domingo, setembro 10, 2006

TRAGAM-ME A CABEÇA DE ALFREDO GARCIA (Bring Me the Head of Alfredo Garcia, 1974)


Um poderoso fazendeiro (Emilio Fernandez, de MEU ÓDIO SERÁ A SUA HERANÇA) força a sua filha grávida a dizer o nome do pai da criança sob tortura. Furioso ao saber quem é o responsável, ele faz um anúncio na presença de vários visitantes: TRAGAM-ME A CABEÇA DE ALFREDO GARCIA. O protagonista Benny (Warren Oates) é um perdedor que está faturando uns trocados para se sustentar tocando piano num pequeno bar do México. Numa das muitas noitadas daquele local, ele entra em contato com dois homens misteriosos (Gig Young e Robert Webber) atrás de maiores informações sobre o paradeiro do procurado. Nosso anti-herói acaba indo ao escritório dos chefes da dupla e aceita a proposta de 10.000 dólares para partir em busca da valiosa cabeça. Junto com a namorada Elita (Isela Veiga), ex-companheira de Alfredo Garcia, já morto e enterrado, Benny enfrentará uma viagem inteiramente marcada pela violência e ganância do ser humano.

Essa é a trama deste verdadeiro clássico do cinema dos anos 70 dirigido pelo excelentíssimo senhor Sam Peckinpah. Minha nossa, que filme!! Fiquei grudado na cadeira, sem querer perder nenhuma cena e nenhum mínimo detalhe da jornada de Benny atrás da cabeça do infeliz sujeito que tem seu nome no título. Trata-se de uma obra-prima que continua (e continuará sendo) bastante influenciadora pelo seu notável clima estranho e melancólico. Enquanto o assistia, me lembrava do belíssimo OS TRÊS ENTERROS DE MELQUIADES ESTRADA diversas vezes.

Warren Oates está perfeito na pele de Benny, um pobre homem que vai perdendo a razão progressivamente durante o trajeto da viagem. Os vários momentos onde ele tenta convencer a Elita de que Alfredo Garcia não se importaria de ter o seu túmulo violado e ser decepado logo em seguida para a felicidade dela chegam a ser divertidos de tão absurdos. Oates também protagoniza as fantásticas cenas da complicada relação de Benny com a cabeça de Alfredo Garcia. Simplesmente, não há cinéfilo que as deixe de carregar para sempre na sua memória.


Eu agora me junto ao coro e digo que Peckinpah nunca foi tão Peckinpah em TRAGAM-ME A CABEÇA DE ALFREDO GARCIA. Além dele ter sido o único filme onde esse grande cineasta teve completo domínio da edição final, Benny pode ser visto como um dos personagens mais auto-biográficos já escritos. É conhecido que o próprio Oates se baseou em Peckinpah para compor a sua atuação, pegando até os óculos escuros do diretor emprestado. Complementando tudo, temos ainda uma trilha sonora irrepreensível de Jerry Fielding e a participação especial de Kris Kristofferson como um dos motoqueiros que aparecem para incomodar o casal de protagonistas.

Feio e bonito ao mesmo tempo, ALFREDO GARCIA acabou virando um dos meus filmes favoritos. E amei a última imagem, que mostra uma metralhadora disparando. Quando os disparos se encerram, aparece "Directed by Sam Peckinpah" abaixo do cano e no lado esquerdo da tela. Lindo... lindo... lindo...


Agradecimentos especiais a Fernando Vasconcelos e Kleber Mendonça Filho.

Nenhum comentário: