quinta-feira, abril 19, 2007

Mostra "Abrindo Cabeças" do Cine-PE

O Cinema da Fundação Joaquim Nabuco abre espaço para a Mostra “Abrindo Cabeças”, promovida pela 11º edição do Cine-PE: Festival do Audiovisual. A mostra apresenta três obras realizadas no período do Cinema Novo.

Sexta, 20 de Abril, 18h30
Opinião Pública
(Brasil, 1967). Documentário de Arnaldo Jabor.
Em “Opinião Pública”, o diretor faz, aos 27 anos, o primeiro filme de longa-metragem no estilo cinema verdade, analisando os corações e mentes da classe média brasileira, logo depois da "revolução" militar de 1964, mostrando como a classe média, com seu conservadorismo e ingenuidade, apoiou esse retrocesso histórico no país.
Cinemateca Brasileira / Livre / 65 min. / 35mm / Tela Plana / Mono
----------------------------------------------------------------------------------
Sábado, 21 de Abril, 18h30
Boca de Ouro
(Brasil, 1962) De Nelson Pereira dos Santos. Com Odete Lara, Jece Valadão, Daniel Filho, Maria Lúcia Monteiro, Ivan Cândido, Wilson Grey.
Baseado em peça homônima de Nelson Rodrigues e filmado de forma brilhante por Nelson Pereira dos Santos. Boca de Ouro (Jece Valadão) decide arrancar todos os dentes para colocar uma dentadura de ouro. Por ter sido abandonado pela mãe em uma pia de banheiro, deseja também que seu caixão seja todo de ouro, para se recuperar do trauma que sofreu. Boca de Ouro começa apresentando seu protagonista, que acabara de morrer assassinado. O repórter Caveirinha (Ivan Cândido), designado para descobrir a verdadeira história do marginal, vai entrevistar sua ex-amante, Guigui (Odete Lara), que conta três diferentes versões da vida do bicheiro.
Tela plana / 14 anos / 103 min. / Mono / Cinemateca Brasileira / Livre
----------------------------------------------------------------------------------
Domingo, 22 de Abril, 18h30
VIDAS SECAS
(Brasil, 1963). De Nelson Pereira dos Santos. Com Átila Ióri, Maria Ribeiro, Orlando Macedo, Jofre Soares, Gilvan Lima, Genivaldo Lima.
Rara oportunidade de ver no cinema a obra-prima de Nelson Pereira dos Santos, uma das melhores adaptações de uma obra literária para o cinema, neste caso, da obra de Graciliano Ramos. "Vidas secas" exibe o limite da incomunicabilidade e animalização do homem na família de retirantes que se desloca em movimento circular entre uma trégua e outra dada pela hostilidade da natureza. Filme determinante no período do Cinema Novo.
103 min. / Livre / 35mm / Tela plana / Mono / Cinemateca Brasileira

Serviço: Rua Henrique Dias, 609, Derby - Recife/PE
Fones e e-mail: 3073.6688, 3073.6689, 3073.6712 e 3073.6651 -cinema@fundaj.gov.br – Ingressos: R$ 6,00 (inteira) – R$ 3,00 - (acima de 60 anos/estudantes)

Nenhum comentário: