segunda-feira, dezembro 31, 2007

ELEIÇÃO - O SUBMUNDO DO PODER (Hak se wui / Election, 2005, HK)


Penso que nunca as Tríades foram tão bem retratadas antes pelo cinema. É com muito realismo e equilíbrio que Johnnie To narra os bastidores do processo eleitoral para presidente desta instituição do crime que se enraizou na China e os mecanismos que fazem ela durar tanto. A produção assume isso através do excelente roteiro que conta com o diálogo de um policial que diz não ter jeito de extinguir essa máfia. O realismo é tamanho que ELEIÇÃO mostra ainda os próprios policiais liberando presos para conversarem com outros em suas celas e assim diminuir os riscos de uma iminente guerra. Os candidatos são vividos por Simon Yam e Tony Leung Ka-Fai em desempenhos irrepreensíveis e são apoiados por um elenco coadjuvante escolhido a dedo, que inclui caras conhecidas de outros filmes de To como Lam Suet e Nick Cheung.

A esposa de um dos protagonistas é a única personagem feminina digna de nota, mas ela tem pouquíssimas falas. Portanto, a masculinidade impera cada frame desta surpreendente injeção de novidade dentro de um subgênero infelizmente marcado pela constante repetição de cenas e mais cenas de obras clássicas em filmecos batidos e repetitivos. Ah, ajuda dizer que um simples tiro de arma de fogo não é disparado no filme inteiro e a gente não sente a menor falta disso, por incrível que possa parecer. Atenção para o final: um dos mais brutais e inspirados que já vi. Simplesmente o meu To favorito até agora, preciso urgente conferir a continuação deste filmaço.

PS: E é falando de ELEIÇÃO que encerro as atividades do VÁ E VEJA neste 2007, onde o blog completa 1 ano e meio de existência. Agradeço todo o apoio, paciência, amizade e companheirismo de todos aqueles que fazem com que eu continue a alimentar esse modesto espaço com vídeos, dicas, informações e resenhas onde costumo expressar a minha opinião sobre cinema. Para mim, 2007 foi um ano bem atípico. No lado pessoal, ele foi muito estranho e até mais horripilante do que muitos filmes de terror, mas tive várias agradáveis surpresas no decorrer dele, incluindo aí vários filmes recentes que vi e outros que finalmente consegui assistir. Pena que nos últimos 15 dias aconteceu algo chato entre eu e duas pessoas que tanto considero, tomara que tudo se resolva bem o mais breve possível. Atípico também é um adjetivo bem empregado para se falar das produções que vimos na tela grande. Títulos como APOCALYPTO, ROCKY BALBOA, CARTAS DE IWO JIMA, OS DONOS DA NOITE, ZODÍACO, POSSUÍDOS, O HOSPEDEIRO, RATATOUILLE, LEÕES E CORDEIROS, o projeto GRINDHOUSE e outros deixaram uma marca inegável nos corações cinéfilos de muitos amigos do blog que sentiram mais do que nunca o retorno do bom e velho cinema feito com o pé no chão. ONDE OS FRACOS NÃO TEM VEZ, O GÂNGSTER, SENHORES DO CRIME e nada mais nada menos que três faroestes irão entrar em cartaz para confirmar essa tendência no início deste novo ano que tem tudo para ser promissor.

Um grande abraço deste simples ragazzo a todos e até mais. :)

domingo, dezembro 30, 2007

Cenas de SEGURANÇA NACIONAL

Esse vai ser Trash até o talo!



Dica do Daniel The Walrus

terça-feira, dezembro 25, 2007

Ho-ho-ho!




VÁ E VEJA deseja a todos os leitores e amigos um excelente 25 de dezembro. É hora de aproveitar a folga do feriado com um bom descanso e uns filminhos legais. Como terei a companhia de Chuck, Tiffany e Glen (ou Glenda?) hoje, aconselho a ver pelo menos um que tenha uma boa dose de sangue e peitinhos para começar bem o dia. Miike, Franco, Castellari, Mattei, Friedkin e Cronemberg também são boas pedidas.

Um grande abraço.

domingo, dezembro 23, 2007

- Sabia que tinha deixado escapar uma... leiam o texto do amigo David sobre INLAND EMPIRE. Dá uma bela surra em muitos que andam recomendando por aí.
- Pessoal, a nova
ZINGU! está no ar desde a semana passada com os seus colaboradores detonando mais uma vez. Dentre os vários destaques da edição número 15, peço atenção de vocês pra colaboração de Marcelo Carrard que nos dá um especial Joe D' Amato e no texto que ele escreveu sobre os filmes apocalípticos italianos que dominaram os anos 80. Só ficou sem falar do hilário e obrigatório GUERREIROS DO FUTURO (Warriors of the Wasteland/I Nuovi Barbari, 82), um filme onde o moçinho Timothy Brent é currado (!!!!) sem dó e nem piedade por George "Anthropophagous" Eastman, mas tudo bem. Há a segunda parte do artigo de Rodrigo Pereira sobre o Faroeste Feijoada, Frank Capra, Eric Rohmer, Jerry Lee Lewis e muito mais.

- Saiu um texto bem pessoal e descontraído de minha parte na última atualização do
BOCA DO INFERNO sobre um alemão pirado que se chama Olaf Ittenbach, a mente desequilibrada responsável por LUA SANGRENTA, PREMUTOS e ALÉM DOS LIMITES. Todos filmes anárquicos e até repulsivos que não desapontam em sangreira de qualidade.

- Chequem as últimas atualizações do
B MOVIE BOX CAR BLUES e se deleitem. ;)

- No post com trailers de MY NAME IS BRUCE e THE MACHINE GIRL, eu e Bruno Martino a
respeito de HARD LUCK, um direto pra vídeo bem estranho e diferente dirigido por Mario Van Peebles com Wesley Snipes onde Cybill Shepherd encarna uma assassina em série. Pois bem, Snipes quebrou o seu silêncio com a imprensa e abre o bico numa interessante matéria que saiu esses dias no Entertainment Weekly . O ator dá a sua opinião sobre o fracasso de BLADE: TRINITY, das confusões com o Imposto de Renda, dos filmes lançados no mercado doméstico e até de uma provável cinebiografia de James Brown dirigida por Spike Lee onde ele encarnaria o próprio "Godfather of Soul".

Acho que por enquanto é só. Até a próxima, amigos(as).

Atualizado em 25/12/07

TEMOS VAGAS (Vacancy, 2006, EUA)


Fazem poucas horas que conferi esse pequeno suspense protagonizado por Kate Beckinsale e Luke Wilson. Ele seria lançado nos cinemas, só que a Sony do Brasil preferiu lançá-lo diretamente em DVD. Para o período fraco de lançamentos do gênero nos cinemas e nas locadoras, TEMOS VAGAS se sai bem e cumpre a sua proposta de ser uma boa diversão. Basicamente, temos um casal em crise no relacionamento passando uma noite nada agradável dentro de um hotel de beira de estrada. Os personagens estranhos estão lá, assim como os típicos clichês dos filmes de gente que se perde em estrada.

O roteiro em si não tem nenhuma grande novidade, além de ser um pouco convencional e até mesmo previsível. Mas TEMOS VAGAS tem a vantagem de ser curtinho (menos de 1h20mins, se não contarmos os créditos finais) e o diretor Nimrod Àntal não deixa espaço para encheção de lingüiça. O filme é simples, rápido e eficiente, exatamente o tipo que aprecio quando quero matar um tempinho. Só a conclusão desaponta um pouco, mas ainda assim digo que vale assisti-lo numa tarde preguiçosa ou então colocar ele como o segundo título de uma sessão dupla, assim como os antigos cinemas de bairro aqui de Recife faziam. Filme B de bom.

terça-feira, dezembro 18, 2007

Trailers

MY NAME IS BRUCE



"- Do you're ready for this, Bruce?

- Kid, i made a movie in Bulgaria. I'm ready for everything."


THE MACHINE GIRL

segunda-feira, dezembro 17, 2007

IMPÉRIO DOS SONHOS (Inland Empire, 2006, EUA)


O final de semana foi inesquecível. Eu só queria saber é de ver bons filmes numa sala escura de cinema, mais precisamente a do Cinema da Fundação Joaquim Nabuco que ainda está exibindo a sua programação normal da Expectativa 2008. A mostra de final de ano já tem tradição entre os cinéfilos recifenses e a coisa mais comum é "esbarrar" em conhecidos do ramo nas filas ou dentro das sessões. Vi 4 filmes, sendo que dois títulos eram mais do que esperados por mim: À PROVA DE MORTE e IMPÉRIO DOS SONHOS. Tentarei conversar um pouco com vocês sobre o último porque ele está consumindo a minha pobre cabeçinha desde as 21hrs de ontem, o horário de minha saída da sessão. Repararam que eu usei o verbo tentar no início da frase anterior? Não é para menos. Não é para menos mesmo.

Me sinto muito confuso em relação aos primeiros sentimentos que tenho a respeito deste mais novo trabalho de David Lynch, realizado cinco anos após ele ter cometido o maravilhoso CIDADE DOS SONHOS. Trata-se de um misto muito incomum de satisfação com decepção em relação a um filme que não tenho há anos. IMPÉRIO DOS SONHOS era o filme mais esperado de todo o ano de 2007 pela minha pobre pessoa, daí me aconteceu isso. Pode ser que uma revisão dê algum jeito nessa visão torta que tenho do filme, mas acredito que isso não deva ocorrer. Se você gosta de Lynch e está aberto a dedicar três horas de sua vida numa grande viagem, vá em frente. Se você for entusiasta de cinema digital e não gosta de Lynch, então você está ferrado, pois terá de ver esse filme de qualquer jeito para saber do poder que uma PD-150 tem e ninguém sabia.

A história do roteiro amaldiçoado a ser dirigido por Kingsley Stewart (Jeremy Irons) com os atores Nikki Grace (Laura Dern) e Devon Berk (Justin Theroux) é puro pretexto para Lynch nos jogar em mais um dos seus pesadelos filmados, só que desta vez captados em vídeo. E que beleza ver Lynch tão fascinado com a câmera na mão, a ponto da gente notar quando é ele que está operando ela, como muito bem disse o amigo André ZP no seu inspirado comentário onde também elogia merecidamente a total entrega de Luara Dern ao seu papel. O filme inteiro é dela. Ainda assim, Irons, Theroux e Harry Dean Stanton (que protagoniza momento marcante) não desapontam.


Eu disse a mim mesmo que não ficaria encucado tentando entender o filme, mas foi impossível. Só fui desistir e me deixar levar pela viagem um pouco tarde demais, cerca de 1h20min de exibição, quando Lynch já tinha nos soltado na escuridão e no delirante surrealismo do mundinho que habita a sua mente perturbada há um bom tempo atrás. É até chato falar isso de um filme do qual eu apreciei muita coisa, mas IMPÉRIO DOS SONHOS me fez ficar olhando pro relógio altas vezes em algumas de suas muitas tentativas de deixar o espectador desconfortável e desnorteado com o que está vendo. Isso não me aconteceu com A ESTRADA PERDIDA de onde Lynch tenta resgatar o clima aterrador e fantasmagórico de constante tensão sem o mesmo sucesso. Ainda há alguns momentos dignos de filme Trash (o que raios é aquela cena do rosto??) onde eu tive de rir junto com pessoas do público por vê-los sendo levados tão a sério. Ah, eu também achei aquelas cenas com o (suposto?) psicólogo um verdadeiro saco.

De positivo, destaco a trilha sonora com canções bem escolhidas mais uma vez e os atores conhecidos fazendo participações especiais. Dentre eles, Grace Zabriskie, Diane Ladd (mãe de Laura Dern, aqui em seu segundo filme com Lynch e a filha), William H. Macy, Naomi Watts (como a voz de um dos RABBITS) e as belezuras Laura Harring e Natassja Kinski. Só fui me ligar que Natassja estava no filme por causa dos créditos finais, será que eu viajei legal? hehe.

IMPÉRIO DOS SONHOS pode não ser metade de A ESTRADA PERDIDA e CIDADE DOS SONHOS, mas ele realmente marcou 2007. Várias pessoas (mais de 10, creio) saíram da sala lotada em que eu me encontrava para dar lugar a outras que pararam o estado de transe em que se encontravam para ocupar os lugares. O retorno de Lynch é uma experiência tão radical que só posso comparar a que eu tive este ano na tela grande com BUG. Ver esses dois monstros mandando bala no mesmo ano fez um bem danado ao meu coração cinéfilo. :)

Er... vejo agora que corro sério risco de ser Lynchado por causa de algumas de minhas palavras, mas tudo bem hehe.

PS aka Osvaldo destilando um pouco de sua cultura inútil:

1 - Diane Ladd fez uma cientista louca que quer dominar o mundo com dinossauros gigantes em CARNOSSAURO, produção de Roger Corman feita nas pressas pra faturar em cima de JURASSIC PARK, lançado no mesmo ano e protagonizado por Laura Dern.

2 - Dois atores B fazem rápidas aparições no filme. Cameron Daddo, o astro de PTERODACTYL, faz o agente do personagem de Justin Theroux. Stanley Kamel que está numa das cenas que achei dispensáveis é mais lembrado por mim de sua participação em AUTOMATIC, imitação até divertida de ROBOCOP e EXTERMINADOR DO FUTURO com Olivier Gruner e John Glover.

quinta-feira, dezembro 13, 2007

ONE FROGGY EVENING

Outro clássico de Chuck Jones.



Hello, my baby. Hello, my honey...

quarta-feira, dezembro 12, 2007

DUCK DODGERS DO SÉCULO 24 E 1/2

Achei! :)

Pato Furioso (Duck Amuck, 1953, EUA)

Antes de tudo, farei uma propagandinha. Eu peguei neste final de semana um DVD da Coleção Looney Tunes da Warner por um preçinho bem camarada chamado AVENTURAS COM PATOLINO e GAGUINHO.


O disco é ótimo. Ele vem com 14 episódios mais alguns extras. Estou vendo ele aos poucos e me divertindo com cada uma das pérolas que estão nele. Tem PATOLINO NO OESTE, ELEMENTAR MEU CARO, DUCK DODGERS DO SÉCULO 24 E 1/2 e outros.

Mas nada me preparou para a surpresa que foi rever PATO FURIOSO. Eu só pude ficar de queixo caído com o excelente curta de animação que ele é. Chuck Jones, Mel Blanc e cia. fizeram uma maravilha de filme. Em poucas palavras, o filme se resume a Patolino reclamando o tempo inteiro do cartunista que só vive sacaneando com ele do início ao fim do curta. Não dá pra ficar sem rir. Quando a gente está se recuperando das risadas, vem mais outra tiração de sarro com a cara do Patolino e mais outra e mais outra hehehe. Trata-se de um trabalho bem ousado para a época de sua realização. Hoje em dia, o filme é merecidamente visto como uma obra-prima.

Assistam a PATO FURIOSO abaixo (sem legendas em português):

quinta-feira, dezembro 06, 2007

quarta-feira, dezembro 05, 2007

Nas bancas

DVD + Revista DVD News Maio/07 = R$ 9,99

DVD + Revista Showtime = R$ 7,90

Desnecessário dizer que já estou com os meus, né? hehehe.

segunda-feira, dezembro 03, 2007

Aniversário de Nino Rota

Hoje o maestro completaria 96 anos.


Toda vez que penso em Nino Rota é essa trilha que me vem à cabeça.