segunda-feira, agosto 28, 2006

RED LINES

Dois curtas feitos por Frazer Lee e protagonizados pelo grande Doug "Pinhead" Bradley podem ser assistidos no YouTube. Ambos receberam premiações diversas e são bem cotados pelos fãs de terror. Em todo caso, resolvi postá-los por acreditar que eles merecem divulgação.

RED LINES:



"Red Lines gave me the total creeps and the creeps is essential to horror. I mean, if you don't have the creeps you don't jump - there's nothing to be afraid of. So, I mean, it was like - my legs tightened up and the muscles in my back tightened up because I was totally in a conundrum and it blew me away. This guy's a great director, he knows how to do it guys."
(Tobe Hooper, director of Texas Chainsaw Massacre & Poltergeist)

Comentário do editor: RED LINES é mais outra prova de que a falta de um grande orçamento não acaba sendo nenhum impecilho para fazer um bom curta-metragem. Fiquei até surpreso e feliz por ver Doug Bradley numa pequena produção como esta. Feito em apenas um mês, o filme dura 6 minutos e fala sobre uma detenção escolar aparentemente comum, mas que se revela nada agradável no seu decorrer.

Kirsty Levett mostra talento como a azarada aluna, que é um papel difícil por não possuir nenhum diálogo e Doug Bradley tem presença mesmo sem a famosa maquiagem do Pinhead. O curta é muito bem filmado, editado e dirigido, portanto vale a pena conferir e indicar. Infelizmente, pela tela pequena do YouTube não dá para se envolver como alguém que está assistindo ao filme num festival, caso óbvio de Hooper. Como este famoso diretor declarou, Frazer Lee tem futuro e já estou mais ansioso por URBANE, o seu primeiro longa-metragem onde Bradley e Robert Englund darão vida aos personagens principais e a trilha sonora ficará a cargo do excelente Claudio Simonetti.

ON THE EDGE - PARTE 1

ON THE EDGE - PARTE 2

quinta-feira, agosto 24, 2006

Eu adoro a The Asylum!


Na melhor tradição dos produtores picaretas italianos dos anos 80 e americanos como Roger Corman, Andrew Stevens e Damian Lee, eis que chega a THE ASYLUM. Trata-se de uma produtora especializada em produções de baixo orçamento que sem querer querendo acabou ficando famosa. Uma das mais comentadas dela é KING OF THE ANTS (lançado como TRATAMENTO DE CHOQUE pela Casablanca), filme dirigido por Stuart Gordon com Chris McKenna, George Wendt, Daniel Baldwin e Kari Wuhrer. Tudo começou quando David Michael Latt (o cabeça da ASYLUM) resolveu fazer uma adaptação de GUERRA DOS MUNDOS em 2005, já que este famoso livro de H. G. WELLS hoje se encontra em domínio público.

Simplesmente, a THE ASYLUM faturou uma puta grana legal lançando o filme nas locadoras um dia antes de GUERRA DOS MUNDOS de Steven Spielberg entrar em cartaz nos cinemas. Acredite se quiser, mas muita gente prefere este filme B do que a milionária produção de Spielberg. Eu provavelmente farei parte deste grupo quando o assistir e consegui uma cópia de PIRATES OF TREASURE ISLAND com o grande Lance Henriksen como Long John Silver. Deve ser uma maravilha, tem até inseto gigante na abertura!! Nem SERPENTES A BORDO (Snakes on a Plane) escapou, a turma da ASYLUM lançou SNAKES ON A TRAIN nas locadoras americanas três dias antes do esperado blockbuster classe B ir para as telonas.

Fiquem com os links para conferir o site oficial e ler uma matéria publicada pelo New York Post sobre os "mockbusters", onde a THE ASYLUM tem destaque. Pelo que sei, apenas BLOODY BILL, DETOUR, KING OF THE ANTS, KING OF THE LOST WORLD (que recebeu o título de KING - O REI DA SELVA da distribuidora California) são os únicos filmes da produtora lançados no Brasil.

Site oficial

Matéria "mockbusters" do NY Post

Agradecimentos ao camarada Eduardo Buss pela montagem das capinhas.

terça-feira, agosto 22, 2006

Samuel L. Jackson: O Sr. das Serpentes


Que beleza de posters, não?

Além de estrelar o aguardado SERPENTES A BORDO (Snakes on a Plane), filme B assumido de grande orçamento, Samuel L. Jackson também é protagonista de BLACK SNAKE MOAN, novo filme de Craig Brewer, diretor de RITMO DE UM SONHO (Hustle and Flow). A história se concentra numa ninfomaníaca branca, de passado conturbado, que tenta curar a sua "doença" com a ajuda de um bluesman negro mais experiente. Christina Ricci (Igual a tudo na vida), loirinha e magrinha, faz o par com Samuel L. Jackson (Star Wars).

John Singleton (Os donos da rua, Shaft 2000), famoso por dirigir filmes com temática racial, produz o longa ao lado de Stephanie Allain. Há algum tempo, a co-produtora comentou ao BlackFilm.com: "Onde Ritmo de um sonho é realmente sobre a noção de ter coragem de criar, Black Snake Moan é sobre ter a coragem de se relacionar com alguém".

O filme estréia nos EUA em 16 de fevereiro de 2007.

Fonte: www.omelete.com.br

Já que falei de SERPENTES A BORDO, confiram abaixo um divertido poster feito por um fã. Clique na imagem para aumentar a resolução dela no seu monitor.


Comentário de Ary Monteiro Jr. sobre o filme no orkut: "Porra o filme foi um fracasso de bilheteria mas quem assitiu disse que foi a melhor experiência cinematográfica do ano com platéias cheias de empolgação fazendo uma zona enorme no filme, jogando cobras de borracha na tela, batendo palmas de pé, gritando nas cenas de terror (dizem que o gore é bacana) e repetindo a fala "I had it with this motherfucking snakes in this motherfucking plane!" É o novo Rocky Horror."

domingo, agosto 13, 2006

MAIS CINEMA ASIÁTICO EM DVD














O meu amigo Titara Barros me recomendou dois filmes lançados pela obscura Oregon Films em seu comentário no último post. Resolvi destacá-los por acreditar que eles são merecedores de mais divulgação. Quando ele respondeu meu scrap no Orkut, soube que um deles era um filme sobre a Yakuza dirigido pelo Takashi Miike (de AUDITION e ICHI THE KILLER) intitulado CENA MAFIOSA, cuja segunda parte foi lançada pela mesma distribuidora. Estou ansioso para ver!! Sinopses de divulgação abaixo:

Cena Mafiosa (Family): As entranhas da Yakuza, a máfia japonesa, estão expostas em carne viva neste sangrento thriller dirigido por Takashi Miike. Muita ação, intriga, belas mulheres e tráfico de entorpecentes transformam Cena Mafiosa num épico sobre essa que é uma das máfias mais temíveis e inescrupulosas do planeta, da qual até Al Capone, se japonês fôsse, se orgulharia de fazer parte!

Cena Mafiosa 2 (Family – Part 2): Uma sangrenta produção policial, uma versão nipônica da saga de Dom Corleone, Cena Mafiosa 2 retoma a história do primeiro filme, para revelar a identidade do assassino de um poderoso da máfia, o chefe Mitsumikai. Mas como nem tudo é o que parece, outro mafioso, Hideshi, inicia uma investigação pessoal que pode revelar intrigas que o próprio Al Capone tremeria na base.














O outro filme é VENCER PARA VIVER que também teve sua continuação dirigida pelo diretor Takeshi Miyasaka e lançada pela Oregon Films. Não achei nada sobre os dois no iMDB. Sinopses de divulgação abaixo:

Vencer para Viver (Yanagawa Gumi): Um sujeito ensangüentado da cabeça aos pés está numa praia, aos prantos, quando diz para si mesmo:"esta é a última vez que choro". É assim, jogando o espectador já de cara no clima sombrio que persistirá por toda a trama, a abertura de Vencer para Viver, filme de inspiração tarantinesca dirigido por Takeshi Miyasaka. Narrado em flahback, o filme refaz a trajetória de Jiro Yanagawa, um coreano que se tornou um ás da cena mafiosa japonesa dos anos 50. Mexido em seus brios, Yanagawa se nega a retornar à terra-natal, mesmo depois de dar e tomar muita porrada da polícia. A motivação do bandido: vencer para viver.

Vencer para Viver 2 (Yanagawa Gumi 2): Poucas coisas nesta vida inquietam mais um homem do que seu orgulho ferido. E em se tratando do homem japonês, conhecido por cumprir com rigor seus códigos de ética, traições não são perdoáveis, e a vingança, ainda que demore, vai acontecer. Pois é de acerto de contas que trata esse thriller japonês, que volta a trazer a figura mística de Jiro Yanagawa, lutador coreano que fez fama no Japão, é chegada a hora de um sanguinário revival entre tropas inimigas. O filme é baseado numa história real.

"São dois filmes do caralho!!"

- Titara Barros

quinta-feira, agosto 10, 2006

NOITE E NEBLINA em DVD

Sei que fui um pouco atrasado mais uma vez, mas não poderia deixar de linkar aqui a ótima matéria de autoria do meu amigo Luiz Joaquim sobre o lançamento do DVD de NOITE E NEBLINA. O famoso e impactante curta-metragem de Alain Resnais recebeu um belíssimo tratamento da distribuidora recifense Aurora DVD. Esse pessoal me deixa com cada vez mais orgulho de ser pernambucano.

Clique aqui para ler a matéria

Confira a ficha do filme no site da AURORA DVD

Um belo motivo para assistir novas bagaceiras cinematográficas...


Mircea Monroe

Clique na imagem desta futura Scream Queen para conferir mais dos seus atributos artísticos (hehe) no BoizeBlog, do companheiro Eduardo Buss.

domingo, agosto 06, 2006

Erotikill e Van Damme

Não sei se algum leitor do blog desconhece que colaboro para um querido site de cinema intitulado Erotikill. Ele foi batizado em homenagem a FEMALE VAMPIRE, um dos clássicos do Jess Franco que também é conhecido como EROTIKILL, onde uma vampira interpretada pela sua esposa Lina Romay suga outra coisa ao invés de pescoços. Deu para entender, não é? hehehe.

O site teve atualização no último dia 01, com três resenhas de minha autoria. Tirando o despretensioso BLAST!, uma das produções mais recentes de Anthony Hickox, os outros podem ser considerados muito especiais. Eles são OS 4 DO APOCALIPSE e TEMPO DE MASSACRE, nada mais nada menos do que dois faroestes italianos dirigidos pelo mestre Lucio Fulci. O link do site pode ser visto no lado direito da tela do seu navegador.

BLAST!

TEMPO DE MASSACRE

OS 4 DO APOCALIPSE

Achei este vídeo tronxo no You Tube mostrando a primeira aparição cinematográfica de Jean-Claude Van Damme. É um trecho do filme MONACO FOREVER, onde o futuro astro das artes marciais interpreta um lutador de karatê gay. Só vendo para crer...

CINEMA CLASSE B RECENTE

Como muitos devem saber, curto uma boa tralha sempre que possível para "aliviar" um pouco o cérebro dos filmes autorais e "cabeça" que ando assistindo. Sinceramente, não consigo passar um mês sem ver uma divertida bagaceira com o propósito de relaxar e dar umas risadinhas. Vários exemplares do cinema B e Trash funcionam melhor do que muita comédia para mim. Devido a esse meu assumido mal gosto, me decepciono várias vezes com alguns e com outros me vejo sorrindo como um garotinho que acabou de ganhar um doce. Neste post, farei uma rápida revisada em alguns títulos assistidos recentemente.

PTERODACTYL - A AMEAÇA JURÁSSICA (Pterodactyl, 2005): Esse daqui é dirigido pelo casca grossa Mark L. Lester, que nos seus melhores dias realizou os crássicos COMANDO PARA MATAR e OS DONOS DO AMANHÃ e os praticamente desconhecidos JUSTIÇA EXTREMA e SÁDICA PERSEGUIÇÃO estrelados por Scott Glenn. Produzido em associação com o canal televisivo americano SCI-FI, fato que garante estréia na programação, o filme é uma violenta e eficiente diversão B. Quando pegamos a capinha do DVD e lemos a trama pra lá de besta do longa, estranhamos um pouco a censura 18 anos.


A sangreira rola mesmo solta, com decepações e mutilações diversas. O filme pode ser resumido em Coolio (que parece disputar o posto de rapper metido a ator mais tosco do cinema B americano com Ice-T, veja montagem acima) fazendo cara de mau e o restante do elenco lutando para sobreviver dos ataques de um bando de pterodátilos de CGI. O roteiro é muito simplório, cheio de personagens estereotipados, daqueles que todos nós já sabemos quem ou não irá morrer. Ainda temos de aturar um climinha de romance entre um casal aguadinho que só. Vale mais para os afeitos e ver (como foi meu caso hehe) tomando uma biritinha e comendo pipoca. Bobo, direto e divertido, como qualquer filmeco B de criaturas deve ser. Fã de terror e ficção, preste atenção nos sobrenomes dos personagens, que prestam uma homenagem a famosos e influentes autores literários.

Link para a resenha no Erotikill do meu amigo Carlos Afonso: Clique Aqui


CIDADE DO CRIME (Water's Edge, 2003): Tá aí um filme daqueles que enquanto a gente assiste, já pensamos no SuperCine da Rede Globo. Confesso que só peguei ele por causa da gatinha Emmanuelle Vaugier. É mais uma daquelas historinhas de gente da capital que chega numa cidade aparentemente pacata do interior e se mete em encrenca. Nem Vaugier e Daniel Baldwin, que mesmo quando detona na canastrice sai perdendo para o irmão Stephen, ajudam o bastante. Se tivesse apenas um elenco melhor e um pouco mais de empenho na direção, estaria acima da média. Como isso não acontece, resta apenas um filme razoável e sem maiores atrativos.


ARMADILHA DE FOGO (Firefight, 2003): Falando nos Baldwin, acabei dando uma chance a este filme produzido pelo meu querido Roger Corman onde Stephen Baldwin tira onda de bandido. É um daqueles "direct-to-video" padrão que usam imagens de incêndios reais (e de outros filmes, com certeza) para economizar no orçamento. Ele fala sobre um bombeiro que arquiteta um assalto a um carro-forte pensando em pagar as contas do seu pequeno restaurante que está quase falindo. O plano é utilizar um incêndio controlado na floresta local enquanto eles entram em ação. Tudo corre muito bem até que uma gatinha integrante no esquema conta tudo, por livre e espontânea pressão, para o agressivo namorado. O mala, portanto, chama seus coleguinhas para roubar todo o dinheiro do grupo. Se isso não fosse o bastante, o fogo escapa do controle e ocasiona um furioso incêndio que toma conta da floresta durante o desenrolar do roubo. ARMADILHA DE FOGO é daqueles filmes que assistimos quando não temos absolutamente nada melhor para fazer. Embora previsível, passa o tempo numa boa e Stephen Baldwin solta a franga em uma de suas piores atuações. Acredito que nem naquele SNAKEMAN ele esteja tão ruim. O elenco conta com Steve Bacic e Nick Mancuso como protagonistas.


ÁGUIA 1 - O RESGATE: Outra produção do Roger Corman. Com Mark Dacascos, Theresa Randle e participação especial de Rutger Hauer, o longa-metragem vale mais pelos aspectos técnicos do que pelo seu conteúdo. Como alguns devem saber, os filmes de Corman possuem orçamentos bem limitados e este daqui - numa decisão muito acertada - foi inteiramente filmado em câmeras HD. Ele tinha tudo para ser bom, porém acaba sendo um medíocre filme de guerra. As duas piores coisas para qualquer exemplar do gênero são a falta de realismo e cenas de batalha que deixam o espectador entediado. ÁGUIA 1 - O RESGATE tem os dois. Para piorar, o filme evita violência gráfica e Hauer e Randle não convencem como militares. Enquanto o veterano fala com os outros atores como se estivesse na cozinha de sua casa, a bonita atriz negra de GAROTA 6 parece estar desconfortável quando empunha uma arma. Já Mark Dacascos é esforçado e tem o melhor desempenho.

terça-feira, agosto 01, 2006

VIAGEM MALDITA (The Hills Have Eyes, 2006)



Eu tinha escrito um comentário bem humorado no excelente blog de Marcelo Carrard chamado Mondo Paura (ver links ao lado...), que estava me sentindo um excluído da saudável "sociedade" dos vários - e verdadeiros - fãs do bom e velho cinema de terror por ainda não ter visto VIAGEM MALDITA. Agora posso dizer que não me sinto mais, pois assisti esse belíssimo exemplo de refilmagem feita com carinho e respeito pelo filme original no último domingo. Como muitos devem saber, o longa-metragem é a nova versão de QUADRILHA DE SÁDICOS, um dos filmes mais cultuados de Wes Craven. A trama em si não tem maiores novidades, onde uma família segue viagem de férias em comemoração pelas bodas de prata do patriarca e da matriarca desta. Eles inventam de pegar um atalho recomendado pelo suspeito dono de um posto de gasolina, caem numa armadilha e durante a noite, são brutalmente atacados por um clã de canibais sádicos e deformados.

Tinha várias coisas para postar na frente, mas resolvi aproveitar o tempo e escrever um pouco sobre esta produção que merece destaque. O filme é mesmo bem acima da média e extremamente bem dirigido por um jovem chamado Alexandre Aja. Vindo do merecido sucesso de ALTA TENSÃO, um belo e violento suspense já disponível nas locadoras brasileiras, Aja mostra todo o seu talento na condução de uma história até batida. As únicas falhas de VIAGEM MALDITA são o mal aproveitamento de uma figuraça como Billy Drago e o roteiro que não conseguiu driblar alguns dos clichês mais convencionais do gênero. Nem vale a pena citá-los aqui, pois não pretendo alongar o texto. Concluindo, se você está a fim de ver um filme de terror bom de verdade e sem frescuras, assista a VIAGEM MALDITA. Com boas atuações (requisito fundamental para uma produção do estilo ser bem sucedida, uma excelente direção de fotografia de Maxime Alexandre (anotem esse nome...) e uma trilha sonora inspiradíssima de tomandandy (apreciado por mim desde que assisti a PARCEIROS DO CRIME e UM HOMEM SEM DESTINO, ambos de Roger Avary), ele vale todo o preço do ingresso. Se eu achei a versão censurada - que está sendo exibida nos cinemas - uma pauleira, imagina a desgraceira que vem na sem cortes...