domingo, novembro 18, 2007

A CAIXA (The Box, 2003, EUA)


Não sou mesmo um fã de cinema dos mais "normais". Feriadão é algo muito bacana porque permite que a gente tenha um tempinho a mais para rever alguns filmes que curte. Ao invés de rever um Kubrick, um Roeg ou qualquer outro filme de um monstro sagrado, acabei mesmo foi vendo A CAIXA pela terceira vez. Este "neo-noir" feito para lançamento em vídeo e TV a cabo me agrada bastante. Qualquer filme que não tem receio de ser simples ganha pontos comigo e nisso A CAIXA é exemplar.

James Russo deve ter um de seus melhores desempenhos na pele de Frank Miles, um ladrão que sai da prisão em liberdade condicional que está decidido a cobrar uma antiga dívida do receptor Michael Dickerson (Jon Polito) para com ele. A primeira pessoa que Frank visita é Stan (Brad Dourif) que o tem como seu melhor amigo. Uma verdadeira figuraça, com certeza. Tudo muda quando o protagonista conhece Dora Baker (Theresa Russell), garçonete do pequeno restaurante onde ele toma café todos os dias. Eles saem, se conhecem melhor e nasce um romance entre o casal que só não esperava que o passado fosse tão impiedoso para com ambos. Steve Railsback (uau!) e Michael Rooker fazem os dois homens que farão da vida deles um verdadeiro inferno. Eles e Polito possuem tempo limitado de cena, mas suas participações são marcantes.

Vocês devem ter percebido que o elenco só tem gente boa e essa foi a principal razão para eu arriscar uma conferida. Só pude ficar feliz de ver que o filme era mesmo legal. A direção de Richard Pepin (da extinta PM Entertainment) é tão simples que beira à de um telefilme, mas possui momentos pequenos de pura inspiração, como podemos ver na brutal conclusão. Pepin tem um bom olho no ritmo da narrativa que nunca fica enfadonha e com isso produz a sua pequena obra-prima. Mas o verdadeiro astro do filme é James Russo, que além de protagonista, escreveu o bom roteiro e é co-produtor junto com Pepin. Enfim, a condução é bacana, roteiro, música e fotografia idem e os desempenhos do elenco me agradam muito, com destaque para os três R's: Russo, Railsback e Rooker. Só a Theresa Russell me pareceu fraca em algumas cenas nesta revisão, acho que o Pepin poderia ter tirado mais da capacidade dramática desta ótima atriz.

Outra coisa digna de nota em A CAIXA é ele ser protagonizado única e exclusivamente por pessoas mais maduras. Não aparece um mísero adolescente ou garotos e garotas de seus 15 a 20 anos durante o desenrolar da história. O próprio casal de protagonistas que estão na casa dos seus 50 anos é um achado. E a trama do filme não fica perdendo tempo em surpresas e reviravoltas. Tudo isso e pouco mais fazem deste A CAIXA um filme B de bom. Recomendo ele principalmente para quem curte cinema noir e bons dramas policiais. Tomara que esse textinho motive alguém a procurar por este filme que injustamente está colecionando poeira nas prateleiras das locadoras.

Um comentário:

Bruno disse...

Assisti uma única vez pelo canal TNT, lá por volta de 2008. Nunca mais reprisou em nenhum canal. Gostaria de assisti-lo novamente, porém, não encontro em nenhum lugar para download nem para assistir online.