segunda-feira, dezembro 31, 2007

ELEIÇÃO - O SUBMUNDO DO PODER (Hak se wui / Election, 2005, HK)


Penso que nunca as Tríades foram tão bem retratadas antes pelo cinema. É com muito realismo e equilíbrio que Johnnie To narra os bastidores do processo eleitoral para presidente desta instituição do crime que se enraizou na China e os mecanismos que fazem ela durar tanto. A produção assume isso através do excelente roteiro que conta com o diálogo de um policial que diz não ter jeito de extinguir essa máfia. O realismo é tamanho que ELEIÇÃO mostra ainda os próprios policiais liberando presos para conversarem com outros em suas celas e assim diminuir os riscos de uma iminente guerra. Os candidatos são vividos por Simon Yam e Tony Leung Ka-Fai em desempenhos irrepreensíveis e são apoiados por um elenco coadjuvante escolhido a dedo, que inclui caras conhecidas de outros filmes de To como Lam Suet e Nick Cheung.

A esposa de um dos protagonistas é a única personagem feminina digna de nota, mas ela tem pouquíssimas falas. Portanto, a masculinidade impera cada frame desta surpreendente injeção de novidade dentro de um subgênero infelizmente marcado pela constante repetição de cenas e mais cenas de obras clássicas em filmecos batidos e repetitivos. Ah, ajuda dizer que um simples tiro de arma de fogo não é disparado no filme inteiro e a gente não sente a menor falta disso, por incrível que possa parecer. Atenção para o final: um dos mais brutais e inspirados que já vi. Simplesmente o meu To favorito até agora, preciso urgente conferir a continuação deste filmaço.

PS: E é falando de ELEIÇÃO que encerro as atividades do VÁ E VEJA neste 2007, onde o blog completa 1 ano e meio de existência. Agradeço todo o apoio, paciência, amizade e companheirismo de todos aqueles que fazem com que eu continue a alimentar esse modesto espaço com vídeos, dicas, informações e resenhas onde costumo expressar a minha opinião sobre cinema. Para mim, 2007 foi um ano bem atípico. No lado pessoal, ele foi muito estranho e até mais horripilante do que muitos filmes de terror, mas tive várias agradáveis surpresas no decorrer dele, incluindo aí vários filmes recentes que vi e outros que finalmente consegui assistir. Pena que nos últimos 15 dias aconteceu algo chato entre eu e duas pessoas que tanto considero, tomara que tudo se resolva bem o mais breve possível. Atípico também é um adjetivo bem empregado para se falar das produções que vimos na tela grande. Títulos como APOCALYPTO, ROCKY BALBOA, CARTAS DE IWO JIMA, OS DONOS DA NOITE, ZODÍACO, POSSUÍDOS, O HOSPEDEIRO, RATATOUILLE, LEÕES E CORDEIROS, o projeto GRINDHOUSE e outros deixaram uma marca inegável nos corações cinéfilos de muitos amigos do blog que sentiram mais do que nunca o retorno do bom e velho cinema feito com o pé no chão. ONDE OS FRACOS NÃO TEM VEZ, O GÂNGSTER, SENHORES DO CRIME e nada mais nada menos que três faroestes irão entrar em cartaz para confirmar essa tendência no início deste novo ano que tem tudo para ser promissor.

Um grande abraço deste simples ragazzo a todos e até mais. :)

Nenhum comentário: