domingo, novembro 26, 2006

BERNIE (Idem, 96, FRA)



A primeira vez que reparei no rosto e no talento de Albert Dupontel ocorreu em meados de 2004 quando vi o polêmico IRREVERSÍVEL. Depois tive o grande prazer de vê-lo novamente no tenso e inesquecível ASSALTO AO CARRO FORTE, puta filme que agora está colecionando poeira nas prateleiras das locadoras. Por causa deste último, passei a olhar para este artista, até então desconhecido pela minha pessoa, com outros olhos.

Há duas semanas atrás, o Cinema da Fundação Joaquim Nabuco aqui em Recife anunciou uma mostra especial de comédias francesas e BERNIE, a estréia na direção de Dupontel, estava programado para ser exibido. Acabei deixando de aproveitar aquele tempo disponível para ver OS INFILTRADOS que tinha acabado de estreiar, mas este todo mundo sabe que ocasiões para assistir a um filme daquele porte na tela grande não devem faltar por umas três semanas após a primeira exibição.

BERNIE é o nome do protagonista, também interpretado pelo diretor e roteirista Dupontel. Ele é um homem de 30 anos que sai do orfanato com as suas economias bem consideráveis e está determinado a achar os seus pais que o deixaram jogado no latão de lixo quando ainda era um bebê. Bem... se não fosse pela grotesca imagem que acompanha esse post, você juraria que o filme era um dramalhão daqueles. O porém é o simples fato da personagem não ter a mínima noção do que é viver em sociedade, resultando em ações e reações um tanto desagradáveis.

O humor corrosivo de Albert Dupontel é destilado durante toda a duração do filme, que utiliza algumas seqüências dignas de figurar num legítimo representante do cinema extremo. Portanto, muitos espectadores poderão ficar chocados. Até agora só vi esses três filmes com o autor, mas creio que posso dizer que trata-se de um dos seus melhores desempenhos. Em diversos momentos, o perturbado Bernie chega a assustar pela sua completa inocência e falta de bom senso.

Dupontel ainda mostra ser bom diretor de atores, pois ninguém do elenco de BERNIE desaponta. Todas as atuações estão muito bem adequadas ao clima insano da produção. As insistentes comparações que fazem da condução deste filme com o estilo de Tarantino não devem ser levadas muito a sério. Meu conselho: simplesmente relaxe e aproveite aproximadas 1h30min de pura tiração de sarro com a sociedade em geral.

PS 1 - Finalmente vi OS INFILTRADOS nesta tarde de domingo. Gostei muito, mas CONFLITOS INTERNOS continua superior. Depois escrevo melhor sobre ele aqui.

PS 2 - Ainda bem que a ZINGU! é mensal, pois ela merece ser degustada como um bom vinho: aos poucos e com toda a atenção para a sutileza do seu sabor. Finalmente me lembrei de divulgar neste espaço a segunda edição desta revista eletrônica que vem ganhando leitores fiéis e adeptos a sua postura de falar de cinema com total ausência de frescuras por parte de um time de gente que realmente é apaixonada pelo assunto. Simplesmente imperdível!! E quem responder o quiz ganha uma tubaína de 2 LTS. paga pela equipe!!! hehehe.

Nenhum comentário: