quinta-feira, outubro 20, 2016

Lançamentos de Novembro da Obras-Primas do Cinema

E a Obras-Primas no mês de Novembro não lançará 2 ou 3 filmes... mas 4. Entre eles, encontra-se o 1o. lançamento de um filme nacional e recente pela distribuidora. Torço para que mais produções brasileiras encontrem o seu espaço no catálogo da empresa. Temos também "A Tocha de Zen", a celebrada obra-prima de King Hu, entre os destaques de novembro. Data prevista de entrega: 16/11


* com informações da assessoria *

A LOUCURA ENTRE NÓS



Sinopse:
“A loucura entre nós”, filme dirigido por Fernanda Fontes Vareille, lança um olhar sobre os corredores e grades de um hospital psiquiátrico, buscando personagens e histórias que revelem as fronteiras do que é considerado loucura. Através, principalmente, de personagens femininas, o documentário exala as contradições da razão, nos fazendo refletir nossos próprios conflitos, desejos e erros.

Livremente inspirado no livro homônimo do médico psiquiatra Marcelo Veras, o filme faz um sensível mergulho nos paradoxos da reinserção da loucura no mundo em geral, subvertendo qualquer tentativa de reduzir as personagens retratadas a marionetes de questões envolvendo a sanidade mental.

- Extras: Entrevista com a Diretora (3 minutos); Entrevista com Dr. Marcelo Veras (10 minutos); Um pouco mais de Lenor (6 minutos); Curta-metragem dirigido por Fernanda Fontes Vareille: “Deixe-me Viver – 2009” (26 minutos).


A TOCHA DE ZEN

 

Sinopse:
Obras-Primas do Cinema apresenta: A TOCHA DE ZEN. Filme premiado no Festival de Cannes, é uma obra sem paralelo na carreira formidável do cineasta KING HU e um épico da mais alta ordem, caracterizado pela coreografia de ação de tirar o fôlego, paisagens deslumbrantes e edição inovadora. Pela primeira vez em DVD no Brasil! Edição remasterizada com 40 minutos de vídeos extras.

O pintor Shen Chai, morador de um remoto forte abandonado, decide durante a noite investigar estranhos barulhos. Ele acaba encontrando Yang, uma fugitiva disfarçada perseguida pelos assassinos de seus pais.

- Extras: Entrevista com a atriz "Feng Hsu" (13 min.); Entrevista com "Chun Shih" (17 min.); Entrevista com o cineasta "Ang Lee" (13 min.).  

O OUTRO LADO DA MEIA NOITE

Sinopse:
Obras-Primas do Cinema apresenta O OUTRO LADO DA MEIA NOITE, adaptação cinematográfica da obra homônima de Sidney Sheldon. O filme tem a direção do cineasta inglês Charles Jarrott (Ana dos Mil Dias) e no elenco principal: Marie-France Pisier, John Beck e Susan Sarandon, foi indicado ao Oscar de Melhor Figurino em 1978. Orgulhosamente trazemos esse clássico em versão integral e remasterizada.

A bela Noelle Page encontra o piloto americano Larry Douglas na França e se apaixona. Ela o espera para se casar, mas Larry a abandona e se casa com outra nos Estados Unidos. Porém, Noelle não o esquece mesmo depois de se tornar uma atriz famosa. Ela trama para que Larry seja contratado como piloto particular de seu rico e poderoso amante para se vingar dele, mas a paixão reacende.


 
  - Extras: Trecho de uma entrevista com Sidney Sheldon (29 minutos), Trailer Original (3 minutos).

MEU JANTAR COM ANDRÉ 
EDIÇÃO ESPECIAL DE COLECIONADOR



Obras-Primas do Cinema apresenta: MEU JANTAR COM ANDRÉ, filme cativante e filosófico dirigido por Louis Malle (Adeus Meninos), composto quase inteiramente pela longa conversa entre o ator Wallace Shawn (A Princesa Prometida) e o diretor teatral Andre Gregory (Vanya on 42nd Street) que travam diálogos interessantes com base em suas observações e experiências de vida. Uma trama fascinante da cultura cosmopolita, Meu Jantar com André continua sendo um trabalho único na história do cinema. Agora em edição especial com quase 2 horas de extras!

Dois velhos amigos de personalidades opostas, um realista e outro sonhador, jantam juntos num caríssimo restaurante francês em Manhattan. Após anos sem se encontrarem, o ator e o diretor teatral discutem filosoficamente temas como teatro experimental, a natureza do teatro, assim como a natureza da realidade, e estranhas experiências de vida.

Extras:  Entrevista com os atores André Gregory e Wallace Shawn (1:00:36), "My Dinner with Louis," um episódio do programa Arena BBC, no qual Shawn entrevista o diretor Louis Malle (52:08).










Seguem os links de Pré-venda para os  4 lançamentos na Livraria Cultura:


A Loucura entre nós:

A Tocha de Zen

O Outro Lado da Meia Noite:


Meu Jantar com André:

DVD: BREAKER MORANT (1980)


A filmografia da Austrália, assim como a do nosso país e de tantos outros, é muito pouco assistida e explorada aqui no Brasil em comparação com a dos EUA e até mesmo com a da França (essa última - em particular - mais por conta do Festival Varilux). Por isso que a chegada de uma importante obra como "Breaker Morant" no nosso mercado de home video deve ser celebrada. O longa recebeu um elogioso tratamento pela distribuidora Obras-Primas do Cinema.


Com direção e roteiro de Bruce Beresford, "Breaker Morant" é ambientado no final da 2a. Guerra dos Bôers na África do Sul. Foi um conflito entre o império britânico e as repúblicas independentes de Transvaal e Orange. Os britânicos tentaram anexar as duas repúblicas devido às suas riquezas naturais e os bôers (que descendiam de holandeses e franceses huguenotes) se opuseram a isso gerando um novo confronto armado.

O filme tem o seu foco no julgamento de Harry Morant (Edward Woodward), Peter Handcock (Bryan Brown) e George Wittonn (Lewis Fitz-Gerald), três tenentes australianos que serviram o Império Britânico neste conflito que são acusados de assassinar prisioneiros Bôers e um civil não-armado. O advogado de defesa dos soldados e major J. F. Thomas (um excelente Jack Thompson) alega que esses crimes foram cometidos no cumprimento de ordens superiores mas terminará se dando conta de que está diante de um tribunal militar nada imparcial onde todas as cartas já foram marcadas. Flashbacks constantes entrarão ao longo da narrativa para fazer o espectador acompanhar todos os fatos que levaram os três soldados a esse julgamento.

George Witton (Fitz-Gerald), Peter Handcock (Brown), Harry 'Breaker' Morant (Woodward) e o advogado de defesa, Major J.F. Thomas (Thompson)


Handcock, no extremo esquerdo; Morant, o terceiro a partir da esquerda; Hunt, o terceiro a partir da direita.

Apesar do sucesso que ele atingiu em obras posteriores como "A Força do Carinho", "Crimes do Coração" e "Conduzindo Miss Daisy", "Breaker Morant" continua sendo o trabalho mais importante da carreira de Bruce Beresford. Trata-se de um daqueles grandes filmes de guerra que sabem como colocar o espectador e suas convicções em cheque. A obra mostra que a guerra pode fazer com que qualquer pessoa perca a cabeça e cometa atrocidades, pouco importando que ela seja alguém tida como culta e letrada como Morant, que também era um poeta. Edward Woodward (bem mais lembrado pelos fãs de horror por seu trabalho como protagonista em "O Homem de Palha") está brilhante, assim como o já citado Thompson, e o filme é repleto de ótimos desempenhos, inclusive de atores em papéis minúsculos.

Além da direção e atuações notáveis, a fotografia, design de produção, direção de arte e figurinos nos enchem os olhos mesmo quando o filme se volta para o fechado e pesado ambiente do tribunal. A produção também foi inteiramente filmada na Austrália mas todas as locações externas foram muito bem escolhidas e trabalhadas, passando mesmo a impressão de que a história está acontecendo na África do Sul. 

O filme toma uma grande liberdade criativa com relação aos fatos reais em sua conclusão. Mas por que se comprometer tanto com a realidade quando se pode correr o risco de realizar uma das cenas mais belas e memoráveis da história do cinema australiano? Óbvio que Beresford e equipe não imaginavam isso mas... eles conseguiram e esse momento deverá ficar na memória do espectador que assistir a "Breaker Morant" por um longo tempo. 


O DVD lançado pela Obras-Primas do Cinema apresenta "Breaker Morant" em uma cópia com grandiosa qualidade de som e imagem e menus simples e estáticos apresentando imagens bem escolhidas do filme. Extras: Trailer original de cinema e 1 hora de entrevistas com o diretor Bruce Beresford, o diretor de fotografia Donald McAlpine, os atores Bryan Brown e Edward Woodward e o historiador Stephen Miller, que comenta sobre a Guerra dos Bôers.

Screenshots:
 

 

Assim como diversos outros títulos da Obras-Primas, "Breaker Morant" pode ser adquirido neste mês de outubro pelo preço de apenas R$9,90 na promoção que está acontecendo no site Colecione Clássicos até o dia 31/10.

terça-feira, outubro 04, 2016

'Unboxing' e resenha do pack "Serial Killers"

O Toca o Terror publicou recentemente a minha resenha para o pack "Serial Killers" da Obras-Primas do Cinema. Também fiz um 'unboxing' desse imperdível lançamento em fotos que pode ser visto logo abaixo, assim como links para leitura da resenha e de um site onde você pode adquirir o pack agora mesmo.

 
 
 
 
 



quinta-feira, setembro 22, 2016

Os faroestes 'B' de A. C. Lyles

O seu amigo aqui estava pesquisando a respeito de faroestes americanos realizados nos anos 60 e se deparou com alguns filmes que compartilham a presença de atores cujos nomes me chamaram a atenção. Seus elencos possuem veteranos como Dana Andrews, Rory Calhoun, Lon Chaney, John Ireland, Barry Sullivan [que ainda deu uma escapadinha para trabalhar na Itália com o Mario Bava e Norma Bengell em "O Planeta dos Vampiros"], Howard Keel, Brian Donlevy, Jane Russell, Linda Darnell, Richard Arlen, Scott Brady, Pat O' Brien, Broderick Crawford, Tab Hunter e Virginia Mayo cujas carreiras tinham passado do auge (muito por causa de suas idades na época, infelizmente...) e atores que ainda ganhariam fama como Yvonne DeCarlo e DeForest Kelley. Notei ainda um nome familiar que sempre se repetia nos cartazes: o do lendário A. C. Lyles, produtor do maravilhoso "A Noite dos Coelhos", também estrelado justamente por Rory Calhoun e DeForest Kelley.

A. C. Lyles, Jane Russell e Howard Keel no set de "Dilema de um Bandido"

Aí eu cavo mais fundo e descubro que esses filmes são parte de uma série de 13 faroestes de baixo orçamento realizados pelo Lyles para a Paramount entre 1964 e 1968. Isso mesmo, 13 filmes em 4 anos. E todos a cores! Lyles se utilizou do processo Techniscope criado pela Technicolor Italia que usava um A/R de 2:33 que era enlargado para 2:39 na pós-produção e com isso, se gastava metade do filme que antes seria consumido por uma Panavision para rodar esses westerns. 

O Techniscope teve grande emprego nos filmes europeus de horror e 'spaghetti westerns' e Lyles certamente deve ter sido o produtor que mais o empregou nos EUA durante os anos 60. A maior parte desses 13 títulos foram dirigidas por R. G. Springsteen e Lesley Selander, diretores que já possuiam uma longa filmografia de westerns 'B' e seriados e que não passariam do cronograma e do orçamento.

A. C. Lyles faleceu em 2013 aos 95 anos e encerrou sua carreira como produtor sendo consultor na série "Deadwood" da HBO.

Seguem abaixo, os pôsters de divulgação da série de 13 westerns 'B' produzidos por A. C. Lyles para a Paramount. Eles chegam a limpar a nossa vista das artes sem qualquer inspiração e criatividade que infestam a Internet e as salas de cinema nos dias de hoje. Não assisti a nenhum desses filmes. E você? Chegou a conferir algum?

"O Juiz Enforcador" (1964)
"Diligência para o Inferno" (1964)




"A Vingança do Foragido" (1964)
"O Pistoleiro de Esporas Negras" (1965)
"O Domador de Cidades" (1965)
"A Rebelião dos Apaches" (1965)
 
 "Duelo no Oeste" - disponível em DVD como "Johnny Reno" - (1966)
"Dilema de um Bandido" (1966)
"Depois do Massacre" (1967)

 "Fort Utah" (1967)

"Gatilhos do Ódio" (1967)
"Pistoleiros do Arizona" (1968)
"O Perigo Caminha a Meu Lado" (1968)

quarta-feira, setembro 14, 2016

Lançamentos da Obras-Primas do Cinema para Outubro/16

Como sempre, em 1a. mão para todos vocês, os lançamentos da Obras-Primas do Cinema para o mês de Outubro. Devo confessar que para esse mês em particular eles arrebentaram, estouraram a boca do balão, foram o pipoco do trovão!! :D

* com informações da assessoria *


Mishima: Uma Vida em Quatro Tempos
Edição Especial de Colecionador

Obras-Primas do Cinema apresenta: MISHIMA: UMA VIDA EM QUATRO CAPÍTULOS, é uma obra co-escrita e dirigido por Paul Schrader. O filme é baseado na vida e obra do escritor japonês Yukio Mishima, entrelaçando episódios de sua vida com dramatizações de segmentos de seus livros (The Temple of the Golden Pavilion, Kyoko’s House e Runaway Horses). Com produção e execução de Francis Ford Coppola e George Lucas, fotografia de John Bailey, cenários e figurinos requintados por Eiko Ishioka e a trilha sonora inesquecível de Philip Glass - todos eles vencedores do Prêmio de Melhor Contribuição Artística no Festival de Cannes 1985.

Cruzamento de dados biográficos do escritor japonês Yukio Mishima com trechos narrativos extraídos dos seus próprios romances e contos, que investiga a turbulência interna e contradições de um homem que tentou alcançar uma harmonia impossível entre si, a arte e a sociedade. Como sugere o título, o filme é dividido em quatro partes: “Beleza”, “Arte”, “Ação” e “Harmonia da caneta e da espada”.
 
 - Extras: Criando Mishima (43 Minutos); A produção de Mishima: Uma Vida em Quatro Tempos (21 Minutos); Entrevista com John Nathan e Donald Richie (26 Minutos). Trecho de uma entrevista com Mishima (6 Minutos).
 

O Portal do Paraíso
Edição Definitiva – DVD Duplo




Obras-Primas do Cinema apresenta: O PORTAL DO PARAÍSO. Um dos filmes mais caros da história do cinema, em uma descrição de tirar o fôlego da promessa e os perigos da expansão ocidental dos Estados Unidos, esta obra dirigida por Michael Cimino, está entre os épicos mais ambiciosos e pouco ortodoxos de Hollywood. Pela primeira vez em DVD no Brasil em edição especial com 2 DVDs! 
 
DISCO 01: Filme
A história decorre durante a Guerra do Condado Johnson, entre os barões do gado e imigrantes europeus na década de 1890, no Wyoming. Os dois protagonistas encontram-se questionando seu papel no conflito furioso entre ricos proprietários de terras e imigrantes europeus que tentam construir uma nova vida na fronteira americana, que culmina em uma batalha campal brutal. A batalha resultante é baseada no sangrento e real conflito de “Johnson County War” de 1892.

DISCO 02: Material Extra
Entrevista com o Diretor e o Produtor; Entrevista com Kris Kristofferson, Entrevista com David Mansfield, Entrevista com Michael Stevenson; Demonstração de Restauração; Teaser e Spot de TV.
  

Coleção Dose Dupla
Lucille Ball



Obras-Primas do Cinema apresenta COLEÇÃO DOSE DUPLA - LUCILLE BALL, em dois clássicos inéditos em versões restauradas: LUA DE MEL AGITADA (1953). O filme foi adaptado por Albert Hackett e Frances Goodrich de um romance de Clinton Twiss, com a assistência creditado a partir da escrita pessoal I Love Lucy. OS MEUS, OS SEUS E OS NOSSOS (1968). Comédia baseada no livro Who Gets the Drumsticks? de Helen Eileen Beardsley e em história de Madelyn Davis e Bob Carroll Jr.


- Lua de Mel Agitada (The Long, Long Trailer, 1953, 96 min.)
Nicky e Tacy se casam e compram um trailer, onde saem em lua de mel. O humor vem de várias aventuras desastrosas do inexperiente casal, incluindo a tentativa desajeitada de Tacy em cozinhar o jantar em um trailer em movimento, um passeio através das montanhas que quase destrói seu casamento e muitas aventuras.
(Idioma: Inglês / Legendas: Português - Inglês/ Formato: 1.37:1).

 - Os Seus, Os Meus, Os Nossos (Yours, Mine and Ours, 1968, 111 min.)
Uma viúva com oito filhos casa com um viúvo que tem dez filhos. Eles procuram uma casa que possa abrigá-los e precisam resolver os inúmeros problemas que inevitavelmente aparecem numa família tão numerosa.
(Idioma: Inglês / Legendas: Português - Inglês / Formato: 1.33:1).

- Extras: Curta-Metragem: Ain't It Aggravatin (8 minutos); Trailer Original Lua de Mel Agitada (3 Minutos) Trailer original Os Seus, Os Meus, Os Nossos (3 Minutos).