Kurylenko e Daniel Craig. Falando sobre ele, ainda não vi QUANTUM OF SOLACE. Ô vergonha.

terça-feira, novembro 18, 2008

80's Mood

STYX - MR. ROBOTO



A FLOCK OF SEAGULS - I RAN (SO FAR AWAY)



TALKING HEADS - BURNING DOWN THE HOUSE



Caixinha de comentários sujeita a uma avalanche de links para clipes deste naipe, claro!

domingo, novembro 16, 2008


www.janeladecinema.com.br

Daqui a pouco deve sair o primeiro texto da figura aqui no espaço do Janela Crítica. Os meus colegas de trabalho estão fazendo bonito, chega dá gosto de ler.

Visitem, comentem e por favor, espalhem esse site!
Grande abraço.

COMBATE NA ESCURIDÃO (Straight Into Darkness, 2005, EUA)

Jeff Burr é um nome mais conhecido dentre os fãs do cinema de terror. Eu mesmo já assisti a algumas continuações que ele assinou como O MASSACRE DA SERRA ELÉTRICA 3 e PUPPET MASTER 4 que vão do razoável ao bom, na minha opinião. Ele chamou a minha atenção desde que assisti o seu primeiro longa, DO SUSSURRO AO GRITO, uma antologia apresentada pelo grande Vincent Price. Também tenho boas lembranças de A NOITE DO ESPANTALHO, um pequeno slasher feito por ele em 1995. Mas tudo me leva a crer que COMBATE NA ESCURIDÃO seja o seu melhor filme, além de ser o mais pessoal de toda a sua filmografia.

A tensão da abertura é daquelas que pegam o espectador pelo pescoço para não soltar mais até o final do filme, ambientado no final da 2a. Guerra Mundial. Dois soldados americanos, Losey (Ryan Francis) e Deming (Scott MacDonald) são pegos por militares (James LeGros e Dan Roebuck) tentando desertar. A caminho da prisão militar ou da morte por execução, uma armadilha: minas. Mortes ocorrem, mas os desertores sobrevivem, seguem sobrevivendo a outras provações até chegarem num prédio abandonado e logo descobrem que não estão mais sós. No prédio também estão dois professores (os veteranos David Warner e Linda Thorson) de um orfanato que fora destruído e as crianças sobreviventes, muitas delas deficientes físicas por conta da violência da guerra. Elas crianças foram treinadas pelo personagem de Warner para lutar por suas vidas e estão sempre armadas esperando a chegada de uma poderosa ameaça. E ela vem na forma de um grupo de 60 soldados alemães que atacam o lugar.

COMBATE NA ESCURIDÃO é um belíssimo filme. Existem falhas, como a óbvia dublagem dos atores romenos que fazem os alemães e os flashbacks do personagem de Ryan Francis que servem para construir mais o personagem, mas a grande quantidade deles acaba distraindo. Tirando isso, não tenho muito do que reclamar. O filme conta com excelente uso da violência e locações na Romênia, alguma dose muito bem-vinda de surrealismo e uma inspirada homenagem a ninguém menos que Edgar Allan Poe. Direção, fotografia, atuações e trilha sonora também colaboram juntas para a sempre crescente atmosfera de desespero.

COMBATE... não é só humano em sua narrativa, mas também na produção. É ainda mais emocionante assisti-lo sabendo que todas as crianças que atuaram nele são mesmo orfãs na vida real, tendo sido contratadas pelos produtores através dos orfanatos que residem. Uma iniciativa que só me deixa ainda mais confiante em recomendar essa pequena obra-prima. Como diz um amigo meu, "Bons filmes merecem ser vistos".

segunda-feira, novembro 10, 2008

Nuevas

- Recife está movimentadíssima esses dias no que se refere a cinema. Neste final de semana, tivemos a abertura do 7º Festival Varilux de Cinema Francês que está acontecendo no Cine Rosa e Silva (onde eu tive a arrebatadora experiência de assistir MARIA, meu primeiro Ferrara na tela grande), pertinho de casa. Hoje é dia de LA BELLE PERSONE, do muito comentado Cristophe Honoré, de EM PARIS e CANÇÕES DE AMOR. Não conheço a persona, mas amigos de bom gosto me recomendaram. O filme está em dois horários, às 18:30 e às 19:00. Para saber mais da programação, clique aqui. Ingressos a R$ 5,00 para todos.

- O próximo dia 13 será uma grande data. Terá início o JANELA INTERNACIONAL DE CINEMA EM RECIFE. Como o próprio nome diz, trata-se de um festival internacional, mas o JANELA é o primeiro evento deste porte não só aqui em Recife, mas em todo o Pernambuco. Ele terá mais foco no cinema de curta-metragem e exibirá mais de 140 produções cinematográficas. Os preços são populares, R$ 1,00 (no Cinema do Parque) e R$ 2,00 (Cinema da Fundação). 5 longas serão exibidos, dentre eles o doc pernambucano KFZ-1348 (que voltou com o prêmio especial do júri da Mostra de SP) e BURN AFTER READING. E tenho o prazer de divulgar aqui, mesmo que ainda um pouco atrasado por uma série de motivos (PC frescando foi um) que faço parte dele através do JANELA CRÍTICA. Esse programa inovador busca incentivar, através de encontros, o pensamento crítico de jovens cinéfilos e universitários do Estado. Foram 10 selecionados que acompanharão as sessões competitivas e escreverão para o blog do site oficial textos com as suas opiniões a respeito dos programas de exibição. Dessas 10 pessoas, 9 formam um júri especial que darão o prêmio JANELA CRÍTICA para o melhor filme nacional e internacional. Sei de antemão que a experiência irá exigir muito de mim, tanto em tempo quanto compromisso. Vai ser a primeira vez que assisto filmes à noite para escrever sobre eles o mais rápido possível e essa opinião ser publicada (não aqui, mas em outro espaço, por outra pessoa) na tarde do dia seguinte. Manterei todos vocês atualizados - mesmo que os posts sejam muito pequenos - com o andamento das coisas.

Um grande abraço!

CÃO BRANCO (White Dog, 1982, EUA)


Um dos filmes obscuros mais lembrados de todos os tempos. Chega a ser lamentável chamarmos um filmaço desses de obscuro, pois essa produção dirigida pelo rebelde Samuel Fuller merece ser mais reconhecida. A maneira como ele cuida de um filme com uma temática tão controversa é segura e exemplar. E o mesmo pode ser dito do roteiro escrito por ele e Curtis Hanson, baseado numa história verídica que aconteceu com o escritor Romain Gary, então casado com a atriz Jean Seberg que tinha um cão com os mesmos problemas. O animal teve de ser abatido.

Pena que a produção e o diretor, antes mesmo do filme ser lançado, tenham sido acusados de racismo por várias pessoas. Grande injustiça, pois quem diz isso não tem nenhuma razão. CÃO BRANCO é filme forte, corajoso e direto sobre o ódio, como ele chega a ser construído não só na cabeça, mas no coração dos seres humanos. E o ódio é algo que muitas vezes está atrelado ao preconceito, seja ele racial, sexual ou social. Algo muito curioso na narrativa de Fuller é que nenhum dos três principais personagens humanos interpretados por Kristy McNichol, Burl Ives e Paul Winfield chegam a ser "protagonistas"... a atenção do espectador se volta inteiramente ao pastor alemão branco desde o início. A trilha de Ennio Morricone pontua com perfeição muitos dos excelentes momentos do filme, mesmo sendo pequena e de poucos temas.

CÃO BRANCO merece a atenção do espectador não só para o que ele tem a dizer, mas pela sua importância para o cinema moderno. 26 anos depois, pode-se dizer sem qualquer receio que essa grande obra de Samuel Fuller continua atual.

Curiosidades:

1 - O projeto passou por diversas mãos, as mais famosas foram as de Roman Polanski que o rejeitou pelo tema ser "delicado" de se falar.

2 - Fique ligado para as rápidas participações de Dick Miller, Paul Bartel e do próprio Samuel Fuller.

2 - A produção não foi lançada comercialmente nos cinemas dos Estados Unidos e acabou sendo exibida no canal a pago HBO diversas vezes. Ela sobrevivia apenas entre os cinéfilos de cópias feitas a partir de VHS (como eu assisti pela última vez, graças às amigas Fernanda Oliveira e Silvia Prado) ou gravações da TV até a Criterion lançar a sua edição especial que ainda teve a proeza de resgatar uma entrevista de Fuller com o ator canino no set de filmagens.

quarta-feira, novembro 05, 2008

RIP



Michael Crichton
1942 - 2008

sábado, novembro 01, 2008

César Almeida convida

"Vai ser lançado no dia 2 de Novembro, durante a Feira do Livro de Porto Alegre, o livro "68: História e Cinema". Esta obra teve origem no Ciclo de cinema: 68, o ano que jamais terminará, do qual eu participei comentando sobre o filme "A noite dos mortos vivos". Além do meu texto em parceria com Paulo Guadagnin sobre a obra prima de Romero, este livro apresentará resenhas e análises de outros grandes clássicos como Barbarella e Easy Rider. Convido todos os amigos a participar dessa festa!"

Parabéns, compañero!!

OTIS - O NINFOMANÍACO (Otis, 2008)

Dando um pouco o tempo nas boas velharias, eis uma pequena surpresa deste ano de 2008. OTIS vem da Raw Feed, o mesmo selo da Warner Brothers responsável por ROTA MORTAL (Rest Stop, 06), SUBLIME (idem, 07) e FÓRMULA MORTAL (Believers, 07). Dos três apenas não vi SUBLIME, mas os outros dois são filmes de um potencial que os seus realizadores não souberam aproveitar. Como simples entretenimento caseiro, eles funcionam ainda que deixem um gostinho de "podia ser muito mais" no final. OTIS tem quase as mesmas falhas, sendo que desta vez elas são muito compensadas pela ótima idéia de tirar um senhor sarro dos atuais exemplares do "terror moderno", sem cair no nível de um TODO MUNDO EM PÂNICO e derivados. A direção é de Tony Krantz, produtor que tem a série 24 HORAS e MULHOLLAND DRIVE no currículo.

Estamos falando de uma comédia sobre Otis (Bostin Christopher, no seu primeiro papel principal) que é um pedófilo de 40 anos e tem como "hobby" sequestrar moçinhas adolescentes para submetê-las a um pesado jogo psicológico, as que não entram no jogo, acabam morrendo. Nada muito leve, com certeza. Mas confesso que me peguei rindo de coisas realmente nada agradáveis de se ver, pois o filme pode ser visto como uma sitcom de humor negríssimo.

Riley Lawson (a gatinha Ashley Johnson) acaba sendo raptada pelo sujeito e ela faz parte de uma família composta por Daniel Stern (pense numa saudade que eu estava de ver esse cara!), Illeana Douglas, Ashley Johnson e Jared Kusnitz que é apresentada ao espectador como se fosse uma de sitcom e o mesmo pode ser dito do estúpido, ridículo e pé-no-saco agente do FBI vivido por um hilário Jere Burns, que consegue roubar cena até de Stern e Douglas quando contracena com eles. Completando o grande elenco, Kevin Pollak, no pequeno, mas ótimo papel do irmão de Otis. E ainda digo que metade do orçamento da produção deve ter ido para adquirir os direitos dos hits oitentistas que fazem parte da trilha sonora, coisa fina como B-52's, BLUE OYSTER CULT, DEVO, TALKING HEADS e outros mais. Nada mal, não?

OTIS se beneficia de um diretor que sabe o que faz (bom, na maioria das vezes hehe), atores perfeitamente escalados em seus papéis, a econômica fotografia em HD e um roteiro cheio de ótimas falas e um bizarro senso de humor que o faz diferente dos outros diretos em dvd que estão sendo lançados nas locadoras. Vale o aluguel.

segunda-feira, outubro 27, 2008

Trailer de GRAN TORINO

Pelo visto, Eastwood não quer mesmo mais saber de Oscar. :)

quarta-feira, outubro 22, 2008

RIP

Christopher Wicking
1943 - 2008

Rudy Ray Moore
1937 - 2008

terça-feira, outubro 21, 2008

Mais poliziesco!!

Depois de me recuperar do nocaute que levei do Liam Neeson, aqui estou eu de volta.


Se eu fosse escolher um título para "inaugurar" algum amigo(a) no estilo, seria THE BIG RACKET. Enzo G. Castellari detona outra vez. Fabio Testi interpreta o típico protagonista casca grossa nesse filme que trabalha com maestria elementos de DIRTY HARRY, DESEJO DE MATAR e lá perto do final... de OS DOZE CONDENADOS e MEU ÓDIO SERÁ A SUA HERANÇA. Sentiu o drama? A gente percebe limitações do orçamento como alguns ferimentos à bala não convincentes (saca paintball? hehe), mas isso não diminui em nada a sua brutalidade e a excelência dos tiroteios orquestrados por Castellari. No trailer, há uma pequena parte daquela que deve ser a cena mais impressionante: Fabio Testi se ferrando legal dentro do carro quando este é jogado num precipício com ele dentro! É tão realista que a gente fica até com pena do ator!!

Poliziescos costumam ter ótimos elencos e THE BIG RACKET não é exceção à regra. Aqui temos Vincent Gardenia (do já citado DESEJO DE MATAR e sua continuação) e os três atores que faziam os irmãos de Franco Nero em KEOMA: Joshua Sinclair como o líder almofadinha dos marginais, Tony Marsina como um advogado dos bandidos e Orso Maria Guerrini como um campeão de tiro que terá uma importante participação na trama. Quem curte um filmaço policial, ficará satisfeito com folgas.



Eu gosto muito do MILANO ROVENTE pelo grau de insanidade que Umberto Lenzi atingiu com ele. O filme é um "policial exploitation" repleto de mortes violentas, mulheres nuas levando porrada e Antonio Sabato dando vida a um dos mais imorais personagens do poliziesco. Aqui, Lenzi está bem mais quietinho e mesmo assim, faz um filme tão bom quanto o outro. THE CYNIC, THE RAT AND THE FIST tem o seu foco nos personagens de Maurizio Merli, Tomas Milian e John Saxon. Merli, claro, é o tira invocado, enquanto Milian e Saxon são os dois chefões do crime que entram em guerra, aumentando ainda mais a violência das ruas de Roma.

Lenzi não desaponta e entrega o que a gente quer mesmo ver: tiroteio, porrada e o trio parada dura se esbaldando com um punhado de ótimas cenas e diálogos escritos pelo próprio diretor em parceria com Ernesto Gastaldi e Dardano Sacchetti. Quem acompanhou com atenção alguns títulos dos tempos de ouro do cinema popular italiano verá que Gastaldi e Sacchetti tem uma importância que muitas vezes não é reconhecida. Assim como os diretores para quem trabalharam, eles tiveram os seus maus momentos, mas penso que a boa produção deles carece de um pouco mais atenção entre os fãs do período. No elenco, a sempre curiosa presença de Robert Hundar, outro grande cara que partiu cedo demais em 2008.

PS: Ainda quer ler mais sobre poliziesco? Então visite o FILMES PARA DOIDOS clicando aqui para ler a opinião do 'ragazzo' Felipe M. Guerra sobre uma coisa linda chamada POLIZIOTTI VIOLENTI, também comentada no blog ainda este mês.

segunda-feira, outubro 13, 2008

BUSCA IMPLACÁVEL (Taken, 2008, FR)

VIVE LA FRANCE!


Empolgante, objetivo e sem frescuras. Assim é TAKEN, um dos cada vez mais raros acertos de Luc Besson, também co-autor do roteiro. E que acerto! Depois do belíssimo SERAPHIM FALLS, Liam Neeson foi recrutado para fazer mais outro personagem vingativo, embora diferente. O seu Bryan é um aposentado agente do serviço secreto americano que quer recuperar o tempo perdido com a sua filha burrinha e virgem de 17 anos (Maggie Grace, que tem 25 hehe), depois que a esposa (Famke Janssen), cansada de seus sumiços por conta do trabalho, o trocou por um milionário. Tudo muito bom, tudo muito bacana, até o dia em que a garota inventa de viajar para Paris acompanhada da amiga (também burrinha, mas que não é mais virgem) e as duas são sequestradas por uma quadrilha de albaneses malvados especializada em tráfico humano. Bryan, claro, não vai deixar isso barato.

A direção de Pierre Morel (revelado no bom 13º DISTRITO) e o desempenho de um ator como Neeson, aliado ao ótimo personagem, são o grande trunfo deste filme. Vi que Morel não estava querendo enrolar na passagem para o segundo ato após Bryan dizer para a ex-esposa que irá para a França resgatar a filha deles: a cena que se segue é ele saindo do aeroporto de Paris. Isso mesmo, nada de mostrar o cara arrumando a mala, pensativo dentro do carro, avião subindo, avião descendo... ou seja, nada encheção de linguiça.

Depois de uma rápida investigação no apartamento que as moças estavam, Bryan começa a usar todas as habilidades aprendidas ao longo da sua carreira para pintar miséria com os responsáveis pelo rapto. O que se segue é um verdadeiro festival de truculência, capaz apenas de rivalizar com o visto no último semestre com RAMBO IV. A qualidade da ação é tamanha que, por pouco, a gente se esquece do roteiro esquemático, previsível e cheio de clichês. Bryan tem a diferença de não mostrar piedade em nenhum momento, pois ele não é um civil que teve a sua vida revirada ao avesso pela violência como Paul Kersey e grande maioria dos outros personagens dos filmes de vingança que costumamos assistir, mas um verdadeiro assassino profissional. Ele sabe o que faz e ainda não tem qualquer cerimônia em atirar nos bandidos pelas costas. Coisa linda de se ver nesses tempos atuais tão marcados pelo politicamente correto.

sexta-feira, outubro 10, 2008

Corra longe!


AMALDIÇOADA (Toxic, 2008)
LIGAÇÕES CRIMINOSAS (Last Hour, 2008)

Duas das maiores bombas que vi em toda a minha vida. Se você tem algum amor ao seu bolso, seu cérebro, caramba... aos seus próprios olhos, faça o favor de deixar esses "filmes" colecionando poeira. Não invente de cometer o mesmo erro que o meu de dar uma chance. Eu até pensei em fazer comentários, mas se eu for me lembrar do que eu penso que vi, irei ficar com uma baita dor de cabeça e não mereço mais que as 3 horas de sofrimento que passei. Quem avisa, amigo é!

E depois as distribuidoras reclamam de pirataria. Vão muito pra frente lançado essas coisas no lugar de BUBBA HO-TEP, CALVAIRE, SOFT FOR DIGGING e tantos outros títulos dignos de estarem no lugar delas, isso sem falar de WHITE DOG, CRUISING, SORCERER... pense numa lista.

domingo, outubro 05, 2008

Novidades

- O amigo Luiz Joaquim está suando tanto a camisa no Festival do Rio que se esqueceu de me avisar que estava por lá hehe. Acesse o Cinema Escrito para acompanhar a sua cobertura diária no evento.

- Outro compañero, Renato Rosatti, que vocês devem conhecer pelo seu trabalho no querido site Boca do Inferno e fanzine Juvenatrix, lançou a 62a. edição do Astaroth com 17 páginas de muitas novidades e textos de qualidade para uma boa leitura, além de divulgar aquilo que é bom e que a mídia não dá o merecido valor. Envie um simples e-mail para renatorosatti@yahoo.com.br e pronto, o próprio te enviará o zine gratuitamente em formato PDF.

“Astaroth” número 62 (Setembro de 2008), 17 páginas, capa de Iam Godoy (Strigói). Ilustração de Guilherme Vicente da Silva.
Divulgação de fanzines, revista em quadrinhos e livros. Notícias e dicas. Resenhas de shows de metal extremo (“Sodom”), fotos de shows do “Sadus”, “Enthroned” e “Severe Torture”. Contos de Carlos Relva e Rita Maria Felix da Silva. Resenhas e comentários de filmes: “Encarnação do Demônio” (08), “Star Wars: The Clone Wars” (08), “Fantasma do Espaço” (53), “Mundos Que Se Chocam” (54), “James West” (1965 / 69, série de TV), “A Invasão das Aranhas Gigantes” (75). Texto de Braulio Tavares sobre “Encarnação do Demônio”.

- E já que falei do Boca, eis a matéria com Marcelo Milici e João Pires Neto para o programa Vitrine, da TV Cultura exibida no dia 20/09. Yeah!

sábado, outubro 04, 2008

POLIZIOTTI VIOLENTI (aka Wild Policemen, 1976, ITA)

Tem acontecido uma coisa engraçada comigo. Quando me dá na cabeça de escrever sobre um filme que gostei demais de ter visto faz um mês ou pouco mais que isso e eu o tenho em casa, boto ele para ver umas ceninhas e não tem jeito... "perco tempo" vendo tudo de novo. POLIZIOTTI VIOLENTI foi um deles.

Uma imagem vale mais que 1.000 palavras...
Duas então, nem se fala...

Pouquíssimos filmes podem ser tão estilosos e "pra macho" do que esse. Aqui, temos 1h30min praticamente ininterruptas de Henry Silva e Antonio Sabato com cara de enfezados e trabuco na mão correndo atrás de bandidos, a trilha sonora "funky" de Guido e Maurizio de Angelis de fundo e civis inocentes morrendo a rodo em TODOS os tiroteios e cenas de ação. Numa cena, quando um bandido foge do Henry Silva a carro, disse a mim mesmo: "Esse cara vai atropelar alguém". Dito e feito!

A contagem de corpos em POLIZIOTTI VIOLENTI é elevada, o bom senso é zero. Dou graças por ele não ter sido dirigido por um Sergio Martino, um Umberto Lenzi, mas por um louco como Michele Massimo Tarantini, o culpado pela existência de um crássico como MASSACRE NO VALE DOS DINOSSAUROS. Dizer que uma coisa linda dessas é imperdível é fazer pouco.

terça-feira, setembro 30, 2008

Não tem ingresso que pague uma sessão dessas!


Fernando Vasconcelos detona o recém-lançado CONTROLE ABSOLUTO sem dó e nem piedade, mas com o bom humor de sempre no último Kinemail. Além da sua opinião, ele também revela uma surpresa que aconteceu durante a projeção do filme no dia em que o assistiu.

"As quase 2 estrelas de cotação vão para um fato que tornou a sessão inesquecível para mim. Num filme que tem quase em tempo integral correrias e personagens ao celular, a sessão em que eu estava foi tumultuada (no exato momento em que começa a 'revelação' de quem está por trás da misteriosa Voz nos celulares!) por um berro na lateral do cinema - Pega! Pega!. Um sujeito atravessa o cinema correndo, com outro atrás dele (e juntaram-se mais uns dois da sala que levantaram-se para ajudar) que, ao que parece, teve seu celular roubado. O larápio atravessa o corredor para um lado (e Shia LaBeouf, na tela, para o outro eh eh) e esbarra cinemato graficamente na porta de saída, Blaamm!, que abre-se e todos o perseguem berrando - Ladrão! - Pega ele! Metalinguagem perde... Me espanta como ainda tem quem tente roubar aparelho celular dentro de um shopping center que tem um esquema de segurança pesado, de dar inveja ao do filme Controle Absoluto eh eh Não sei o desfecho da história, mas certamente o sujeito foi pego. Tranqüilamente, foi a melhor cena de ação da sessão."

Para ler a opinião completa e muito mais, é só acessar www.kinemail.com.br

segunda-feira, setembro 29, 2008

RIP

Cirio H. Santiago
1936 - 2008

Com Quentin Tarantino, Eddie Romero e Tikoy Aguiluz, fundador da Cinemanila.

Paul Newman
1925 - 2008

Ao lado de Tom Hanks em ESTRADA PARA A PERDIÇÃO.

sábado, setembro 27, 2008

DIRE WOLF






Em primeira mão para o Brasil, divulgo algumas das primeiras imagens do mais novo filme de Fred Olen Ray que se encontra em fase de finalização e o seu site oficial. Não deve demorar muito para um trailer ser liberado... ;)

quinta-feira, setembro 25, 2008

Entrevista com Halder Gomes, THE MORGUE

Por Renato Silveira, site Cinema em Cena

PS: Não se acanhem. Reclamem mesmo quando verem link que não tá funcionando, ok? hehe

domingo, setembro 21, 2008

Cinema B de ação em dois filmes


DUPLA PERSEGUIÇÃO (Mach 2, 2001)
Dir. Fred Olen Ray

Brian Bosworth pode ser um canastrão de primeira, mas o cara tem a minha consideração por ter feito um dos filmes de ação mais divertidos dos anos 90: ESTADO DE CHOQUE. É nesse filme que Bruce Payne rouba a cena fazendo um de seus vilões mais insanos e me fez homenageá-lo o colocando como minha foto no Blogger. Falemos do MACH 2, que junto com TENSÃO NAS ALTURAS e RESGATE NAS PROFUNDEZAS, formam os três "terroristas-em- avião" que Ray usando o seu pseudônimo Ed Raymond dirigiu em meados de 2000. Assim como eles, várias outras fitas B exploraram esse filão aberto por PASSAGEIRO 57 e TURBULÊNCIA. Pena que hoje o subgênero esteja praticamente extinto desde o 11 de setembro.

Gosto de Ray porque ele faz filmes B que não querem ser mais do que um filme B. Esse título não é exceção, o roteiro de Steve Latshaw (pai de JACK-O, Sras. e Srs.) diverte e o elenco idem. Aliás, que elenco. Além do "The Boz", Shannon Whirry (sem tirar a blusa uma vezinha só, uma pena), Michael Dorn e os lendários David Hedison e Cliff Robertson. Também podemos notar a presença de outras figuras do cinema B, Andrew Stevens e John Putch e como sou um nostálgico, adorei ver Grant Cramer (PALHAÇOS ASSASSINOS) e Lance Guest (O ÚLTIMO GUERREIRO DAS ESTRELAS). Como se não bastasse, ainda há pontas de Austin Stoker e Charles Cyphers, de ASSALTO À 13a. DP. Atenção para o uso de imagens de AEROPORTO 80 e ASSASSINO A PREÇO FIXO, este último numa inacreditável perseguição de carros. Só vendo pra crer!



BLACK THUNDER - O RESGATE (Black Thunder, 1997)
Dir. Rick Jacobson

Eu vivi no tempo em que você poderia ir para a locadora e encontrar filmes protagonizados por Gary Daniels, Jeff Wincott, Jeff Speakman, Lorenzo Lamas, Frank Zagarino e outras lendas com caras como Billy Drago, Mattias Hues, Martin Kove, Edward Albert, Cary Tagawa e até Ron Silver fazendo os vilões. Aqui, o moçinho é Michael Dudikoff e o vilão, Richard Norton. Mais filme B dos anos 90 impossível. Ver BLACK THUNDER me fez sentir com 13 anos de novo.

Michael Dudikoff e Gary Hudson interpretam dois pilotos que são chamados para resgatar um caça "invisível", não detectável por radares, que foi roubado por um grupo de terroristas líbios. Quem acompanha o blog deve se lembrar deste post que fiz quando comprei o DVD. Pois é, demorei um pouco para assisti-lo, mas o filme era tudo aquilo que falei! Ou seja, recomendo uma coisa linda dessa com folgas hehe.

Como curiosidade, BLACK THUNDER foi refilmado no ano passado como O VÔO DA FÚRIA com Steven Seagal. Nem preciso dizer qual dos dois é o melhor, né? E o roteirista William C. Martell mantém os ótimos Script Secrets e Sex in a Submarine, sempre com dicas e conselhos aos aventureiros na escrita para cinema.

Editado em 22/09/08

quarta-feira, setembro 17, 2008

OLIVIER MELLANO REALIZA CINE-CONCERTO
NO CINEMA DA FUNDAÇÃO

A partir da projeção do filme Aurora, o músico francês apresenta composição feita especialmente para o clássico do cinema mudo. Dia 18/09

Com apoio do Consulado Geral da França, Olivier Mellano executa ao vivo, no Cinema da Fundação Joaquim Nabuco, uma trilha sonora composta por ele para o filme mudo Aurora (1926), obra célebre do diretor Friedrich Wilhelm Murnau, que também dirigiu o clássico Nosferatu (1922).

Olivier vem pela segunda vez ao Brasil, para três apresentações que tem a tela do cinema como pano de fundo. A primeira acontece em Fortaleza no Sesc Senac Iracema, dia 16/09. Em seguida, ele parte para o Recife, onde toca em 18/09. Por fim, o músico chega a São Paulo para mostrar seu cine-concerto no SESC Vila Mariana, dia 19/09.

Enquanto Aurora é exibido em um telão, o francês apresenta, acompanhado somente de sua guitarra, Cine Concert L'Aurore de Murnau par Olivier Mellano, com composições feitas especialmente para a película. "A música para o filme foi um pedido da Fondation Cartier para o festival Toulouse September Spring Festival, em 2005. Eu escolhi Aurora não somente porque é uma grande obra-prima do cinema, mas também porque o filme contém tal compasso de emoções diferentes, que era um desafio emocionante mergulhar nele", diz Olivier.

Olivier Mellano é autor, compositor e arranjador. Sua propensão para novas sonoridades e para a experimentação o conduziu a trabalhar como violinista ao lado de artistas e grupos como Yann Tiersen, Complot Bronswick, Venus de Rides, Bruno Green e Dominic Sonic. Variando de palcos desde Lês Transmusicales, em Rennes, a Lês Nuits Botaniques, em Brussels, ele já apresentou a sua mistura eclética de música clássica, experimental e rock, com vídeos e até com dançarinos contemporâneos. Esse experimento no palco tem se tornado marca das suas grandes apresentações.
Olivier Mellano no Brasil

* Fortaleza

16 de setembro
SESC SENAC Iracema – 20h
Ingressos: R$ 8,00 (inteira) e R$ 4,00 (meia)
Informações: 85 3252 2215

* Recife

18 de setembro
No Ar Coquetel Molootov - PLAY THE MOVIE
Cinema da Fundação Joaquim Nabuco - 20h30
Ingressos: R$ 2,00
Informações: 81 3363 0138
http://www.coquetelmolotov.com.br/

* São Paulo

19 de setembro
SESC Vila Mariana – 21h
Ingressos: R$ 20,00 (inteira), R$ 10,00 (usuários matriculados no SESC e dependentes, +60 anos, estudantes e professores da rede pública de ensino) e R$ 5,00 (trabalhador no comércio e serviços matriculado no SESC e dependentes)

segunda-feira, setembro 15, 2008

Não Julgue Rapidamente (Don't Judge too Quickly)

Série hilariante de 8 comerciais... todos em 1 vídeo.



E tem esse aqui ainda que ficou de fora da montagem!


sexta-feira, setembro 12, 2008

OS GAROTOS PERDIDOS: A TRIBO (Lost Boys: The Tribe, 2008, EUA)

Em agosto do ano passado, eu fiz um post todo feliz da vida sobre a produção que se iniciava desta sequência para um dos filmes mais legais dos anos 80: OS GAROTOS PERDIDOS. Poucas vezes Joel Schumacher teve acertos em sua carreira como esse, um filme com classificação R (menores de 18 anos sem pais ou responsáveis o acompanhando são barrados no cinema) e forte apelo juvenil onde adolescentes lutam contra uma gangue de vampiros motoqueiros.

O sangue jorrava numa boa medida, o roteiro fazia a turma se identificar de imediato com os protagonistas, o elenco era 10 e a trilha sonora estava cheia de potenciais hits como a excelente versão de Echo and the Bunnymen para "People are Strange" dos The Doors e "Cry Little Sister", a música-tema cantada por Gerard McCann. Portanto, um inevitável sucesso que merecidamente conquistou as bilheterias e as locadoras desde o tempo do VHS continuam alugando-o no minimo 1 vez por semana. E foi visando esse mercado doméstico e os 20 anos que o filme completou, a Warner Brothers produziu uma continuação para faturar uma grana extra. Nada contra, desde que o filme seja bom e divirta... por mim, tudo ok.


Com os meses se passando, lá estava eu acompanhando as notícias sobre a produção. Achei o trailer interessante, postei aqui também, mas duas coisas fizeram aquela boa expectativa que eu tinha ir por água abaixo. A primeira delas foram os problemas no set de filmagem com o Corey Haim (cujo personagem virou uma ponta de 20 segundos ou menos vista durante os créditos finais, clique aqui para ver um trecho do reality show "The Two Coreys" sobre o ocorrido) e a segunda foi essa arte do DVD que vocês podem ver acima. Todo o elenco na frente e lá no fundinho... Corey Feldman. "Pronto, o cara vai ser um coadjuvante, ferraram com o personagem" - logo pensei. OS GAROTOS PERDIDOS : A TRIBO foi recém-lançado em DVD aqui no Brasil, vi com meus próprios olhos e agora posso dizer que infelizmente o filme não é bom. Só não concordo com aquela chuva de comentários e críticas negativas recebida por ele, pois a produção até funciona se assistida sem qualquer grande expectativa, mas rola uma decepção, até para um saudosista da pior espécie que eu sou, um saudosista de merda hehehehe. Apenas lamento que o roteiro seja tão fraquinho e extremamente derivativo do primeiro filme e nem o diretor P. J. Pesce faça um esforço para sair do convencional. Chega a ser impossível de acreditar que essa história tenha sido a melhor escolha para uma continuação nesses últimos 20 anos. Os atores teens classe C nem me incomodaram tanto, pois eu já os esperava. Angus Sutherland como o líder dos vampiros é uma lástima, assim como o casal de protagonistas que não convencem em momento algum estarem em perigo. Ou seja, aliado ao roteiro preguiçoso, eu pouco me importei com os personagens e isso é ponto negativo dos mais fortes em qualquer filme do gênero.

Existe um motivo para ver esse filme? Sim, existe e ele se chama Corey Feldman. Edgar Frog destrói em todas as suas aparições no desenrolar da história. Feldman está impagável: divertido, carismático e maravilhosamente canastrão. O ator aproveitou bem a oportunidade de reviver o seu mais querido personagem, fazendo com que o expectador fique torcendo pelo cara aparecer mais e mais vezes. Se o seu tempo em cena fosse mais longo, o filme seria melhor. Só espero que na próxima e já confirmada continuação, a Warner Brothers pense mais nos antigos fãs ao invés de fazer de tudo para agradar a apenas um provável novo público e não repita os erros cometidos com OS GAROTOS PERDIDOS: A TRIBO.

Que Corey Feldman, Corey Haim e Jamison Newlander estejam juntos como protagonistas nesta continuação e Edgar Frog ganhe um filme solo. O personagem e o seu ator merecem. E como merecem.

terça-feira, setembro 09, 2008

Algumas pessoas já estão sabendo, mas uma boa maioria dos amigos da Internet ainda não... então vou contar logo: torci a perna esquerda. O pior de tudo é que eu tinha gravação para o meu projeto de conclusão de curso na tarde daquela quinta-feira. Meu pai me acompanhou e consegui gravar as três entrevistas marcadas para o dia. Mais na frente conversarei com todos vocês a respeito dele. ;)

Eu já tinha quebrado a perna direita aos 11 anos, só que eu não tinha idéia de que torcer é tão chato quanto quebrar. Tenho achado praticamente tudo um saco... principalmente a dorzinha sentida toda vez com o caminhar.
Fiquei dias sem acessar o PC direito, e-mail nem se fala, porque não posso ficar muito tempo aqui. Mas estou me cuidando. Pelo menos, a perna não está imobilizada e me sinto melhor do que antes. Daí fiquei esses dias todos em casa fazendo algo que "odeio": vendo uns filmes e revendo outros. Eis os títulos:



Vistos:

AS TORTURAS DO DR. DIÁBOLO - Dir.: Freddie Francis
BLACK THUNDER - O RESGATE - Dir.: Rick Jacobson
MACH 2 - Dir.: Fred Olen Ray
OS GAROTOS PERDIDOS - A TRIBO - Dir.: P. J. Pesce

Revistos:
ASILO SINISTRO - Dir.: Roy Ward Baker
DO SUSSURRO AO GRITO - Dir.: Jeff Burr

Até amanhã com comentários sobre três dos 6 filmes! Abraços.

terça-feira, setembro 02, 2008

EXTERMÍNIO DE MERCENÁRIOS (Deadly Prey, 1987, USA)


Grupo de mercenários financiado por um político (Troy Donahue, faturando uma grana no final de semana) sequestra homens inocentes para jogá-los no meio do mato e caçarem até a vítima ser executada. Só que dão o azar de escolherem Mike Danton (Ted Prior, numa atuação inesquecível) dentre tantos outros caras, logo ele que, além de ter um "mullet" style e passar o filme inteiro só de shortinho, é uma verdadeira máquina de matar e parte atrás dos seus algozes virando caçador no lugar de presa. Enquanto isso, a sua esposa entra em contato com o pai dela, um policial aposentado interpretado pelo veterano Cameron Mitchell (fazendo o mesmo que Donahue) para planejar o resgate de Danton.

Não vou mentir, EXTERMÍNIO DE MERCENÁRIOS tem um roteiro inexistente, diálogos queijudos e atuações ultra-canastronas de todo o elenco, da trilha sonora então nem se fala... Erros de continuidade? Olha só, tem uma cena em que o Cameron Mitchell aparece armado com um revólver para logo em seguida aparecer com uma espingarda!! Mas a ação simplesmente não para e as risadas também, pois Danton executa os seus inimigos das maneiras mais absurdas possíveis de se imaginar. É uma coisa linda, de doer a barriga de tanto rir. John Rambo? John Matrix? Tudo fichinha pro cara. Mike Danton mata nêgo com um graveto! Mike Danton leva tiro de tanque e não sofre um arranhão! PQP, David A. Prior é um gênio, preciso urgente ver mais filmes do cara!

Trailer:


Camuflagem:


Graveto:


Mike Danton vs. Tanque:

terça-feira, agosto 26, 2008


ENCARNAÇÃO DO DEMÔNIO, a partir desta sexta-feira 29 de agosto, no Cinema da Fundação Joaquim Nabuco.

Amigos e amigas de Recife e das outras cidades em que ele também deve fazer a sua estréia, vamos fazer bonito na bilheteria para mostrar ao Brasil que o cinema de terror, o cinema de gênero tem o seu público e deve ser apoiado sempre. Muitos dizem que o cinema nacional está indo bem. Pois este carinha aqui diz que não, não está. Só vou considerar que a produção cinematográfica do nosso país esteja melhorando no dia em que verei produções como FALSA LOURA, AMIGOS DE RISCO e, certamente, este ENCARNAÇÃO DO DEMÔNIO tendo o espaço, o reconhecimento merecido não só na mídia, mas dentre o público popular, o povão, a quem (creio eu) esses filmes devem interessar bastante. Num país de vergonha, alguém como José Mojica Marins nunca teria passado tanto tempo de sua vida sem filmar, a não ser que fosse por opção própria.

sexta-feira, agosto 22, 2008

À PROCURA DE VINGANÇA (Seraphim Falls, 2006, EUA)

Se eu fosse escolher um gênero de filme para ver numa tela de cinema pelo resto de minha vida, seria o faroeste. Não posso dizer que me decepcionei muito com algum filme do gênero até hoje. É claro que alguns títulos são fracos em comparação aos clássicos de gente como Leone, Ford, Corbucci, Sollima, Sturges (já parei... hehe) ou apenas pura diversão para matar 1h30 do nosso tempo como os cômicos que tiveram o seu ápice com os filmes de Terence Hill e Bud Spencer. Escrevo isso porque esperei para ver À PROCURA DE VINGANÇA no cinema, o que não aconteceu pelo fato dele ter sido lançado direto em DVD neste mês de agosto. E olha que eu podia muito bem tê-lo baixado e assistido desde o ano passado já que o DVD de "extras" tem menu animado e seleção de cenas. Depois as distribuidoras, revendas e os donos de locadoras reclamam da situação. Meus amigos, assim não dá. É também, no mínimo, muito decepcionante ver um filme como esses perdendo espaço para ESPARTALHÕES e coisas do tipo.

Basicamente, o que temos em SERAPHIM FALLS é Pierce Brosnan sendo perseguido sem dó por Liam Neeson e os quatro mercenários que o acompanham, dois deles são interpretados por ninguém menos que os grandes Michael Wincott e Ed Lauter. O motivo da perseguição virá através de rápidos flashbacks durante o filme, mas confesso que é um pouco difícil ficar cobrando essa explicação tamanha a intensidade vinda das atuações e da muito boa direção de Von Acken, também co-roteirista. Alguns poderão achá-lo lento e reclamar de seu simbolismo, presente no próprio título (o original) por toda a narrativa, embora mais evidente próximo de seu final com a aparição de dois outros personagens vividos por Wes Studi e Anjelica Huston. Resumindo tudo, um puta filme de tirar o fôlego com Neeson e Brosnan em grande forma e uma belíssima fotografia. Me peguei lembrando de outro grande duelo de atores enquanto o assistia, também um faroeste de se tirar o chapéu, PERSEGUIÇÃO MORTAL onde Lee Marvin e cia. partiam sem dó atrás de Charles Bronson em cenários lindamente fotografados. Neste filme de Peter Hunt, Ed Lauter faz parte do time de Marvin. Mera coincidência? Duvido muito.

Editado em 24/08/2008

terça-feira, agosto 12, 2008

Boca do Inferno: ENCARNAÇÃO DO DEMÔNIO - Atualização Especial

ARTIGOS: "Encarnação do Demônio"; "Uma Coletiva dos Infernos" e "O Fiel Escudeiro do Mestre", por Felipe M.Guerra

ARTIGOS ATUALIZADOS: "À Meia-Noite eu Levarei Sua Alma"; "Esta Noite Encarnarei no Teu Cadáver"; "Zé do Caixão"

ENTREVISTA: "Entrevista com o Mestre"

CRÍTICAS: "Encarnação do Demônio", por Marcelo Carrard e Raphael Fernandes

Novidades: Anjos da Noite 3; Espelhos do Medo; Estranhos, Os; Garotos Perdidos 2, Os; Grito 3, O; Jogos Mortais V; JoyRide 2; Return to Sleepaway Camp; Suspiria; Tyrannosaurus Rex

Infernotícias e Tablóide do Inferno: HD News - Carrie e Amityvile; Editorial - Encarnação do Demônio: Esperança para o Terror Nacional?; Lá Fora DVD - 12/08; Psicose Director's Cut?!; Enquete: Você Acha que Encarnação Vai Reacender o Interesse pelo Horror Nacional Mainstream?; Trailerama #047 - Encarnação do Demônio (2008); "Black Sabbath – As Três Máscaras do Terror" (1963), de Mario Bava, será exibido em 12/08 em Belém/PA; Capa de Dark Tower: Treachery #1; Marvel Solta um Trailer e Mais Capas Para The Stand; Divulgação de evento: "Filmes Malditos da Meia-Noite", dia 09/08 em Fortaleza/CE; A banda de metal extremo "Anhaguama" está lançando o EP "In Alliance With the Fallen Angels"; Trailerama #046 - Far Cry (2008); Do Fundo do Caixão: Disk-Freddy; A Volta Dos Que Não Foram: Buffy - A Série Animada; Dexter de Casa Nova no Brasil;True Blood: Cartazes da Campanha Pelos Direitos dos Vampiros; Diretores de Horror Realizam Curtas de Comédia para o XBox Live; Jogos Mortais Pela Vida; Divulgação de evento: "Temporada de Horror no CICAS - parte IV"; Disponível novo trailer de "PORTO DOS MORTOS" e novas imagens; Divulgação de evento de lançamento de livro: "Caminhos do Medo", da "Editora Andross"; "Onde as Coisas Cruéis Vivem" é o novo filme da "Sanglant", a mesma produtora independente de "Massacre Cirúrgico"; Confiram as novas atualizações do site de literatura soturna "Sombrias Escrituras"; Divulgação de revista em quadrinhos: "Tempestade Cerebral" número 3; Exposição de Prontuário 666 no Metrô Sé; Fear Itself: Segunda Temporada Ainda é Incógnita

BOCADASTRO: Novo sistema de cadastro no Boca do Inferno, que permite acesso às promoções e sorteios, ao mail list (para receber as novidades semanais), etc.

Equipe Boca do Inferno
www.bocadoinferno. com

segunda-feira, agosto 11, 2008

Isaac Hayes

1942 - 2008

sábado, agosto 09, 2008

RIP

Bernie Mac

1957 - 2008

quinta-feira, agosto 07, 2008

THE RIFT (aka La Grieta / Endless Descent, 1990, ESP/EUA)


Juan Piquer Simón (PIECES, SLUGS) ataca outra vez com esse filme, que ao lado de LEVIATHAN e DEEPSTAR SIX, formaram a famosa tríade dos filmes B lançados para tirar uma casquinha no sucesso de O SEGREDO DO ABISMO. No elenco, Jack Scalia (se você é fã de filme B, tem que ter visto pelo menos um filme com esse cara) e os ótimos R. Lee Ermey (o Sargento Hartman de NASCIDO PARA MATAR) e Ray Wise, que até hoje é lembrado por seu papel em TWIN PEAKS.

Não vi LEVIATHAN e DEEPSTAR SIX ainda, mas penso que esse THE RIFT deve ter sido o mais barato de todos. As cenas com miniaturas são risíveis, só que o elenco dá conta do recado e o roteiro deita e rola em ALIENS e nas ficções B dos anos 50 e 60 e até um pouco melhor do que costumamos ver em outras tralhas. Só aqueles diálogos técnicos e etc é que enchem o saco. Mas a razão para assistir a esse filme são as criaturas: nada de CG, tudo criatividade e mão na massa. E não são poucas, são várias!! Achei lindo de ver. :)

THE RIFT não é grande coisa, é previsível até dizer basta, tem crateras de roteiro, você pode muito bem passar sem ele, mas posso dizer que me diverti que nem quando eu era moleque e vivia alugando esses filmes empoeirados no fundão das locadoras. Foi uma verdadeira sessão nostálgica para mim, ou seja, esse comentário está vindo de alguém muito suspeito que ainda por cima é capaz de gostar de qualquer tralha só porque ela tem alguma criatura original e diferente. Veja por sua conta e risco hehehe.

PORTO DOS MORTOS: Novas Imagens, Novo Trailer





Lockheart Filmes Ltda. apresenta o primeiro trailer completo do longa-metragem independente nacional PORTO DOS MORTOS. O vídeo pode ser conferido no site oficial http://www.portodosmortos.com/ e no Youtube. Escrito e dirigido por Davi de Oliveira Pinheiro (que divide a produção com Isidoro B. Guggiana), PORTO DOS MORTOS acompanha a caçada de um policial (Rafael Tombini) a um assassino serial misterioso. Em pós-produção, BEYOND THE GRAVE – título internacional do filme – combina terror e policial em um road movie sobrenatural.

"PORTO DOS MORTOS é um mosaico de gêneros: uma mistura de possessão, magia negra, mortos vivos e intensas doses de suspense e ação", define Davi. O cineasta porto-alegrense buscou inspiração no cinema de Sergio Leone, Richard Stanley, George A. Romero, entre outros mestres cinematográficos, enquanto procurava sua identidade particular. "PORTO DOS MORTOS não é apenas um filme de horror, faroeste ou um policial convencional, mas algo que foge de qualquer definição. É uma produção que remete aos filmes de aventura que minha geração assistia nos anos 80", resume o cineasta.

Rodado em 22 dias entre os meses de fevereiro e abril na cidade de Porto Alegre (RS) e arredores, PORTO DOS MORTOS reuniu uma equipe de 40 profissionais. Locações foram especificamente escolhidas e/ou adaptadas para a pessimista e particular visão de um mundo pós-apocalíptico criado pelo diretor. "O filme é cheio de personagens e cenas que planejo há bastante tempo. Uma história diferente e cheia de reviravoltas que vai surpreender o público", explica Davi, enquanto trabalha na montagem de seu primeiro longa-metragem. "É um verdadeiro sonho poder trazer um filme de apelo popular às telas", conclui.

Referências internacionais

Beyond the Grave Trailer Live! - Dread Central (EUA, 28/07/2008).

Brazil Goes BEYOND THE GRAVE! – Twitch (Canadá, 28/07/2008)

Trailer from Beyond the Grave - ShockTillYouDrop.com (EUA, 28/07/2008).

Trailer for Brazilian PA zombie flick BEYOND THE GRAVE (Porto dos Mortos) - Quiet Earth (EUA, 28/07/2008).

New trailer, photos from BEYOND THE GRAVE - Fangoria (EUA, (28/07/2008).

Beyond The Grave : le trailer - Desperate Zombie (França, 28/07/2008)

Imágenes y trailer de Beyond The Grave (Porto Dos Mortos)El Rincón Oscuro (Espanha, 01/08/2008).

Imagens

Créditos: Fotos de Rodrigo Lorandi - © Lockheart Filmes Ltda. Legendas: #01 – O policial (Rafael Tombini) enfrenta o assassino misterioso. #02 - Rafael Tombini e Davi de Oliveira Pinheiro em um intervalo de gravação. #03 – O policial (Rafael Tombini) no porão. #04 – O Caçador.

Ficha Técnica

LOCKHEART FILMES LTDA. apresenta RAFAEL TOMBINI em PORTO DOS MORTOS, estrelando ÁLVARO ROSACOSTA, RICARDO SEFFNER, LEANDRO LEFA, LUCIANA VERCH, AMANDA GRIMALDI, Trilha Sonora VINICIUS CALVITTI, Canções FELIPE LONGHI, Direção de Som LEo BRACHT, Direção de Arte CARMEM FERNANDES, Direção de Fotografia MELISSANDRO BITTENCOURT, Montagem MARCELO ALLGAYER, Produção Executiva GLAUCO URBIM, Produção ISIDORO B. GUGGIANA, Produção, Roteiro e Direção DAVI DE OLIVEIRA PINHEIRO.

sexta-feira, agosto 01, 2008

Stuart Gordon is back on the track!

Mais um filme que quero muito ver este ano... e que deve ser impagável, como a grande maioria dos trabalhos de Stuart Gordon.




segunda-feira, julho 28, 2008

A BUCKET OF BLOOD (1959, EUA)


E lá vou eu com mais uma produção do Mestre Roger Corman, mas desta vez ele está na cadeira de diretor. Corman produziu muitos bons filmes e outros bons de tão ruins mesmo, só que - sem querer menosprezar as fitas de seus pupilos - é entre os títulos dirigidos pelo próprio que podem ser encontradas verdadeiras obras-primas do cinema de baixo orçamento. A BUCKET OF BLOOD é imperdível para os fãs do bom cinema barato não só por ser uma aula de como se fazer um filme B. Mas também por ser protagonizada por um muito jovem Dick Miller tendo a atuação pela qual sempre foi lembrado.

O filme fala de Walter Painsley (Miller), garçom de um bar repleto de artistas medíocres que se acham o máximo. Ele também os considera o que a arte tem de melhor e sonha em ser um deles. Mal deu 1 minuto de filme e o espectador já se dá conta disso, cinema mais simples, econômico e direto impossível. A sua vida muda quando acidentalmente mata o gato de sua vizinha e faz uma escultura com ele para expor no seu trabalho. Por conta do sucesso da peça, Walter vira o "artista" que tanto sonhava ser, mas não vai demorar muito para que ele invente de fazer um outro tipo de escultura. Aí só vendo o filme porque eu não vou falar mais nada não hehe.

Essa pérola do humor negro tem menos de 70 minutos de duração, é filmada com a criatividade que se espera de Corman e conta com um ótimo roteiro e elenco, mas o filme, claro, é de Dick Miller. Muitos estão acostumados a ver esse ator sempre deixando a sua marca fazendo pequenas participações em filmes dirigidos por James Cameron, Joe Dante, John Landis e Martin Scorsese que começaram as suas carreiras com Corman, isso sem falar de Fred Olen Ray e Jim Wynorski. Em alguns desses filmes, Miller interpreta um personagem sem qualquer relação com o protagonista deste A BUCKET OF BLOOD também chamado Walter Painsley. Homenagens merecidíssimas.

O filme está em domínio público, podendo ser asssistido online abaixo ou baixado através do Public Domain Torrents.

segunda-feira, julho 21, 2008

Dois avisos

- Já que falei de tiração de sarro com o post de TRANSYLVANIA TWIST, digo que vocês podem tirar um bom sarro com a minha memória. Coisas da idade... hehe. Não é que o VÁ E VEJA completou 2 anos no último dia 17 e eu jurava todo esse tempo que o aniversário dele era amanhã??? Ele é um bom garoto, meio levado e atrapalhado do juízo como o pai, mas que me deu um orgulho danado de tê-lo criado em muitos momentos de julho de 2006 até hoje. Muito obrigado aos amigos e leitores - novos e antigos - que acompanham esse espaço regularmente (embora as suas últimas atualizações não primem pela regularidade... uma coisa que espero corrigir a partir deste mês) e principalmente, a todos aqueles que me acompanham desde o meu início na blogosfera com o Erotikill. Um grande abraço.

- E a partir desta terça-feira, os fãs de cinema e quadrinhos presentes em Recife poderão prestigiar o evento DOS QUADRINHOS PARA AS TELONAS 3, promovido pelo site CineFlash na Livraria Saraiva do Shopping Center Recife. Participei da mesa de debates na segunda edição e posso dizer que o debate, além de ter sido muito divertido, apresentou um alto nível de troca de conhecimentos e experiências entre todos que estavam presentes naquele dia. O sucesso foi tão grande que o novo evento não durará apenas um dia, mas cinco! Fiquei muito contente quando recebi essa notícia junto com um convite para participar outra vez da mesa de debates. Clique aqui e confira a programação completa. A entrada é franca. Nos vemos por lá!

TRANSYLVANIA TWIST (1990, EUA)


Preparem-se, Osvaldo está no maior "mood" de cinema B, exploitation, velharias e afins. E o primeiro filme da lista a se passar a caneta é essa divertidíssima produção de Roger Corman dirigida por Jim Wynorski. Confesso que estranhei quando me dei conta de que estava assistindo a um Wynorski com classificação PG. Ou seja, nada de violência grave, palavrões e nenhuma moçinha do elenco tirando a camisa e o seu sutiã em cena por qualquer motivo que seja, uma coisa muito fácil de acontecer na grande maioria dos filmes assinados pelo diretor. Mas eu também confesso que no decorrer do filme, eu não senti muito a falta disso e acabei achando TRANSYLVANIA TWIST um dos melhores trabalhos do Jim. Acredite se quiser hehe. TRANSYLVANIA TWIST começa com uma mulher (Monique Gabrielle) sendo perseguida por Jason, Leatherface e Freddy Kruegger. Falar mais do que ocorre pode estragar a piada. ;)

Essa cena, além de ser bem divertida, prepara o espectador para ele entrar no clima anárquico deste pequeno e muito simpático filme. TRANSYLVANIA TWIST não se leva a sério em momento algum e apenas tem a pretensão de ser uma paródia simples, objetiva e divertida do cinema de terror dos anos 60 até o fim dos 80. Usando menos de 90 minutos de duração e com o aval de ninguém menos que Roger Corman, Jim Wynorski e o roteirista R. J. Robertson ainda tiram um sarro tremendo com o próprio filme e o cinema B. Nesse sentido, a trilha sonora de Chuck Cirino - que é parceiro habitual de Jim desde CHOPPING MALL - é excelente. Os protagonistas, Dexter Ward (hehehe) vivido por Steve Altman e Marisa Orlock (Teri Copley), seguem a caminho da Transylvania para recuperar o livro de Ulthar, um livro capaz de abrir a porta para as forças do mal invadirem o mundo e impedir o sinistro Conde Orlock (Robert Vaughn, se divertindo horrores), o sinistro tio da moça, de por as mãos nele. O elenco conta ainda com as participações especiais de Angus Scrimm (que não escapa e tem o seu "Tall Man" vitimado pelo roteiro) Brinke Stevens e - numa sacada brilhante de roteiro e montagem - Boris Karloff. Um momento em que é impossível não sorrir é quando eles chegam acompanhados de Victor Von Helsing (Ace Mask) ao castelo do conde e ela reclama do lugar, dizendo que esperava mais dele, o rapaz diz que certamente a produção fez o possível com o orçamento que tinha!!

TRANSYLVANIA TWIST pode ser ingênuo, bobinho, prejudicado em alguns momentos por números musicais desnecessários (poucos, ainda bem, só que amei "Just Give Me the Action", clipe feito com uma tonelada de cenas de ação outros filmes produzidos por Corman) e pelo seu humor extremamente leve e inofensivo para os pais poderem levar os seus filhos pro cinema sem se preocupar com violência, nudez e palavrões. Ainda assim, é bem melhor que SÁBADO 14, TRANSYLVANIA 6-500 e TODO MUNDO EM PÂNICO e seus derivados. É muito legal de vez em quando se assistir a um filme e ficar sorrindo um bom tempo depois só por causa dele.

segunda-feira, julho 14, 2008

VÁ E VEJA ressurgindo das cinzas depois de um merecido repouso que ninguém é de ferro. Sim, sim, já vai fazer um tempo que não tenho comentado praticamente nada dos filmes assistidos (último post com comentários do tipo foi em março!), mas a vida deu uma complicada daqueles tempos pra cá, a faculdade idem pela razão de meu curso (thank God!) estar chegando ao seu fim, probleminhas pessoais e uma série de outros motivos. Vamos deixar de papo porque agora estou mais relaxado, é Julho e o blog deve voltar à sua "normalidade". Quero muito a cada um ou dois dias voltar a falar com vocês de novo, seja com as dicas, notícias, vídeos e, claro, a razão de eu ter aberto esse espaço: escrever sobre os filmes que tenho visto.

E para começar as atividades, gostaria de dizer que o amigo Daniel Walrus me deixou a par de uma bela novidade neste final de semana.


Primeiro, aquele poster...




























Agora, esse trailer...



Resultado: HELL RIDE já é um dos mais esperados do ano para este seu camarada aqui. Mas agora é hora de fazer as apostas: será que ele chega aos cinemas antes do DEATH PROOF?? hehe.