domingo, setembro 09, 2007

O ENCONTRO DOS CAMPEÕES (That Championship Season, 1999, EUA)

Estou me sentindo um pouco abatido por conta de duas coisas que aconteceram comigo recentemente, ambas com relação a projetos onde eu estava envolvido e botando muita fé. A coisa que eu mais sinto medo em toda a minha vida é do futuro. Quem eu serei? O que irá acontecer comigo? Será que minha vida irá melhorar ou ela só irá piorar mais e mais? Será que deixarei algo para a posteridade e fazer com que algumas pessoas se lembrem de mim? Essas são perguntas que tem aparecido na minha cabeça quase todo santo dia.

O ENCONTRO DOS CAMPEÕES fala sobre isso. Me lembro da primeira vez em que assisti a esta segunda adaptação cinematográfica (embora feita pra TV) na TNT da peça teatral vencedora do Pulitzer de Jason Miller, que já foi levada aos palcos brasileiros por Cecil Thiré. Mesmo com o áudio dublado, fiquei bem surpreendido com a qualidade do roteiro e as excelentes atuações dos cinco atores principais que dão vida aos problemáticos personagens do filme. No finalzinho de 2005, consegui a fita VHS original legendada distribuída pela Warner Home Vídeo e revi no mesmo dia em que a peguei. Foi o bastante para eu considerá-lo um dos meus dramas favoritos.


Todo ano, o técnico (Paul Sorvino, que também tem sua estréia como diretor aqui) de um time de basquete colegial de uma pequena cidade na Filadelfia que ganhou o campeonato estadual faz uma reunião com três dos cinco daqueles jovens jogadores que se empenharam para conquistar a premiação e que continuam morando lá. Os outros dois saíram da cidade e nunca mais deram notícias. Agora é o vigésimo aniversário do acontecimento, os rapazes estão na casa dos 40 e um dos volta para participar do tradicional reencontro anual. Os garotos de Filllmore High hoje são:

Phil Romano (Vincent D'Onofrio): Executivo que vive se achando o bacana. Uma das pessoas mais ricas da cidade.

George Sitkowski (Tony Shalhoub): Atual prefeito que teme não conseguir se reeleger, apesar da ajuda de Phil na sua campanha.

James Daley (Terry Kinney): Diretor de uma escola, parceiro político de George.

Tom Daley (Gary Sinise, absurdo de tão bom!): Aquele que volta pra casa. Irmão de James, Tom era um promissor escritor que acabou se tornando um álcoolatra. Numa sacada genial e ao mesmo tempo irônica do roteiro de Jason Miller, essa personagem parece ser a pessoa mais correta de todas as presentes na reunião.

O que um grupo de amigos que não se vê há muito tempo juntos faz quando se reúne? Bebe! Lembram-se daquele dito popular "A bebida entra e a verdade sai"? Pronto, é exatamente o que vai acontecer aqui com os personagens deste drama. Se não fosse a chegada de Tom, aquela noite seria exatamente a mesma que ocorre todo ano. O ENCONTRO DOS CAMPEÕES sempre me deixa muito apreensivo porque ele fala com brilhantismo do que ocorre quando já estamos mais maduros e temos de nos conformar com todas as oportunidades que perdemos no decorrer de nossas vidas.

O filme é puro teatro filmado. Grande parte da sua duração se dá dentro da sala de estar na casa do técnico. Os belos desempenhos do elenco, um excelente texto e a direção simples de Paul Sorvino garantem uma bela produção no estilo que hoje está um tanto esquecida. Trata-se de uma história triste, protagonizada por pessoas que buscam a redenção tarde demais, mas a conclusão dá uma certa dose de esperança ao expectador a respeito do futuro daqueles homens que chega a ser tocante. Altamente recomendado.

Quero muito ver a versão anterior algum dia. Ela é dirigida e roteirizada pelo Jason Miller e tem Robert Mitchum interpretando o técnico. Os rapazes do time são vividos por Bruce Dern, Stacy Keach, Martin Sheen e o próprio Paul Sorvino.

Nenhum comentário: