sábado, julho 22, 2006

11:14 (2003) VS CRASH (2004)

11:14 e CRASH - NO LIMITE são dois filmes bem distintos, mas que possuem algumas semelhanças entre si. Eles fazem parte da liga dos "filmes com narrativa diferente onde vários personagens se encontram e se desencontram" como SHORT CUTS, PULP FICTION, AMORES BRUTOS, MAGNÓLIA, TRAFFIC, 21 GRAMAS, SIN CITY e SYRIANA.


CRASH - NO LIMITE ficou ainda mais famoso do que merecia por ser uma das maiores (senão a maior...) zebras acontecidas na história do Oscar, pelo fato de ter recebido os prêmios de Melhor Filme (!!!), Melhor Roteiro (!!!) e Melhor Edição (!!!). Confesso que ainda fiquei um pouco chocado quando soube, pois já tinha me preparado devido aos absurdos cometidos em outras edições do evento. Pensando melhor depois de ter lido a divulgação das premiações, notei que estava tudo muito bem esquematizado, afinal, é de se estranhar a inclusão de um filme datado de 2004 numa premiação que iria acontecer em 2006. A contemplação de CRASH na festa do Oscar foi uma prova inegável do pavoroso tradicionalismo da Academia, que simplesmente deixou um filme adulto, forte e poderoso chamado MUNICH voltar para casa de mãos abanando.


Já 11:14 é outra vítima da injustiça. Apesar de possuir uma boa reputação nos festivais em que circulou e gente talentosa interpretando seus errantes personagens, esta produção de 2003 não teve chance nos cinemas norte-americanos e foi lançada diretamente em vídeo e DVD. Isso acontece normalmente com filmes ruins e de bom elenco como END GAME, só que 11:14 não é de maneira alguma um filme ruim. Trata-se de uma produção independente muito bem realizada e divertida, mostrando o que acontece a várias pessoas no horário estipulado de 11:14 da noite e como as suas ações (bem imbecis, na maioria das vezes) acabam influenciando a vida dos outros.

Lembrou de CRASH - NO LIMITE? Sim, é exatamente a mesma premissa. O filme oscarizado tem o foco na questão do preconceito (olha a pretensão aí...) e seus personagens também cometem atos que influenciam o cotidiano dos outros participantes da trama. Vamos a um pequeno e fundamental detalhe: Os personagens de 11:14 residem numa pequena cidade do interior norte-americano, enquanto os protagonistas de CRASH moram em Los Angeles!!

Muitos podem acusar 11:14 de beber na fonte de Tarantino e dos Irmãos Coen. Sim, e daí? O próprio roteirista e diretor Greg Marcks admite as suas influências. E CRASH não é nenhum exemplo de originalidade. 11:14, produto da mente de um jovem realizador de 26 anos, ainda veio 1 ano antes do longa de Paul Haggis. Temos também o pouco conhecido e delicioso CASH - EM BUSCA DO DÓLAR (quase... porém o título original é Twenty Bucks) de 1993 que acompanha a trajetória de uma nota de vinte dólares desde a sua retirada no banco pelas mãos de várias pessoas. Outro detalhe: Brendan Fraser está no elenco he he he.

Serei muito sincero. Nenhum dos dois filmes é grande coisa, mas se eu fosse recomendar algum, ficaria com 11:14 sem sequer pensar 1 milésimo de segundo. Meus motivos? Confiram abaixo:

10 COISAS A DIZER SOBRE 11:14




1 - Créditos de abertura criativos e divertidos, mostrando os membros da equipe como se fossem carros numa estrada.
2 - Já começa pegando fogo numa cena muito bem interpretada por Henry Thomas.
3 - Tem cenas imprevisíveis e insanas.
4 - Conta com um elenco escolhido pelo talento dos atores.
5 - Não se leva a sério.
6 - Foi feito apenas com o propósito de divertir e fazer pensar um pouco nas coisas que podem acontecer em cada minuto de nossas vidas.
7 - Merecia exibição nos cinemas.
8 - Passatempo bom e interessante.
9 - Final tipo: Pootz, esse é o fim?
10 - Tem 1h24min de duração.

10 COISAS A DIZER SOBRE CRASH - NO LIMITE



1 - Créditos de abertura sem nada de interessante.
2 - Já começa morno com Don Cheadle fazendo cara azeda.
3 - Tem cenas covardes e irritantes.
4 - Conta com um elenco escolhido pelos nomes famosos.
5 - Se leva muito a sério.
6 - Foi feito com a intenção de redimir as merdas que os norte-americanos fizeram e que continuam fazendo por causa dos seus inúmeros preconceitos.
7 - Merecia ser especial de TV divulgado pela Oprah Winfrey.
8 - Drama medíocre e hipócrita.
9 - Final brega e meloso.
10 - Tem 1h53 de duração.

Nenhum comentário: