sexta-feira, fevereiro 16, 2007

Um papinho sobre minha adolescência e algumas pérolas que me marcaram

Eu tava teclando com o amigo Luiz Alexandre no MSN um dia desses e disse que iria escrever sobre dois filmes do Gary Daniels que tinha revisto nessas férias. Na mesma hora, bateu o desejo de compartilhar com vocês um pouco da minha alegria em relembrar daqueles tempos onde eu não fazia a menor idéia do quanto a vida é uma pauleira. Confesso que sinto muitas saudades de quando eu tinha os meus 13 e 14 anos. Muitas coisas aconteceram naqueles tempos, tanto no lado pessoal, quanto na cinefilia. Essa fase me marcou tanto que não consigo me lembrar do que aconteceu em 98 ou em 99, penso sempre nos dois anos ao mesmo tempo. Em meados de 1998, a minha família já estava estabelecida no mesmo lugar em que moramos até hoje, ganhei um "galo" na primeira briga realmente feia que eu tive (sem deixar de quebrar o nariz do infeliz que mexeu comigo hehehe) e eu já começava a me ligar um pouco sobre as garotas, principalmente no que elas queriam escutar dos meninos através das suas "mensagens subliminares".

Só estou falando um pouco sobre isso porque vários filmes vistos nesta época me marcaram tanto quanto esses acontecimentos tão comuns na vida de um adolescente. Eu era tarado pelas locadoras de VHS que impregnavam os subúrbios de Casa Amarela, bairro onde se situa o Educandário São José, a escola em que estudei do Jardim até a 8ª série aqui em Recife. Eu não era sócio de uma, duas ou três, mas de quatro! Elas eram ainda bem mais baratas do que as próximas da minha residência e contavam com as pérolas que essas não tinham nas prateleiras. No final de semana, pegava aquele pacotão só de filme que tinha porrada, tiro, explosão e mulher nua hehehe. Poxa vida... quantas saudades. Várias vezes participei e marquei sessões domésticas regadas a muitas risadas, pipoca e Coca Cola com os filmes de Jet Li (os que marcaram... TAI CHI, LUTAR OU MORRER, MÁSCARA NEGRA e MÁSCARA DA MORTE, o DURO DE MATAR do Wong Jing), Jackie Chan (a gente viu os clássicos CITY HUNTER e O MESTRE INVENCÍVEL mais de 5 vezes!!), Van Damme, Dolph Lundgren, Don "The Dragon" Wilson, Jeff Speakman, Jeff Wincott e outros figuras. Ainda vi A CATEDRAL no mesmo período e me lembro como se fosse ontem do quanto eu fiquei confuso com o filme, mas que gostei dele mesmo assim hehehe. Aquela foi a minha iniciação ao glorioso cinema de terror italiano. :)

Havia ainda o saudoso Cine Trash (Cara... como eu amava aquilo!! Dá pra fazer uma lista com mais de 10 títulos que passaram lá e que estão guardados na memória com muito carinho) e os que passavam de montão na Band e na Record de noite. Pense no barulho que era a sala de aula antes do professor entrar lá. Dava pra escutar que outros colegas também estavam comentando do mesmo filme que tinha passado ontem de noite na TV. Nas sessões de VHS, assistimos altos clássicos de John Woo como ALVO DUPLO 2, RAJADAS DE FOGO, NO CORAÇÃO DO PERIGO (PQP! Não sei porque esse filme continua tão obscuro. O balé da violência de Woo impera do começo ao fim aqui), FERVURA MÁXIMA e BALA NA CABEÇA, outros de terror e suspense como RESSUREIÇÃO com Christopher Lambert (que até hoje acho bom) e A BRUXA DE BLAIR, só que a memória afetiva puxa mais para esses pequenos e despretensiosos filmes que foram assistidos com pessoas especiais que acabei perdendo aquele contato por causa dos diferentes trajetos que tomamos em nossas vidas. Os poucos (bote poucos nisso... infelizmente) com quem falo até hoje dizem que será marcada uma reunião dos ex-alunos da 8ª série de 1999. Até hoje esse encontro só fica na promessa... vamos ver se ele acontece mesmo em 2007.

Acho que volto ainda amanhã ou até hoje mesmo pra falar de FÚRIA ASSASSINA (Rage, 1996) e TENSÃO TOTAL (Recoil, 1997), os dois filmes que revi do Gary Daniels. Abraços a todos.

Nenhum comentário: