domingo, maio 27, 2007

O LUTADOR (Undisputed 2, 2006, USA)

Hoje não estou com espírito para comentar alguns dos últimos filmes que vi no cinema como BAIXIO DAS BESTAS e UM CRIME DE MESTRE. O meu plano era escrever sobre minha presença na estréia de A VALIZE (isso mesmo, com Z) FOI TROCADA, o novo filme do grande Simião Martiniano que também é conhecido como o Camelô do Cinema. Para quem não tem idéia de como é Simião, basta dizer que ele tem o mesmo sangue cinéfilo de Ed Wood e Bruno Mattei circulando nas suas veias. Infelizmente a cópia exibida na sessão estava com problemas técnicos e uma nova exibição ficou a ser marcada. Uma pena mesmo, já que o filme prometia pelo que deu para conferir. Por isso vamos falar aqui outra vez de cinema "direct-to-video", que é um esquema de realização que me atrai mesmo decepcionando cada vez mais.

Quem mais aqui já viu esse logo uma porrada de vezes? hehehe

Poucas vezes tenho conferido filmes feitos exclusivamente para vídeo realmente bons. 2006 foi o ano das continuações baratas feitas para lançamento direto em DVD. Na maioria esmagadora das vezes, elas não tem a menor relação com o filme original. Só pela Sony teve 8MM 2, MULHER SOLTEIRA PROCURA 2, A CASA DE VIDRO 2, MATADOR DE ALUGUEL 2 e outras. Esse ano também devem ser lançadas mais, agorinha mesmo foi a vez de COM AS PRÓPRIAS MÃOS 2 com o Kevin Sorbo (aquele da série de filmes pra TV HÉRCULES com Anthony Quinn fazendo Zeus, lembram disso?) no lugar do Dwayne "The Rock" Johnson. Pois bem... os caras da Nu Image viram que era uma boa fazer uma continuação neste mesmo molde de O IMBATÍVEL (Undisputed, 2000), por ele ter feito um relativo sucesso e ser uma das poucas produções que a empresa lançou no cinema. O orçamento destas continuações é sempre mais baixo do que o original, algo que dá uma esperança de um retorno rápido e seguro do dinheiro investido pelos produtores.

No lugar de Walter Hill, Isaac Florentine. Um diretor mais conhecido por ter feito vários episódios de Power Rangers do que pelos seus filmes baratos de ação. Ao invés de Ving Rhames, quem interpreta George Chambers desta vez é Michael Jai White, um ator que desde SPAWN nunca fez mais nada que fosse mais digno de menção. Isso não cheira nada bem, não é? Mas eu só queria ver um puro e simples bom filme de porrada e pensei que ele poderia me satisfazer. E como satisfez! Parecia que eu estava assistindo um daqueles filmes massas de torneio dos anos 80 e 90!


O LUTADOR se passa na Rússia dos tempos atuais, embora tenha sido inteiramente filmado na Bulgária. George Chambers está no país para gravar um comercial de vodka, pois as coisas não vão nada bem para ele continuar com o seu elevado estilo de vida. Só que Chambers acaba sendo preso inocentemente por porte ilegal de drogas no seu quarto, numa trama armada por um mafioso para ele entrar numa das piores prisões do país e enfrentar Uri Boyka (Scott Adkins, puta revelação!), o campeão invicto do local. A cadeia é o palco das apostas ilegais no bar do mafioso, não perguntem para mim o motivo disso pois eu não faço a mínima idéia. Poxa vida, se o Chambers já está ferrado de grana, não custava nada apenas fazer uma oferta a ele ao invés disso tudo? Mas sabem como é... coisas de roteiro de filme feito pra vídeo comer mais tempo de exibição e não ser só uma coletânea de lutas hehe. Além do Chambers, há um outro detento americano vivido pelo injustiçado Ben Cross com quem o protagonista fará uma amizade.


Como dá pra notar, a única coisa que existe em comum neste filme com o original é a premissa básica e o personagem do Chambers que é interpretado aqui por alguém mais jovem. Eu gostei de Snipes e Rhames no anterior, mas Michael Jai White e Scott Adkins exalam carisma e ainda são verdadeiros artistas marciais. White faz basicamente o que o antecessor fazia (ficar bem puto quase sempre!) e ainda dá vários golpes nas inspiradas e brutais cenas de luta que ninguém imaginaria ver Rhames fazendo. O britânico Adkins como Boyka é um daqueles vilões que a gente adora odiar. Além de ser uma fantástica revelação como ator marcial, ele não decepciona em seu desempenho fora do ringue da prisão.

Não tem como o fã do gênero se decepcionar com O LUTADOR. Bom... a única coisa que achei fora de lugar foi a conclusão melosa. Nem tudo são flores. Mas Isaac Florentine aqui está em sua melhor forma, com muito mais domínio na câmera e nas cenas de ação. Ele sabe muito bem aquilo que quer e (ainda bem...) é mais discreto com os efeitos sonoros do que em seus filmes anteriores. Pelo menos, Florentine e Adkins podem ter certeza que já ganharam mais um fã aqui no Brasil. Depois do elogiado FORÇAS ESPECIAIS (Special Forces, 2003) e deste O LUTADOR, os dois se juntaram novamente em THE SHEPHERD onde uma briga daquelas entre Scott Adkins e Jean-Claude Van Damme é algo certo se depender de Florentine. A sinopse do filme é bem semelhante a do fuderoso O LIMITE DA TRAIÇÃO (Extreme Prejudice, 87) de Walter Hill.

PS: Leiam o comentário inspirado do amigo Luiz Alexandre sobre FORÇAS ESPECIAIS em seu blog clicando aqui. Eu tenho que ver esse filme algum dia!!

Nenhum comentário: