segunda-feira, fevereiro 19, 2007

Gary Daniels em dois filmes da saudosa PM Entertainment

Gary Daniels é um dos outros figuras que participavam das saudosas sessões domésticas faladas no último post. Particularmente, acho uma puta injustiça ele não ser melhor aproveitado hoje em dia como podemos ver no pavoroso LADO A LADO COM O INIMIGO, onde nem mesmo Anthony Hickox conseguiu fazer alguma coisa para ajudar a salvar tudo da desgraça total. Daniels pode não ser nenhum mestre da atuação, mas ele é carismático, tem presença de cena e luta muito, além de ser britânico e garantir um charminho extra por causa do seu sotaque. O cara tinha tudo para ser um grande astro do cinema de ação e acabou tendo a carreira prejudicada com a repentina falência da PM Entertainment em 2000, a prolífera produtora de filmes B chefiada por Richard Pepin (que iria produzir e dirigir depois uma grata surpresa chamada A CAIXA) e Joseph Merhi, onde o astro britânico fez alguns filmes notáveis. Vamos aos comentários que chegaram mais demorados do que o previsto, mas chegaram:


FÚRIA ASSASSINA não é somente um dos melhores filmes de ação da PM, mas um dos melhores e mais divertidos exemplares do gênero dos anos 90. Cara... como eu fiquei feliz quando percebi que ele continua tão legal quanto o vi pela primeira vez numa sessão noturna da Rede Record. Dirigido por Merhi, o filme tem Gary Daniels como protagonista interpretando Alex Gainor, um professor de primário que tem uma vida das mais pacíficas e felizes ao lado da sua esposa e filha pequena, mas é feito de refém por um fugitivo de policiais corruptos. Os dois acabam sendo pegos pelos perseguidores e encaminhados a um laboratório secreto (que é exatamente como se imagina um laboratório tosco de filme B!) onde são realizados experimentos igualmente secretos do governo com seres humanos para a criação do assassino de guerra perfeito. Ohhhhh!! Que novidade!! Eu nunca vi isso antes em filme nenhum!!

Gainor recebe a injeção de uma droga feita para esse fim e não demora muito para que ele se liberte do local, pegue uma metralhadora de um guarda idiota e faça uma verdadeira festa espancando e baleando vários outros guardas idiotas. Os vilões - que tentam fazer cara de mal sem o menor sucesso - conseguem controlá-lo um pouco e o levam a um local deserto para acabar com a vida dele. Não conseguem e alguns acabam partindo desta pra melhor hehehe. A partir daí, as cenas de ação não param e se revelam muito bem executadas para uma produção assumidamente B e feita para o mercado doméstico. As minhas favoritas são as as passadas no topo de um grande prédio comercial (que acaba numa luta corporal dentro de um helicóptero, assim como o recente ADRENALINA com Jason Statham. Olha aí a fonte...) e num shopping center onde tem uma loja de vídeos da PM que exibe cartazes de CIA - CODINOME ALEXA, TOLERÂNCIA ZERO, A ARTE DE MORRER, CYBERTRACKER e outras jóias da cinematografia mundial produzidas por ela (exagerei nada hehehe) escapa imune da destruição. Acho que o filme não seria tão legal se o roteiro não incluísse uma boa crítica ao jornalismo sensacionalista enquanto mostra a cobertura da mídia sobre os inevitáveis desastres e corpos deixados para trás que acompanham a desesperada fuga do protagonista dos bandidos, da polícia, do FBI e da CIA!! O fracassado jornalista televisivo Harry Johansen (Kenneth Tigar, de PHANTASM 2) é o único que tem interesse em ouvir a versão de Gainor dos acontecimentos. Gary Daniels está em ótima forma, comprovando toda a desenvoltura frente às câmeras que eu falei mais acima.

Sim... sim.... este é aquele tipo de filme onde há várias falhinhas técnicas e de roteiro, onde os bandidos tem a pior mira possível, onde o ônibus escolar que o malvadão toma do motorista não tem nenhum pirralho dentro e etc. Mas quem quer gastar 1h30min do seu tempo com uma boa e inofensiva diversão está pouco se lixando para isso. Se você está a fim disso, pode dar uma chance para FÚRIA ASSASSINA que as chances de uma decepção são quase nulas. Na minha prateleira de DVD's, esse filme onde o pobre coitado do protagonista invade uma casa pra matar a fome e é agredido pelos proprietários - um casal de sadomasoquistas (!!!) - está lado a lado do glorioso, do magnífico, do genial COMANDO PARA MATAR do casca-grossa Mark L. Lester. Ele merece.


Em TENSÃO TOTAL, Daniels interpreta Ray Morgan, um policial que se envolve em um tiroteio contra um grupo de assaltantes e que acaba matando um deles junto com seus colegas de corporação. Ray e os companheiros descobrem que ele era de menor e filho de um mafioso (Richard Foronjy, de O PAGAMENTO FINAL e FUGA À MEIA-NOITE). O criminoso, por sua vez, faz com que os seus outros filhos se juntem aos seus capangas para cumprir uma violenta vingança contra todos os policiais responsáveis pela morte do jovem assaltante. Nada que já não tenha sido visto inúmeras vezes antes, não é? Por mim, até aí está tudo bem, já que existem vários filmes sem nenhuma novidade e muito bons mesmo assim por serem bem realizados e defendidos ao longo da sua duração. TENSÃO TOTAL não é um deles. O diretor e co-roteirista Art Camacho não busca outras soluções e segue aquela velha cartilha dos filmes de vingança, com a diferença de que para acontecer algo que deixe o personagem de Daniels extremamente puto e com uma vontade desgraçada de partir pra cima da família do mafioso e seus homens são gastos mais de 45/50min de filme!! Aí é demais pro saco de qualquer um. Ainda bem que o filme chega a ser involuntariamente engraçado por querer se levar tão a sério a todo custo. Simplesmente não dá pra fazer isso porque o roteiro é muito previsível e recheado por alguns dos diálogos mais clichês que já tive o prazer de ouvir. Adicione à receita o típíco show de pirotecnia que a PM sabia fazer tão bem e Gary Daniels fazendo bonito em algumas cenas de luta que o filme está pronto para ser lançado nas prateleiras. TENSÃO TOTAL passa o tempo, mas é bem inferior ao FÚRIA ASSASSINA que tinha um roteiro melhor e nem levava as suas cenas absurdas a sério. Enfim, a fita é válida apenas para os fãs mais alucidados do gênero que se divertem com todo o humor involuntário desse tipo de produção e os de Daniels, que também se leva a sério demais aqui.

Todos os dois filmes foram lançados em DVD no segundo semestre do ano passado pela New Pictures do Brasil Entertainment. Usei os títulos de quando eles saíram em VHS no Brasil e só o TENSÃO TOTAL saiu com o título de VINGANÇA SANGRENTA. Extras zero, menus fuleiríssimos e imagem/som de VHS com qualidade bacana, mas pelo menos a gente saiu na frente uma vez já que temos essas maravilhas em DVD e os gringos FDP secos por elas não hehehe.

Nenhum comentário: