domingo, outubro 01, 2006

NAS GARRAS DO CRIME (Wild Side, 1995)


Antes de começar, devo dizer que estou comentando a edição brasileira em DVD da D+T Editora (lançada em 2003, acredito) que usa a VHS da Sunset Filmes como matriz. Portanto, o filme é apresentado com imagem em tela cheia, legendas embutidas e boa qualidade de som. É uma pena que oficialmente nós não possamos escolher entre a versão de 96 minutos - a comentada aqui - e a do diretor (feita a partir de anotações e observações de Donald Cammell pelo editor e amigo Frank Mazzola) que tem 111 minutos pelo fato desta nunca ter sido lançada no nosso país. Do jeito que está, LADO SELVAGEM - isso mesmo, eu sou chato e não vou usar aquele título chumbrega!! - é um filme com desenvolvimento e narrativa confusas que só pode ser recomendável para quem queira conhecer algo de Donald Cammell (assinando aqui com o pseudônimo Franklin Brauner), assistir a famosa cena de lesbianismo entre Anne Heche e Joan Chen (lógico!!) e pelas atuações do bom elenco, que também conta com Christopher Walken e Steven Bauer.

Infelizmente, sabe-se que Donald Cammell cometeu suicídio pouco tempo depois do lançamento deste filme. Muitos acreditam que a briga com os produtores - que demitiram Frank Mazzola (apesar do nome dele continuar nos créditos) e reeditaram tudo ao seu jeito - tenha sido o principal motivo deste lamentável fato. A Nu Image queria aproveitar a polêmica levantada pelo relacionamento amoroso entre Anne Heche e a Ellen DeGeneres na época, pois LADO SELVAGEM, segundo eles, era um tedioso "filme de arte". Apesar dessa versão não ser a ideal, penso que um pouco do que Cammell queria passar ao espectador está presente. Também nota-se que o improviso rola solto nas interpretações em algumas cenas e ele faz com que Walken entregue uma das suas falas mais memoráveis: "You know what you get for rape? Ten years in a cell! With a gorilla! With a PSYCHO gorilla!"


Gostaria muito de conhecer a versão do diretor, porque a edição oficial só não é um típico filmeco de Cine Privé por causa dos motivos já citados no primeiro parágrafo. Há ainda outra cena memorável (a primeira é a da foto acima hehe) pela sua tremenda insanidade protagonizada por Walken e Bauer. Esse último foi muito bem escalado e Bruno Buckingham é um dos tipos mais dementes da galeria de personagens esquisitos da filmografia de Christopher Walken, que deve estar ainda melhor na "director's cut".

Nenhum comentário: